Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 13 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Segredo de Confissão em risco pela crise de abusos?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
confessionnal

© Pascal Deloche - Godong

I. Media - publicado em 24/10/22

Seu resumo das notícias do dia. Confira:

Segunda-feira, 24 de Outubro de 2022

  1. O segredo de Confissão, vítima da crise de abusos sexuais?
  2. Cardeal Tagle explica por que o Vaticano renovou o acordo com a China
  3. O Vaticano realiza debate com ortodoxos sobre a primazia de Pedro
  4. O Cazaquistão e a Santa Sé, 30 anos de relações diplomáticas
  5. Nos Estados Unidos, um país dividido e uma Igreja dividida

1O segredo de Confissão, vítima da crise de abusos sexuais?

O relatório final de um inquérito independente sobre abuso sexual de crianças (IICSA) na Inglaterra e no País de Gales recomenda a aprovação de uma lei que tornaria obrigatória a denúncia de abuso sexual de crianças. O documento acrescenta especificamente que não deve ser concedida qualquer isenção para a confissão sacramental. Assim, a comunicação obrigatória “deve ser uma obrigação absoluta; não deve estar sujeita a exceções baseadas na confidencialidade, relações religiosas ou outras”, lê-se no texto. Para o jornal Crux, isto poderia levar a um conflito com a Igreja. De fato, se o governo legislar sobre esta questão, se um padre ouvir uma confissão sacramental em que tenha conhecimento de abuso de crianças, enfrentaria uma ação penal se não a denunciasse às autoridades.

No entanto, segundo a lei da Igreja, quebrar o sigilo de confissão é uma ofensa excomungável, e espera-se que os padres defendam o sigilo, mesmo correndo risco. Numa época de colapso do sacramento, quando poucos católicos o usam, parece que até os crentes podem apoiar uma exceção para o abuso de crianças. Mas o declive escorregadio poderia levá-los aos seus próprios pecados, pelos quais o Estado poderia interessar-se, afirma Crux, citando temas como desvio de dinheiro, evasão fiscal.

No entanto, a maioria dos especialistas acredita que mesmo que os casos de abuso revelados em confissão fossem comunicados às autoridades, não faria muita diferença: os abusadores normalmente não confessam, e certamente não o fariam se soubessem que seriam denunciados. O resultado mais provável seria que pessoas sem escrúpulos “confessassem” o abuso de crianças para ver se o padre o denuncia realmente às autoridades, adverte o jornal americano.

Crux, inglês


2Cardeal Tagle explica por que o Vaticano renovou o acordo com a China

Numa entrevista a Gianni Valente, diretor da agência noticiosa Fides, dirigida pelas Sociedades Missionárias Pontifícias, o Cardeal Luis Antonio Tagle explica a motivação da Santa Sé para prorrogar o acordo provisório com a China sobre a nomeação dos bispos. O acordo foi renovado no sábado passado, 22 de Outubro, por mais dois anos, depois de ter sido introduzido pela primeira vez em 2018 e depois renovado em 2020. Foram nomeados seis bispos desde que o acordo entrou em vigor. O Cardeal Tagle explicou que a Santa Sé queria “promover a escolha de bons bispos católicos chineses, dignos e capazes de servir o seu povo” e “salvaguardar a sucessão apostólica válida e a natureza sacramental da Igreja Católica na China”. O cardeal filipino sublinhou que “isto pode tranquilizar, confortar e animar os católicos batizados na China”, salientando que o sensus fidei testemunhado pelos fiéis do país “é sempre reconfortante”.

É “um testemunho precioso, que muitas vezes brotou não em jardins bem cultivados e protegidos, mas em terrenos acidentados e irregulares”, continuou ele. O Cardeal Tagle também reconheceu as muitas críticas que o acordo recebeu, dizendo que “a Santa Sé não ignora nem minimiza as diferentes reações dos católicos chineses ao acordo, onde a alegria de muitos se mistura com a perplexidade de outros. Contudo, salientou também que “nunca ninguém foi ingenuamente triunfalista” e que tudo isto faz parte de um longo processo que requer “sujar as nossas mãos com a realidade das coisas como elas são”.

“Há muitos sinais de que muitos católicos chineses compreenderam o que está a guiar a Santa Sé no processo em curso. Estão gratos e confortados por este processo, que confirma acima de tudo a sua plena comunhão com o Papa e a Igreja universal”, explicou ele. O cardeal filipino disse também que ouvir os argumentos e objeções do governo ajudou a compreender melhor a mentalidade dos seus interlocutores e a desenvolver novas formas de comunicação para a Igreja.

Vatican News, inglês


3E também na imprensa internacional…

O Vaticano realiza debate com ortodoxos sobre a primazia de Pedro

A 22 de Novembro, o Vaticano acolherá um debate entre um católico, um protestante e um teólogo ortodoxo sobre a primazia de Pedro, intitulado “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”.

Catholic News Agency, inglês

O Cazaquistão e a Santa Sé, 30 anos de relações diplomáticas

O Cazaquistão e o Vaticano celebram o 30º aniversário das suas relações diplomáticas e procuram reforçar a sua cooperação no campo da medicina e da ciência.

The Astana Times, inglês

Nos Estados Unidos, um país dividido e uma Igreja dividida

A polarização que divide os EUA também está presente entre os católicos, como evidenciado pelas conclusões do sínodo enviadas ao Vaticano.

Omnes, espanhol

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
Abusos SexuaisConfissãoResenha de ImprensaSacramentos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia