Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: “Paz”, a litania natalina do Papa

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Pope Francis Angelus prayer December 26, 2022

Antoine Mekary | ALETEIA

I. Media - publicado em 27/12/22

Seu Boletim Direto do Vaticano de 27 de dezembro de 2023
  1. “Paz”, a invocação do Papa no Angelus de Santo Estêvão
  2. “A única força que muda o curso da história é o amor”, diz o Papa

1“Paz”, a invocação do Papa no Angelus de Santo Estêvão

Por Anna Kurian: “Paz nas famílias, (…) paz para as populações atormentadas pela guerra”: O Papa Francisco formulou uma ladainha pedindo paz durante o Angelus que presidiu em 26 de dezembro, para a festa de Santo Estêvão, no dia seguinte ao Natal.

Da Praça de São Pedro, no “clima espiritual de alegria e serenidade do Natal”, o Papa renovou seus desejos “de paz”. “Paz nas famílias”, desejava ele, “paz nas comunidades paroquiais e religiosas, paz nos movimentos e associações, paz para as populações atormentadas pela guerra”.

O Papa pediu especialmente pela paz “para a querida Ucrânia martirizada”, observando as muitas bandeiras ucranianas exibidas na praça. “Peçamos a paz para este povo martirizado”, exclamou ele.

Finalmente, ele expressou sua “gratidão” aos fiéis pelas mensagens de bons votos recebidos no final do ano, agradecendo-lhes pelo “dom da oração”.


2“A única força que muda o curso da história é o amor”, diz o Papa

Por Anna Kurian – “A única força que muda o curso da história é o amor”, disse o Papa Francisco ao celebrar a Missa de Natal na Basílica de São Pedro em 24 de dezembro. De Roma, o chefe da Igreja Católica fez um apelo especial pelas crianças que sofrem, assegurando que “na criança de Belém, há todas as crianças”.

Dois mil anos após o nascimento de Jesus, o Papa exortou as pessoas a não deixarem “decorações” e “presentes” enterrar o verdadeiro significado do Natal. Da basílica onde cerca de 7.000 fiéis estavam reunidos – enquanto mais de 3.000 pessoas acompanhavam a missa nas telas da Praça de São Pedro – ele fez uma meditação baseada no símbolo do presépio do recém-nascido, que traz à Natividade “proximidade, pobreza e concretude”.

Criticando “a ganância de consumir”, ele lamentou que neste Natal, “mais uma vez, a humanidade, insaciável com dinheiro, poder e prazer, não deixe espaço para os menores, as muitas crianças por nascer, os pobres e os esquecidos”. Ele estava especialmente preocupado com as “crianças devoradas pelas guerras, pela pobreza e pela injustiça”.

Para aqueles que pensam ter “atingido o fundo do poço”, o pontífice de 86 anos lhes assegurou que “não há mal, não há pecado do qual Jesus não esteja disposto e capaz de salvá-los”. E formulou a mensagem de Deus para cada homem na noite de Natal: “Se sua culpa e inépcia o devoram, se você tem fome de justiça, eu, Deus, estou com você”. Eu sei o que você está passando, eu o experimentei naquela manjedoura. Eu conheço sua miséria e sua história. Nasci para lhes dizer que estou e estarei sempre perto de vocês.

“Não vamos deixar passar este Natal sem fazer algo de bom

Ao redor de Jesus na manjedoura, o Papa indicou, existem apenas “pessoas pobres, unidas pelo afeto e pelo espanto, não por riquezas e grandes possibilidades”. Pois “as verdadeiras riquezas da vida” não são “dinheiro e poder”, mas “relacionamentos e pessoas”. “A única força que muda o curso da história é o amor”, acrescentou, salientando que Deus nasce na história “para dar vida à história”.

“Não deixemos passar este Natal sem fazer algo de bom”, exortou o sucessor de Pedro, para quem “sem os pobres, não é realmente Natal”. Ele sugeriu oferecer a Jesus por seu aniversário “presentes que são agradáveis para Ele”, “revivendo um pouco de esperança naqueles que a perderam”.

As “teorias”, “belos pensamentos”, “sentimentos piedosos”, “aparências” e “boas intenções” não são suficientes, o Papa afirmou durante sua homilia, lembrando-nos que Deus “não nos amou com palavras, não nos amou por risos”! Ele conclamou os cristãos a levarem aos pés do presépio as justificativas s e hipocrisias e a cultivarem “uma fé concreta, feita de adoração e caridade”.

No início da celebração, uma estátua do Menino Jesus foi revelada em frente ao altar, rodeada por crianças da Itália, Índia, Filipinas, México, San Salvador, Coréia e Congo, carregando flores.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
Direto do VaticanoNatalPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia