Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 27 Janeiro |
São João Maria, chamado Muzei ou Ancião
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Ucrânia, a reação da Rússia ilustra a lógica do “silêncio” papal

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
UKRAINE WAR DESTRUCTION

Metin Aktas | Anadolu Agency via AFP

I.Media para Aleteia - publicado em 30/11/22

O seu resumo das principais notícias do dia. Uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Quarta-feira, 30 de novembro de 2022

  1. Ucrânia: a reação da Rússia ilustra a lógica do “silêncio” papal
  2. Questões levantadas no Concílio Vaticano II sobre o celibato sacerdotal
  3. O Vaticano se opõe, mas será que a China se importa?
  4. O Vaticano perdeu o controle do sínodo alemão
  5. Patriarca Bartolomeu vai fazer visita histórica a Malta

1Ucrânia: a reação da Rússia ilustra a lógica do “silêncio” papal

Em sua entrevista com a revista jesuíta America, o Papa Francisco se defendeu contra acusações de silêncio excessivo em relação à Rússia. Alguns observadores acreditam que, assim como o Papa Pio XII é hoje criticado por seu “silêncio” durante o Holocausto, o Papa Francisco poderia um dia ser submetido a um julgamento histórico negativo por sua discrição em relação a Moscou. Mas os comentários do Papa Francisco sobre os abusos cometidos pelas tropas da Federação Russa em sua ofensiva na Ucrânia provocaram tal ira de Moscou que lançaram outra luz sobre o significado de suas palavras até então bastante matizadas e cautelosas. “Geralmente, os mais cruéis talvez sejam aqueles que são da Rússia mas não são da tradição russa, como os chechenos, os buriates e assim por diante”, disse o Papa, referindo-se a duas minorias étnicas que frequentemente fornecem tropas da linha de frente em conflitos da Rússia. Os chechenos, do sudoeste da Rússia, são predominantemente muçulmanos. Os buriates, por outro lado, são um grupo étnico mongol da Sibéria oriental, que tradicionalmente segue as crenças budistas e xamânicas.

“É bem possível que Francisco pretendesse com este comentário uma abertura indireta a Moscou, uma forma de dizer que os próprios russos podem não ser tão sedentos de sangue quanto pareceriam”, observa Crux, observando que o resultado foi exatamente o oposto. A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo Maria Zakharova denunciou as palavras do Papa como uma “perversão da verdade”, acusando o bispo de Roma de querer dividir as forças russas: “Somos uma família com os buriates, chechenos e outros representantes de nosso país multinacional e multi-fé”, escreveu ela. Vários líderes políticos e religiosos dessas regiões também condenaram as observações do Papa.

Enquanto isso, a organização pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre relatou a prisão de dois padres católicos na cidade portuária russa de Berdiansk, no sudeste da Ucrânia. Um jornal italiano já sugeriu que esta é uma forma de “chantagem para forçar Francisco ao silêncio”. Esta situação pode forçar o Papa a reverter a aproximação com a Ucrânia mostrada nos últimos dias.

Crux, inglês


2Questões levantadas no Concílio Vaticano II sobre o celibato sacerdotal

O professor de religião Gilberto Borghi levantou questões sobre o decreto do Concílio Vaticano II sobre o sacerdócio, Presbyterorum Ordinis, que trata da obrigação do celibato sacerdotal na Igreja Latina. Em particular, assinala que o texto admite que a decisão da Igreja não deriva da forma como Cristo constituiu o sacramento da Ordem, mas de sua própria escolha, “que em si não é divinamente vinculante e, portanto, também pode ser revogada”. Para se justificar, o decreto explica que, com o celibato, a missão do sacerdote atinge uma potencial perfeição. No entanto, Gilberto Borghi afirma, se este for o caso, “é difícil se livrar da ideia de que os padres casados [da Igreja Oriental ou de origem anglicana] são de segunda classe”.

O pesquisador também acredita que, se o celibato deve ser abraçado livremente pelo padre, faria mais sentido que fosse opcional, ao invés de obrigatório, para ter uma escolha real fora de “uma regra externa”. Finalmente, o mesmo texto do Concílio afirma “a superioridade da virgindade consagrada a Cristo”. São João Paulo II, observa Gilberto Borghi, foi contra esta afirmação durante a audiência de 14 de abril de 1982, quando declarou que “nas palavras de Cristo sobre a continência para o Reino dos Céus, não se trata da inferioridade do casamento”. As palavras do Novo Testamento “não fornecem nenhuma razão para apoiar a inferioridade do casamento ou a ‘superioridade’ da virgindade ou do celibato”, disse o Papa polonês.

Vino nuovo, italiano


3E TAMBÉM NA IMPRENSA INTERNACIONAL…

O Vaticano se opõe, mas será que a China se importa?

A nomeação de um bispo na China foi um ato calculado de provocação por parte de Pequim, ou prova de sua indiferença casual para com o Vaticano? (Análise)

The Pillar, inglês

O Vaticano perdeu o controle do sínodo alemão

No cabo de guerra entre a Igreja Católica na Alemanha e o Vaticano, Le Figaro vê uma crise sintomática das mudanças ocorridas na Igreja, e cuja questão principal é a do poder – e de fazer evoluir a teologia católica. (Análise)

Le Figaro, francês

Patriarca Bartolomeu vai fazer visita histórica a Malta

O Patriarca Ecumênico de Constantinopla visitará Malta de 4 a 7 de dezembro, a convite do Arcebispo Charles Scicluna. Durante esta primeira visita de um Patriarca da Igreja Ortodoxa Oriental, ele também se reunirá com o Presidente da República e os bispos do país.

Newsbook, inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
GuerraPapa FranciscoResenha de ImprensaUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia