Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Ditadura da Nicarágua proíbe tradicional procissão de São Miguel e São Jerônimo

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Daniel Ortega e Rosario Murillo

Cesar PEREZ / Nicaraguan Presidency / AFP

Daniel Ortega e Rosario Murillo

Francisco Vêneto - publicado em 21/09/22

A perseguição é tão descarada que até governos nada simpáticos ao catolicismo têm admitido que a situação da Nicarágua é inaceitável

A ditadura da Nicarágua proibiu a tradicional procissão de São Miguel Arcanjo e São Jerônimo na cidade de Masaya, a 30 quilômetros da capital, Manágua.

A decisão arbitrária, informada pela polícia nicaraguense e questionada pela Arquidiocese de Manágua, se deveu, alegadamente, a “razões de segurança pública”, sem maiores explicações.

Com a nova medida autoritária e desproporcional, o governo sandinista piora o clima já tenso no país e aumenta a sua já longa lista de atos hostis à Igreja Católica.

Em 15 de agosto, o governo já tinha proibido a procissão em honra a Nossa Senhora da Assunção, o que foi particularmente agressivo porque, na ocasião, os fiéis pretendiam despedir-se da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima em sua passagem pela Nicarágua.

As atitudes persecutórias contra a Igreja Católica por parte do ditador Daniel Ortega e de sua companheira e vice-presidente Rosario Murillo têm sido tão descaradas que até governos nada simpáticos ao catolicismo têm tido que admitir que a situação da Nicarágua é inaceitável.

Neste último 15 de setembro, o Parlamento Europeu condenou a perseguição religiosa promovida por Daniel Ortega, explicitada em casos de repercussão internacional como a expulsão do núncio apostólico e das Missionárias da Caridade, a prisão do bispo dom Rolando Álvarez e de vários outros clérigos e leigos católicos, assim como o fechamento de instituições religiosas e a crescente intimidação aos fiéis que tentam continuar frequentando as igrejas.

O Papa Francisco tem optado pela via diplomática, denunciando que há problemas ocorrendo, mas reforçando que a Igreja tem buscado o diálogo com o governo da Nicarágua.

No tocante à nova procissão proibida pela polícia, a Arquidiocese de Manágua orientou os fiéis a participarem da Santa Missa na catedral da capital.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
IdeologiaIgrejaPerseguiçãoPolítica
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia