Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 25 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Padre cuja mãe está em processo de beatificação é nomeado bispo

jorja.jpg

Dolors | Dolors

Jorja Perea, hoy en proceso de canonización.

Dolors Massot - publicado em 12/10/22

Sem dúvida, com o anúncio da sua nomeação como bispo auxiliar, a memória da sua mãe estará muito presente

“Não é necessário estudar muito para amar a Deus e a todos os que nos cercam de uma forma excelente.”

Estas são as palavras do padre José María Avendaño, que o Papa Francisco nomeou em Setembro passado para ser o bispo auxiliar de Getafe (Espanha) com a idade de 65 anos. Avendaño foi até agora o vigário geral e vigário do clero dessa diocese. É um homem muito amado pelo povo.

Acontece que o novo bispo (em breve a ser ordenado) tem uma história familiar de grande proximidade com Deus: a sua mãe, Jorja Perea, está em processo de canonização. As palavras de abertura deste artigo foram escritas pelo seu filho sacerdote no livro “La fe es sencilla” (“A fé é simples”), e ele tinha conhecimento em primeira mão de quem e do que estava a falar.

Jorja Perea era uma dona-de-casa de uma família simples e com pouca educação, mas que demonstrou virtudes cristãs em todo o seu esplendor na sua vida como esposa e mãe. Ela é um exemplo do povo que o Papa Francisco gosta de chamar os “santos do lado”. São pessoas leigas que viveram, e vivem hoje, como os primeiros cristãos e que nos fazem sentir a vitalidade da Igreja.

As pessoas podem ser santos no meio do mundo, nas suas tarefas e atividades habituais. Santa Teresa d’Ávila disse, com propriedade, que “o Senhor também caminha entre as panelas e tachos” (Fundações 5, 8).

Podemos ver Jorja Perea em fotografias e vídeos do final do século XX e início do século XXI. Vemo-la a sorrir, a fazer tarefas domésticas, e a carregar a sua velhice com serenidade. Ouvimo-la cantar um hino à Eucaristia, “Bendito seja o Santíssimo Sacramento do altar …” uma canção muito típica da devoção popular na Espanha.

“A minha mãe tinha uma vida de dedicação a Deus, à Igreja e aos outros, especialmente aos doentes e necessitados com quem partilhava tudo o que tinha”, diz José María Avendaño, falando da sua mãe.

Neste vídeo vemos a sua partilha de momentos familiares com o seu filho José María:

Jorja nasceu em 1928, numa aldeia de La Mancha, e ficou imediatamente órfã devido à morte do seu pai e da sua mãe. Quando criança, trabalhou nos campos. Casou com o seu marido Cándido aos 25 anos de idade, e cinco filhos nasceram do seu casamento. Um deles é José María Avendaño Perea.

“Falar bem de Deus”

Um dos lemas que guiou o caminho de Jorja foi: “Fale bem de Deus e faça todo o bem que puder”. Ela encarnou isto de muitas maneiras, lembrado hoje em dia em anedotas de uma vida plena que não atraía a atenção mas iluminava aqueles que compartilhavam a sua vida com ela. É por isso que os testemunhos estão agora a ser recolhidos para a causa da canonização. O fato de ter educado um dos seus filhos para que ele pudesse responder fielmente à sua vocação de sacerdote, e logo que fosse bispo, acrescenta indubitavelmente o mérito desta mãe.

José María, o novo Bispo Auxiliar, nasceu a 25 de Abril de 1957 em Villanueva de Alcardete (Toledo, Espanha).

Estudou para ser professor, especializando-se em matemática, em Toledo (1978) e depois estudou terapia da fala na Universidade Complutense de Madri (1981). É licenciado em teologia pela Pontifícia Universidade de Comillas (1985) e em teologia pastoral prática pela Pontifícia Universidade de Salamanca, no Instituto Superior de Trabalho Pastoral de Madri (2004). Recebeu a ordenação sacerdotal na Arquidiocese de Madri a 14 de Março de 1987. A sua consagração episcopal está agendada para 26 de Novembro deste ano.

Jorja morreu em 2015 devido a um caso de pneumonia que levou a um derrame cerebral. Dentro de um mês, começaram a chegar notícias de favores atribuídos à sua intercessão celestial.

O então bispo auxiliar de Getafe, José Rico Pavés, encorajou o padre José María Avendaño a mostrar ao mundo o exemplo da sua mãe e a recolher testemunhos sobre a sua vida e virtudes. Seis anos mais tarde, em 2021, foi aberta a fase diocesana inicial do processo de canonização.

Hoje, sem dúvida, com o anúncio da sua nomeação como bispo auxiliar, a memória da sua mãe estará muito presente.

Tags:
BisposMaternidadePadresSantos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia