Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Papa pede aos judeus e cristãos que façam tudo para acabar com a guerra na Ucrânia

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Pope Blesses at the end of his weekly general audience November 09 2022

Antoine Mekary | ALETEIA

I. Media - publicado em 23/11/22

Seu Boletim Direto do Vaticano de 23 de novembro de 2022
  1. Papa exorta judeus e cristãos a fazer “tudo o que for humanamente possível” para deter a guerra “sacrílega” na Ucrânia
  2. O Papa Francisco recebeu o novo embaixador lituano junto à Santa Sé

1Papa exorta judeus e cristãos a fazer “tudo o que for humanamente possível” para deter a guerra “sacrílega” na Ucrânia

Por Anna Kurian – “Como judeus e cristãos, vamos tentar fazer tudo o que for humanamente possível para acabar com a guerra e abrir caminhos de paz”, o Papa exortou os participantes da reunião do comitê diretor do Congresso Mundial Judaico no Vaticano. Ele chamou os crentes de ambas as religiões a limparem o “pântano da injustiça” no mundo.

“Reconheçamos juntos que a guerra, qualquer guerra, é sempre e em qualquer lugar uma derrota para toda a humanidade”, disse o chefe da Igreja Católica durante a audiência. Ele denunciou a guerra “sacrílega” na Ucrânia que “ameaça tanto judeus quanto cristãos, privando-os de seus afetos, suas casas, seus bens e até mesmo de suas vidas”.

Falando a este órgão, que está em diálogo com a Comissão do Vaticano para as Relações Religiosas com os Judeus, o Pontífice enfatizou a fé comum dos Judeus e Católicos, especialmente sua “visão semelhante” sobre o fim da existência, na confiança de que “não estamos caminhando para nada, mas para um encontro com o Altíssimo” que prometeu “um reinado eterno de paz”.

Assim, violência, opressão e exploração “não têm a última palavra”, disse o Papa, que em breve terá 86 anos, convidando-nos a “agir juntos” para “limpar” a “injustiça que está dilacerando o planeta”, que ele comparou a um “pântano onde as guerras e a violência estagnam”.

Para garantir que a paz “não continue sendo uma promessa do outro mundo, mas já seja uma realidade neste”, o Papa recomendou “coragem, colaboração e criatividade”. Ele também nos exortou a sermos guiados por Deus em vez de “meros interesses terrenos”. “Pouco ou nada podemos fazer se Deus não nos der força e inspiração”, insistiu ele.

Após a primeira reunião no Vaticano, o Presidente do Congresso Mundial Judaico, Ronald S. Lauder, anunciou ao Papa Francisco que a organização abriria um escritório “aqui mesmo na Cidade do Vaticano” para expressar seu “compromisso” com a Santa Sé.


2O Papa Francisco recebeu o novo embaixador lituano junto à Santa Sé

Por Cyprien Viet – A pintora e historiadora de arte Sigita Maslauskaitė-Mažylienė apresentou suas credenciais ao Papa Francisco na terça-feira como embaixadora da Lituânia junto à Santa Sé. O país católico havia sido visitado pelo Papa Francisco em setembro de 2018, como parte de sua visita aos Estados bálticos.

A artista e historiadora de 51 anos com um perfil atípico está assumindo sua primeira missão diplomática, mas ela já está familiarizada com Roma, tendo obtido o doutorado nos bens culturais da Igreja na Universidade Gregoriana em 2000. Ela também é doutora em arte e pintura pela Academia de Artes de Vilnius.

Ela ocupou vários cargos na Arquidiocese de Vilnius, incluindo pesquisadora e professora de arqueologia cristã no Seminário São José, na capital lituana, desde 2002. Ela ensina história da arte na Academia de Artes e na Universidade de Vilnius, no Centro de Estudos e Pesquisas Religiosas de 2003 a 2016 e no Departamento de Filosofia Continental e Estudos Religiosos desde 2018. Ela também é a diretora do Museu de Propriedades da Igreja Histórica na Lituânia.

Anteriormente unida à Polônia, a Lituânia é o único dos países bálticos a ser predominantemente católico, enquanto a Estônia é mais marcada pela Ortodoxia e a Letônia pelo Luteranismo. Estes três países, que fizeram parte da URSS até 1991, são no entanto fortemente influenciados pelo ateísmo e pela indiferença religiosa. Eles foram visitados por João Paulo II em 1993 e pelo Papa Francisco em 2018.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
GuerraResenha de ImprensaUcrânia
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia