Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 03 Dezembro |
São Birino de Dorchester
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Cardeais italianos perdem um eleitor

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Pope Francis blesses the faithful

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 21/10/22

Boletim Direto do Vaticano de 21 de outubro de 2022

  1. O Cardeal Ravasi faz 80 anos e deixará de ser eleitor no caso de um conclave
  2. Papa: comida não pode ser tratada como qualquer mercadoria
  3. Confiemos a Nossa Senhora os povos onde reina a guerra, a violência e a miséria, pede Papa

1O Cardeal Ravasi faz 80 anos e deixará de ser eleitor no caso de um conclave

Por Hugues Lefèvre : O cardeal italiano Gianfranco Ravasi celebrou o seu 80º aniversário na terça-feira. Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura de 2007 a 2022 e da Pontifícia Comissão para a Arqueologia Sagrada, o poliglota com uma cultura enciclopédica deixará de ser um eleitor no caso de um conclave.

Após quase 15 anos à frente do Conselho Pontifício para a Cultura, o cardeal italiano deixou um posto que desapareceu com ele no final de Setembro. A nova constituição Praedicate Evangelium, que entrou em vigor em Junho passado, confirmou a fusão deste conselho pontifício com a Congregação para a Educação Católica.

A 26 de Setembro, o Papa Francisco nomeou o Cardeal português José Tolentino de Mendonça para chefiar este novo “super-dicastério”, deixando assim os Cardeais Ravasi e Versaldi – Educação Católica – para se reformarem.

Nascido em 1942 na zona de Milão, Gianfranco Ravasi foi ordenado sacerdote em 1966. Estudou na Pontifícia Universidade Gregoriana e no Pontifício Instituto Bíblico. Em 1989 foi nomeado Prefeito da prestigiosa Pinacoteca Ambrosiana em Milão, uma instituição fundada em 1607.

Em 2007, o Papa Bento XVI nomeou-o para chefiar o Conselho Pontifício para a Cultura, seguindo o Cardeal francês Paul Poupard. Foi então consagrado bispo pelo pontífice alemão. Alguns meses antes, Gianfranco Ravasi tinha sido escolhido por Bento XVI para escrever as meditações que acompanhavam a Via Sacra no Coliseu.

O autor de cerca de 150 livros sobre temas bíblicos e científicos, o Cardeal Ravasi tem estado muito presente nos meios de comunicação social – especialmente em Itália – para promover a cultura e forjar laços com o mundo cultural secular e religioso.

Em 2011, foi-lhe pedido pelo Papa que criasse o Pátio dos Gentios, uma estrutura concebida para reunir crentes e não crentes.

Durante o conclave de 2013, alguns consideraram-no um possível candidato substituto para o favorito italiano Angelo Scola. Segundo o vaticanista Gerard O’Connell, ele recebeu apenas um voto na primeira votação.

Confirmado pelo Papa Francisco em Março de 2014, este estudioso bíblico, que fala uma dúzia de línguas, é um dos prefeitos dos dicastérios que preencheram a lacuna entre os dois pontificados, como o Cardeal argentino Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais desde 2007.

Cardeais italianos perdem um eleitor

Com a sua saída do colégio eleitoral, o número de cardeais responsáveis pela eleição de um papa no caso de um conclave é agora de 128. Os eleitores italianos são agora 18. O novo Cardeal Giorgio Marengo, missionário na Mongólia há muitos anos e Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar, é classificado pelo Vaticano como sendo da Mongólia, embora seja um cidadão italiano.

Dentro de um ano, cinco outros eleitores italianos terão atingido a idade de 80 anos: Cardinals Bagnasco (14.01.1943), Calcagno (03.02.1943), Sepe (02.06.1943), Versaldi (30.07.1943) e Comastri (17.09.1943).

Se o Papa Francisco não criar novos cardeais no prazo de um ano, o número de italianos admitidos na Capela Sistina para eleger um papa será então 13, ou pouco menos de 11% de um colégio eleitoral que teria apenas de 120 cardeais até ao final de Setembro de 2023 – a menos que um cardeal morra entretanto. Um número historicamente baixo.

No conclave de 2013, 28 italianos participaram na votação (24% dos eleitores). Em 2005, para a eleição de Bento XVI, 20 cardeais italianos eram membros do colégio eleitoral (17%). Na eleição de 1978 do Cardeal Wojtyła, 26 italianos votaram (23%).


2Papa: comida não pode ser tratada como qualquer mercadoria

“Neste tempo de crises interligadas, a mensagem de Cristo, mesmo para os não-crentes, desafia-nos não apenas a dar comida, mas a darmo-nos ao serviço dos outros, reconhecendo e garantindo a centralidade da pessoa humana”. Uma prioridade que “só pode ser salvaguardada se voltarmos a acreditar na fraternidade e solidariedade que deve inspirar as relações entre as pessoas e entre os povos”.

Esse é o coração da mensagem que o Papa Francisco envia ao diretor-geral da FAO, Qu Dongyu, por ocasião do segundo Fórum Mundial da Alimentação (WFF), realizado em Roma, na sede da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, e online, de 17 a 21 de Outubro, sobre o tema “Dietas Saudáveis, Planeta Saudável”.

Aos participantes no Fórum, o Papa lembra que “a comida é fundamental para a vida humana, de fato, participa na sua sacralidade e não pode ser tratada como qualquer outra mercadoria. Os gêneros alimentícios são sinais concretos da bondade do Criador e frutos da terra”.

Francisco recorda os ensinamentos dos seus avós e o respeito que tinham pelo pão: “eles beijavam-no quando o levavam para a mesa e não permitiam que nem uma migalha fosse desperdiçada”. O próprio Cristo, na Eucaristia, sublinha o Pontífice, “tornou-se pão, pão vivo para a vida do mundo”. Respeitar os alimentos “e conceder-lhes o lugar preeminente que têm para a vida humana”, explica o Papa Francisco, só será possível se não nos preocuparmos apenas com “a sua produção, disponibilidade e acesso, bem como com as medidas técnicas do comércio agrícola”, mas tomarmos consciência “de que eles são um dom de Deus do qual somos meros mordomos”.


3Confiemos a Nossa Senhora os povos onde reina a guerra, a violência e a miséria, pede Papa

Num tweet da conta @Pontifex, Francisco pede às pessoas para se juntarem em oração pela Ucrânia e outros países onde tragédias diárias estão a ocorrer, juntamente com o milhão de crianças que participaram este semana do Rosário pela Paz Mundial. A iniciativa da Ajuda à Igreja que Sofre envolve crianças de jardins de infância, paróquias, escolas e famílias dos cinco continentes

Há a Ucrânia martirizada, mas também o Iémen, a Síria, a Líbia, Mianmar, os países de África e do Oriente Médio, e todos aqueles lugares “onde reina a guerra, a violência e a miséria” no centro do pensamento do Papa ao pedir às pessoas que se unam em oração por estas populações juntamente com o milhão de crianças que hoje rezam o terço pela paz mundial. Eis o tweet do Papa:

#RezemosJuntos com as crianças de todos os continentes que hoje rezam o Rosário pela paz no mundo. Confiemos à intercessão de Nossa Senhora o martirizado povo ucraniano e as outras populações onde reinam a guerra, a violência e a miséria. #1millionchildrenpraying

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
CardeaisDireto do VaticanoPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia