Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 27 Janeiro |
São João Maria, chamado Muzei ou Ancião
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

O impactante Castelo de Xavier, onde nasceu o grande evangelizador do Extremo Oriente

Castelo de Xavier ou Javier

Shutterstock | oksmit

Dolors Massot - publicado em 02/12/22

São Francisco Xavier nasceu e viveu nesse castelo até partir para estudar em Paris, onde conheceria Santo Inácio de Loyola

O impactante Castelo de Xavier faz parte do grande patrimônio cultural e religioso de Navarra, na Espanha. É uma sólida e poderosa fortaleza medieval que já se avista de longe quando se vai visitar esse monumento de quase mil anos.

As pedras contundentes, erguidas no século X, falam de história viva, principalmente porque ali nasceu e viveu São Francisco Xavier. Quem é que iria imaginar que dali, em plena Idade Média, surgiria um homem determinado a levar o Evangelho até os confins do Extremo Oriente!

Francisco era filho dos senhores de Javier, como se escreve em espanhol, ou Xavier, na forma aportuguesada. Ele nasceu em 7 de abril de 1506, caçula de cinco irmãos. Até os 22 anos, quando partiu para estudar na Sorbonne, em Paris, Javier foi o seu território.

Em Paris, Francisco se tornaria amigo do também futuro santo Inácio de Loyola, que lhe marcaria profundamente a alma ao fazer-lhe a pergunta do próprio Jesus Cristo: “De que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se perder a própria alma?”.

Javier tem uma disposição geográfica de grande beleza. Situa-se a 52 quilômetros de Pamplona e a de Sangüesa, no sopé dos Pirineus navarro-aragoneses e na confluência dos antigos reinos de Aragão e Navarra.

O nome Javier vem da variante dialetal do basco etxeberri e quer dizer “casa nova”. Em basco, pode ser encontrado escrito como Xabier.

Do lado de fora do monumento, pode-se ver que uma basílica foi adicionada ao castelo medieval no século XIX.

Castelo de Xavier ou Javier

Composição através dos séculos

A construção é composta por três corpos, escalonados por ordem de antiguidade. Destaca-se a Torre del Santo Cristo, baluarte e capela onde se encontra um crucifixo tardo-gótico. Também a Torre de Menagem, chamada San Miguel, que é a parte mais antiga do castelo. E, finalmente, o museu dedicado à vida de São Francisco Xavier.

Nos porões do castelo foram encontradas bases de colunas muçulmanas que podem ser datadas do século X. No século XII formou-se o primeiro recinto circundante, que continha os primeiros quartos. No XIII, seguindo os quatro pontos cardeais, foram acrescentados dois corpos poligonais e mais duas torres.

Castelo de Xavier ou Javier

Pagamento por um empréstimo

Originalmente, o castelo de Javier pertencia a um nobre aragonês que, ao precisar de dinheiro, pediu um empréstimo de 9.000 “sueldos” ao rei dom Sancho VII de Navarra. O rei concedeu a quantia e o nobre pôs o castelo como garantia. Não conseguindo pagar o empréstimo, teve de ceder a propriedade ao monarca. O mesmo sistema levou diversos castelos e vilas da Coroa de Aragão a passarem para as mãos de Navarra: Escó, Peña, Petilla, Gallur, Trasmoz, Sádaba… Assim, Navarra conseguiu fortalecer a fronteira com o reino vizinho.

No ano de 1236, o castelo de Javier passou para as mãos de Adán de Sada, a quem foi dado pelo rei Teobaldo I. Após a conquista de Navarra, tanto o castelo quanto a cidade vieram a pertencer a María de Azpilicueta, antepassada de São Francisco Xavier por linhagem materna.

O cardeal Cisneros ordenou a sua demolição

O casal María de Azpilicueta e Juan de Jaso defendia a independência de Navarra, motivo pelo qual o cardeal Cisneros ordenou a demolição do castelo em 1516. Apenas algumas partes, porém, foram de fato afetadas: a muralha que o rodeava e protegia foi demolida, o fosso foi aterrado para não deixar o castelo isolado, duas torres redondas e dois grandes portais foram destruídos, a ponte levadiça foi demolida e a Torre de San Miguel foi rebaixada até a metade.

No século XIX, depois de várias sucessões de heranças, o castelo de Javier passaria para as mãos da Casa de Villahermosa. Começaram as obras de restauração financiadas pelos proprietários, a Duquesa de Villahermosa e o Conde de Guaqui. Quando ele morreu repentinamente, sua família assumiu as obras. Foi então que se construiu a basílica anexa ao castelo. Pertencem ainda a este período as casas para sacerdotes e para os exercícios espirituais – cabe registrar que São Francisco Xavier foi um dos mais próximos colaboradores de Santo Inácio de Loyola, o criador dos exercícios.

A “Javierada”

JAVIERADA

O Castelo de Javier é visitado anualmente por milhares de peregrinos. A data mais importante, sem dúvida, é a “Javierada”, no início de março, em homenagem ao padroeiro de Navarra, Santo Inácio de Loyola.

Tags:
ArteCulturaHistóriaSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia