Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Setembro |
São Cosme e São Damião
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: O Papa Francisco recebe os núncios apostólicos do mundo

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Ukrainian girl during Pope Francis general Audience

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 09/09/22

Seu Boletim Direto do Vaticano de 9 de setembro de 2022

  1. Após “o pior” da Covid-19, o Papa preocupa-se com os “riscos de uma escalada nuclear” na Ucrânia
  2. “Estamos a viver uma guerra mundial”, adverte Francisco à margem da sua catequese
  3. Telegrama do Papa pela morte da Rainha Elizabeth II

1Após “o pior” da Covid-19, o Papa preocupa-se com os “riscos de uma escalada nuclear” na Ucrânia

Por Anna Kurian – O Papa Francisco pediu aos seus núncios apostólicos para serem “pontos de referência em momentos de grande desordem e turbulência”, referindo-se ao conflito russo-ucraniano e às suas consequências, perante uma centena de representantes pontifícios reunidos no Vaticano para a sua reunião trienal a 8 de Setembro.

Durante a audiência, Francisco disse estar triste por, após a “tempestade” da pandemia de Covid-19, ter chegado uma guerra “especialmente grave” para perturbar a Europa e o mundo inteiro. Manifestou preocupação sobre “a violação do direito internacional” e os “riscos de escalada nuclear”, como tinha feito repetidamente desde o início da invasão russa.

“Uma terceira guerra mundial em partes”

O Papa Francisco também apontou as “pesadas consequências económicas e sociais” deste conflito, enquanto populações inteiras são deixadas a morrer à fome em África, onde o trigo ucraniano já não é entregue. Lamentou mais uma vez “uma terceira guerra mundial em partes”.

O chefe da Igreja Católica agradeceu então aos núncios por “tudo o que as representações papais têm feito e continuam a fazer nestas situações de sofrimento”. “Trouxestes a proximidade do Papa ao povo e às Igrejas”, sublinhou, encorajando-os a serem “pontos de referência em tempos de grande desordem e turbulência”.

Trabalho em curso na Igreja

O Papa falou também aos seus diplomatas sobre o trabalho em curso na Igreja: o Sínodo dos Bispos “que pretende fazer crescer esta dimensão de sinodalidade no Povo de Deus”; o Jubileu de 2025; e a aplicação da Constituição Apostólica da Cúria Romana Praedicate Evangelium. Esta última, publicada a 19 de Março de 2022 após nove anos de trabalho, levará “tempo” a ser “plenamente implementada”, reconheceu ele.

Esta reunião dos núncios, de 7 a 10 de Setembro – a quarta do seu género desde o início do pontificado de Francisco – inclui várias reuniões com os funcionários da Secretaria de Estado. Estão presentes 91 núncios apostólicos e 6 observadores permanentes sem estatuto episcopal, enquanto cinco estão ausentes por razões de saúde. Para além destes representantes, existem 167 colaboradores com funções diplomáticas em todo o mundo.


2“Estamos a viver uma guerra mundial”, adverte Francisco à margem da sua catequese

Por Hugues Lefèvre – “Não esqueço a Ucrânia martirizada”, disse o Papa Francisco no final da audiência geral na Praça de São Pedro a 7 de Setembro. Mais de seis meses após o início da invasão russa, o chefe da Igreja Católica apelou ao fim de “uma guerra mundial” que está atualmente a ter lugar.

O Papa concluiu novamente os seus apelos à margem da sua catequese de quarta-feira, expressando o seu pensamento para “a Ucrânia martirizada”. Ao agitar algumas bandeiras ucranianas azuis e amarelas hasteadas pelos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, pediu a todos que fossem “construtores de paz e que rezassem para que pensamentos e projetos de harmonia e reconciliação se pudessem espalhar pelo mundo”.

Guerra mundial

“Hoje vivemos numa guerra mundial. Vamos parar, por favor”, disse ele, saindo das suas notas. Confiou então à Virgem Maria as vítimas de todas as guerras, e de uma forma muito especial, “o querido povo ucraniano”.

Desde 24 de Fevereiro e a invasão russa da Ucrânia, o Papa multiplicou os seus apelos à paz, aproveitando o Angelus de domingo e as audiências gerais de quarta-feira de manhã para alertar o mundo para o drama em curso e para pedir aos cristãos que rezem.

Numa entrevista com os chefes das revistas jesuítas publicada em Junho passado, o Papa Francisco retomou o seu tema da “guerra mundial em partes”, referindo-se à guerra na Ucrânia. Ele citou outros “países distantes”, nomeadamente na África, onde os conflitos estão a grassar.


3Telegrama do Papa pela morte da Rainha Elizabeth II

Este foi o telegrama de pesar pela morte da Rainha Elizabeth que o Papa Francisco enviou a Carlos III, o novo Rei da Inglaterra:

“Profundamente entristecido com a notícia da morte de Sua Majestade, a Rainha Elizabeth II, estendo minhas sinceras condolências a Vossa Majestade, aos membros da Família Real, ao povo do Reino Unido e à Commonwealth.

Uno-me a todos aqueles que choram por ela, rezando pelo descanso eterno da falecida Rainha e prestando homenagem à sua vida de serviço incansável ao bem da Nação e da Commonwealth, ao seu exemplo de devoção ao dever, ao seu firme testemunho de fé em Jesus Cristo e à sua firme esperança em suas promessas.

Confiando sua nobre alma à bondade misericordiosa de nosso Pai Celestial, asseguro a Vossa Majestade minhas orações para que Deus Todo-Poderoso o sustente com sua graça inabalável, enquanto assume agora as altas responsabilidades como Rei. Sobre o senhor e sobre todos aqueles que guardam a memória de sua falecida mãe, invoco a abundância das bênçãos divinas como penhor de conforto e força no Senhor.”

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
DiálogoDireto do VaticanoElizabeth IIGuerraMortePapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia