Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Ciência revela que mostrar gratidão nos torna mais felizes

mulher feliz sorri com gratidão na natureza

Ground Picture | Shutterstock

Cerith Gardiner - publicado em 25/11/22

Ser grato gera muitos benefícios - e este é um bom momento para nos comprometermos novamente com a prática

Quando temos um verdadeiro sentimento de gratidão, estamos fazendo um grande favor a nós mesmos, de acordo com estudos relatados no Daily Health Post.

Os cientistas descobriram que o próprio ato de sentir-nos gratos é benéfico para nossa saúde. Um estudo liderado pelos psicólogos Dr. Robert Emmons, da Universidade da Califórnia em Davis, e Dr. Michael McCullough, da Universidade de Miami, se baseou no feedback de três grupos de pessoas sobre os efeitos físicos da prática da gratidão. O que eles constataram é que o cérebro responde a sentimentos genuínos de gratidão. Portanto, quando você ensina os seus filhos a dizer “obrigado”, você também está fazendo um favor a eles.

Durante a pesquisa, os psicólogos pediram aos diferentes grupos de estudo que registrassem informações diferentes: o primeiro manteve um diário de gratidão; o segundo anotou pontos que os incomodaram naquele dia; e o último apenas registrou os sentimentos daquele dia.

Após dez semanas, os pesquisadores puderam afirmar que as pessoas que expressaram gratidão diária se mostraram mais positivas e otimistas do que as dos outros grupos, além de estarem fisicamente mais dispostos, com menos idas ao médico do que os outros dois grupos.

Esse feedback positivo já é animador, mas estudos posteriores mostraram efeitos mais tangíveis da gratidão no indivíduo. Primeiro, as pessoas que praticam a gratidão sentem menos ansiedade e, portanto, têm melhores noites de sono. Por sua vez, o bom sono e o menor estresse reduzem as chances de insuficiência cardíaca.

Sendo o cérebro tão complexo, há efeitos ainda mais positivos da gratidão. Os cientistas descobriram que um dos neuroquímicos liberados pelo ato de gratidão é o hormônio do prazer, a dopamina – que, aliás, pode ser reexperimentada quando a pessoa revive a emoção da gratidão.

O artigo do Daily Health Post registra sobre a ciência da gratidão:

“O simples ato de escrever palavras gratas se mostrou associado a uma sensibilidade neural significativamente maior e duradoura à gratidão – os indivíduos que participaram da ação de escrever cartas de agradecimento mostraram aumentos comportamentais na própria gratidão e uma modulação neural significativamente maior pela gratidão no córtex pré-frontal medial depois de três meses”.

Estes fatos têm impacto positivo também nos adolescentes que expressam gratidão. O sentimento positivo advindo de sentir-se gratos parece criar um sentimento de autoestima no adolescente, bem como de compaixão pelos outros, segundo um estudo da Frontiers. Portanto, é uma prática a ser incentivada em qualquer adolescente, para que eles possam cuidar dos outros e, ao mesmo tempo, manter-se num caminho positivo ao longo desses anos conturbados.

Expressar gratidão pode ser útil ainda no casamento. Em vez de criticar e criticar, quando um cônjuge dedica tempo a mostrar gratidão ao outro, ele não apenas faz o outro sentir-se valorizado, mas ele próprio também sente prazer, conforme detalhado em relatório da Clinical Psychology Review.

A ciência da gratidão mostra que vale a pena fazer dessa atitude um hábito diário, como indivíduos e como família, para colher os frutos positivos que ela pode fazer germinar.

Você pode ler o artigo completo do Daily Health Post aqui.

Tags:
CiênciaFelicidadegratidaoVirtudes
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia