Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 03 Dezembro |
São Birino de Dorchester
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Qual é o dialeto italiano que o Papa Francisco aprendeu em casa na infância?

Papa Francisco na infância

AFP PHOTO/Bergoglio family

Papa Francisco na infância, em imagem sem data fornecida pela família Bergoglio

Francisco Vêneto - publicado em 21/11/22

"É fundamental manter viva a relação com as nossas raízes, para o nosso crescimento cultural e social e também para o desenvolvimento da nossa personalidade"

O Papa Francisco aprendeu um dialeto italiano em sua casa durante a infância, conforme ele próprio contou em algumas oportunidades.

O assunto voltou à tona por ocasião da visita que ele fez ao norte da Itália neste fim de semana para celebrar os 90 anos de idade da prima Carla Rabezzana.

O dialeto que o Papa aprendeu quando menino é o piemontês, que conta hoje com cerca de 2 milhões de falantes. Com as suas muitas variações regionais, como ocorre em praticamente todos os dialetos da Itália, o piemontês é falado não apenas no Piemonte, mas também em partes das regiões vizinhas, como a Ligúria.

Embora tenha nascido na Argentina, o Papa Francisco relata que o dialeto piemontês foi a “sua língua” desde que ele tinha 13 meses, ou seja, desde quando estava aprendendo a falar.

Nessa época, sua mãe teve o segundo filho e, como os avós “moravam a 30 metros de nossa casa”, era muito comum que a avó fosse buscá-lo para ajudar a cuidar dele:

“Minha avó vinha me buscar e eu ficava com eles falando piemontês. Pode-se dizer que ‘acordei para a vida’ em piemontês”.

O Papa acrescenta:

“Muitas vezes repito mentalmente dois poemas do [poeta piemontês] Nino Costa. E isso me comove”.

Os poemas a que Francisco se refere são a Oração a Nossa Senhora Consolata e “Rassa Nostra” (nossa raça). Ele aprendeu os dois com a avó.

No contexto da visita familiar, o Papa aproveitou para destacar novamente a importância do legado e das tradições culturais e familiares.

“As raízes são fundamentais em dois aspectos. O primeiro é cultural: nunca esquecer e negar as próprias raízes culturais. O segundo é familiar: devemos sempre cuidar e valorizar as nossas raízes familiares, principalmente as dos nossos avós. Acho que os jovens devem conversar o máximo possível com os avós, manter firmes as suas raízes, para não ficar parados sem olhar para o mundo. Os avós podem nos ajudar a encontrar a inspiração para seguirmos em frente e chegarmos longe. Mas se a árvore se desprende das raízes, ela não cresce: seca, morre”.

Francisco concluiu:

“É fundamental manter viva a relação com as nossas raízes, para o nosso crescimento cultural e social e também para o desenvolvimento da nossa personalidade”.

Tags:
CulturaFamíliaHistóriaPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia