Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 28 Setembro |
Santa Eustóquio
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: A Ordem de Malta ainda é soberana?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
ORDRE DE MALTE

© Julian Kumar / Godong

I.Media para Aleteia - publicado em 07/09/22 - atualizado em 07/09/22

O seu resumo das principais notícias do dia. Uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Quarta-feira, 7 de Setembro de 2022

  1. A Ordem de Malta ainda é soberana?
  2. Como pode o Papa justificar a prorrogação do acordo com a China sobre as nomeações episcopais?
  3. Resposta à sugestão do Cardeal Brandmüller de que o conclave seja limitado aos cardeais que vivem em Roma
  4. Canadá: após a viagem do Papa, o trabalho de reconciliação ainda deve ser feito
  5. A primeira mulher vice-postuladora de uma causa de beatificação de um papa

1A Ordem de Malta ainda é soberana?

O Papa Francisco concluiu a sua reforma da Ordem de Malta, após um processo de cinco anos de revisão das estruturas de governo da ordem religiosa, que também funciona como uma organização de ajuda global reconhecida como uma entidade soberana ao abrigo do direito internacional. O jornal The Pillar questiona a persistência desta noção de “soberania”. Ao promulgar uma nova constituição com efeito imediato, sem votação, o Papa fez uma arbitragem radical para neutralizar dois campos rivais dentro da Ordem. Mas a sua decisão levanta a questão do “espaço jurídico único” em que a Ordem de Malta opera há 900 anos, com um estatuto soberano que lhe permite operar em áreas de difícil acesso para as ONGs, como a Birmânia. Advogados, canonistas e eclesiologistas discutiram frequentemente o estatuto híbrido desta Ordem, que é simultaneamente religiosa e soberana, com a constituição anterior a estabelecer a obediência religiosa ao Papa através do Grão Mestre, mas também a independência governamental em relação à Santa Sé através da nomeação de um embaixador. O processo de reforma iniciado pelo Papa em 2017 causou grande tensão interna, e vários cavaleiros declararam que é agora impossível afirmar que a Ordem ainda é soberana se o Papa puder exercer autoridade direta e total sobre a sua ordem constitucional e cargos de governo. Mas enquanto alguns dos líderes depostos denunciam em privado uma intervenção papal, outros reconhecem que as decisões foram necessárias para ultrapassar divisões internas. “À medida em que todos os cavaleiros aceitam agora, tanto em privado como em público, irá provavelmente demonstrar como a ordem é católica e determinar quão soberana ela permanecerá”, diz The Pillar.

The Pillar, inglês

2Como pode o Papa justificar a prorrogação do acordo com a China sobre as nomeações episcopais?

Em visita ao Vaticano por ocasião da beatificação de João Paulo I, o vice-presidente de Taiwan, Chen Chien-jen, que faz parte da minoria católica, pediu ao papa para “rezar por Taiwan”. A Igreja Católica local, bem como toda a população desta ilha ameaçada de anexação por Pequim, está muito preocupada com o acordo assinado em 2018 entre o Vaticano e o Partido Comunista Chinês, que concordaram em cooperar na seleção dos bispos a fim de formar uma Igreja Católica unida na China. Na realidade, o acordo está a ser utilizado como argumento por Pequim para reforçar a sua vigilância das igrejas acusando os católicos clandestinos de desobedecerem ao Papa, e para reforçar os canais de comércio com os países católicos latino-americanos. O Cardeal Zen, Bispo Emérito de Hong Kong e o maior opositor do acordo, disse recentemente que o Cardeal Pietro Parolin, o arquitecto da aproximação ao regime chinês, estava a “manipular” o Papa. “Não tenho confiança nesta pessoa. Ele acredita na diplomacia, não na nossa fé”, disse o cardeal chinês, acusando o secretário de estado da Santa Sé de “contar uma série de mentiras”. À medida que o prazo para uma possível renovação do acordo se aproxima, o julgamento do Cardeal Zen, com início a 19 de Setembro, poderia ser o momento para o Papa “associar pelo menos condições – tais como a libertação do clero – a qualquer renovação do acordo, se não para o cancelar completamente”, espera o Catholic Herald. “Qualquer outra coisa seria um insulto aos cristãos chineses, a Taiwan e à própria autoridade moral da Igreja”, adverte o jornal britânico.

Catholic Herald, inglês

3Resposta à sugestão do Cardeal Brandmüller de que o conclave seja limitado aos cardeais que vivem em Roma

Respondendo à sugestão do Cardeal Brandmüller de que apenas os cardeais residentes em Roma deveriam ser autorizados a eleger o Papa, a jornalista Gabriele Höfling vê isto como uma visão “problemática”, demasiado centrada na Cúria Romana. Se o direito de voto for reduzido a “alguns funcionários administrativos romanos”, falta a ligação com as diferentes realidades da vida no mundo, acredita ela. Além disso, o poder da cúria é reforçado – em contraste com a sinodalidade. “A eleição de um papa”, insiste ela, “não deveria nomear o melhor administrador do aparelho da Cúria Romana, mas o melhor representante de Cristo na terra”. Gabriele Höfling também quer uma reforma… mas em direção a mais democracia. Ela propõe dar aos presidentes das conferências episcopais o direito de voto no conclave “Quem sabe”, conclui ela, “talvez um dia o povo da Igreja esteja envolvido na eleição do Papa – e depois, por favor, não se esqueça das mulheres”, manifestou-se a jornalista.

Katholisch, alemão

4Canadá: após a viag3em do Papa, o trabalho de reconciliação ainda deve ser feito

Num artigo de opinião publicado no National Catholic Reporter, Kirby Hoberg, um católico americano, argumenta que “os católicos brancos ainda não aceitam que o povo aborígene tenha uma reivindicação para com a Igreja”. Ela aponta para a cobertura mediática da viagem do Papa ao Canadá, citando, por exemplo, artigos que descreviam as práticas aborígenes comuns como “pagãs”. Comentando o fato de as investigações sobre asescolas residenciais nos EUA estarem apenas a começar, Hoberg salienta que “a cura pode ser um esforço solitário e variável, mas a reconciliação é uma via de dois sentidos. Embora aprecie o pedido de desculpas do Papa como um ato de reconciliação, lamenta que o pontífice não tenha usado a palavra “genocídio” no início da viagem ou que a Doutrina da Descoberta “conserve a sua legitimidade encharcada de sangue”. “A reconciliação de um evento que ocorreu durante um período de tempo tão longo, com custos e perdas ainda indeterminados, requer o envolvimento de todos nós”, concluiu.

National Catholic Reporter, inglês

5A primeira mulher vice-postuladora de uma causa de beatificação de um papa

“Pura misoginia” é como Franca Giansoldati, correspondente do Vaticano para o jornal italiano Il Messaggero, descreve uma foto da cerimónia de beatificação do Papa João Paulo I mostrando, na área reservada aos celebrantes entre os bispos e arcebispos, uma mulher “num canto, sentada quase ao fundo” parecendo “quase a reclamar a sua solidão”. A mulher é a jornalista Stefania Falasca, vice-postuladora para a causa de beatificação do Papa João Paulo I, e a primeira mulher a ocupar este cargo na causa de um pontífice. É doutorada pela Universidade de Roma Tor Vergata sobre os escritos de Albino Luciani, e escreveu numerosos livros sobre o “papa sorridente” e trabalhou incansavelmente para tornar o seu magistério conhecido, explica o artigo. Falasca também trabalhou arduamente na sua causa de beatificação, especialmente desde que se tornou vice-presidente da Fundação João Paulo I do Vaticano em 2020, apesar do ceticismo que enfrentou, Giansoldati continua. Foi também Falasca que rejeitou de forma conclusiva as falsas alegações de que João Paulo I tinha sido assassinado. Com paciência e investigação exaustiva, a jornalista mostrou que o Papa italiano era “um cristão excepcional […] com uma mensagem válida para a Igreja e para o mundo de hoje”. “Nesta foto, a sua pequena figura não podia passar despercebida, só se podia dar uma olhadela rápida e podia-se dizer que se ela estava lá, era devido a algo grandioso, muito maior do que esta aparente solidão que certificou mais uma vez como, do outro lado do Tibre, a condição da mulher ainda não é verdadeiramente representada”, escreve Giansoldati.

Il Messaggero, italiano

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
CardeaisIgrejaResenha de Imprensa
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia