Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 06 Outubro |
São Bruno
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

O profundo significado das músicas do funeral da rainha Elizabeth II

WEB3-QUEEN-ELIZABETH-II-SHUTTERSTOCK-USAMA-ABDULLAH-DESIGNER.jpg

Shutterstock

J-P Mauro - publicado em 21/09/22

O funeral reuniu alguns dos músicos mais consagrados da Inglaterra, que executaram os hinos favoritos da rainha e outros compostos especialmente para a ocasião

Na segunda-feira, 19 de setembro de 2022, o Reino Unido e o mundo se despediram da rainha Elizabeth II em um extenso funeral na Abadia de Westminster. O dia foi marcado por apresentações dos melhores músicos da Inglaterra, que prestaram homenagens à monarca com uma coleção de hinos que fizeram referência ao gosto musical da rainha às tradições da família real. 

A rainha Elizabeth II, de fato, era conhecida por seu amor pela música, que incluía uma grande variedade de gêneros. De acordo com a BBC, a música favorita dela era “Oklahoma!” (Howard Keel). 

Elizabeth II reinou durante um período de avanço musical sem precedentes – tanto tecnológico quanto estilístico – e a Inglaterra prosperou sob sua orientação nesta área. Ela valorizou centenas de artistas e nomeou vários músicos para a Ordem do Império Britânico.

Esses músicos se reuniram no funeral da rainha para uma exibição sem precedentes. A cerimônia contou com a execução de música sacra por alguns dos compositores mais célebres da Inglaterra, incluindo Edward Elgar, Ralph Vaughan Williams e Charles Villiers Stanford. 

A família real chegou ao ponto de encomendar duas novas peças escritas especialmente para a ocasião.

Música original

A primeira dessas peças originais é uma leitura do Salmo 42, composto por Judith Weir. Os comentários de Weir sobre a peça estão no site de música clássica Slippedisc

“Para este serviço fúnebre, a Abadia de Westminster pediu que eu musicasse os primeiros sete versos do Salmo 42 (…) As palavras e a música falam primeiro da grande tristeza da alma e da sede pela segurança de Deus, mas à medida que o salmo progride, o clima se torna mais calmo e mais resoluto, culminando em consolo… A forte fé e o apoio da rainha na adoração anglicana foram inspirações para mim…”

A segunda peça original escrita para o funeral da rainha Elizabeth II foi o hino de encerramento Who shall separate us from the love of Christ? (“Quem nos separará do amor de Cristo?”), composto por James MacMillan. Este compositor escocês é um dos músicos contemporâneos mais respeitados do Reino Unido. Ele detém o título de Comandante da Ordem do Império Britânico e foi nomeado pela própria rainha em 2015.

Em um tuíte, MacMillan agradeceu humildemente à coroa pela oportunidade de prestar uma última homenagem à rainha Elizabeth.

Fortes emoções

De fato, houve muitos momentos emocionantes durante o funeral da rainha Elizabeth II. Um deles ocorreu logo no início do cortejo fúnebre, quando o coro irrompeu em canto, cantando as Sentenças, que são linhas das Escrituras transformadas em músicas e executadas em todos os funerais reais desde o século XVIII.

Cantadas enquanto o caixão da rainha adentrava a abadia, essas passagens das Escrituras falam da morte e da promessa de ressurreição. O coro marcou a abertura do serviço fúnebre anglicano.

Homenagem militar

Os coros e os músicos fizeram várias homenagens ao longo do dia, mas algumas das peças mais tocantes vieram no fim do funeral. Uma delas foi a execução de “The Last Post”, que marca o fim do dia militar ou o fim de uma vida. Foi uma homenagem à rainha como comandante das Forças Armadas britânicas. Após a música, toda a nação permaneceu em silêncio por dois minutos.  

“The Last Post” foi seguido por “Reveille”, que é tradicionalmente tocada para acordar as tropas todas as manhãs. Essa música, simbolicamente, despertou a nação de seu momento de silêncio, instante em que todos os presentes se levantaram para cantar o hino inglês, “God Save the King”.

Para nós, no entanto, a música mais emocionante do dia veio do gaiteiro da rainha que tocou a tradicional música escocesa “Sleep, Dearie, Sleep”. 

De fato, o gaiteiro que tocava todas as manhãs para acordar a rainha agora tocou para ela descansar.

Tags:
Elizabeth IIMorteMúsicaReino Unido
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia