Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Relatório aponta islã e comunismo como causas principais de perseguição a cristãos

Perseguição aos cristãos

Christian Gennari | Aid to the Church in Need

Francisco Vêneto - publicado em 29/11/22

A perseguição aos cristãos se intensificou em 75% dos países pesquisados

A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) divulgou no último dia 22 de novembro o seu relatório anual sobre a situação da liberade religiosa no mundo, apontando que, na atualidade, o radicalismo do islã e o comunismo continuam sendo as causas principais de perseguição a cristãos em todo o planeta.

O relatório “Perseguidos, mas não Esquecidos”, que chegou à sua 8ª edição, cobre o período de outubro de 2020 a setembro de 2022, enfatizando a situação de 24 países que mais violam a liberdade religiosa. Os continentes mais problemáticos são a África e a Ásia, e, no caso deste último, com destaque negativo para o Oriente Médio.

A perseguição aos cristãos se intensificou em 75% dos países pesquisados.

África

Drástica piora foi registrada na Nigéria, onde mais de 7.600 cristãos foram assassinados só entre janeiro e junho de 2022 – o que representa a espantosa média de 1.266 cristãos assassinados por mês, em direta decorrência de perseguição religiosa.

O país vive uma longa onda de ataques do grupo fanático jihadista Boko Haram. Ainda assim, assombrosamente, o governo dos Estados Unidos retirou a Nigéria da sua lista de “Países de Preocupação Especial” no tocante à liberdade religiosa, o que deixou o episcopado nigeriano estarrecido e indignado.

Outros grupos terroristas adeptos do islã radical, que assolam países da África e do Oriente Médio, incluem o Al-Shabab e as células remanescentes do famigerado Estado Islâmico.

Ásia

Na Ásia, o regime comunista da Coreia do Norte continua ocupando o primeiro lugar entre os piores perseguidores religiosos, incluindo prisões em massa, escravidão em campos de concentração, assassinatos sumários, abortos forçados e infanticídios. A China continua sendo um grave destaque negativo em termos de opressão religiosa, o que é particularmente preocupante em se tratando de uma potência mundial.

Entre vários outros países da Ásia, também se destacam muito negativamente pelas graves violações à liberdade religiosa o Afeganistão, submetido há mais de um ano à brutal reconquista dos talibãs, e o Paquistão, com as suas aplicações arbitrárias e descaradamente manipuladas da lei islâmica “antiblasfêmia”, que condena facilmente cristãos à morte com base em acusações que sequer precisam ser comprovadas.

O continente asiático ainda apresenta o caso de Mianmar, antiga Birmânia, cujo regime militar imposto após o golpe de Estado de 2021 também se mostra ferrenhamente violento contra os cristãos.

A propósito do destaque negativo do radicalismo do islã e do comunismo entre as causas principais da perseguição aos cristãos no mundo atual, confira também o seguinte artigo:

Tags:
comunismoCristãosIdeologiaPerseguiçãoPolíticaReligião
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia