Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 07 Fevereiro |
Bem-aventurado Guilherme Saultemouche
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Os católicos chineses ainda no limbo

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
ROSARY,CHINA,POPE FRANCIS

Antoine Mekary | Aleteia

I.Media para Aleteia - publicado em 27/12/22

O seu resumo das principais notícias do dia. Uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Terça-feira 27 de dezembro

  1. Entre Xi Jinping e o Papa, os católicos da China ainda estão no limbo
  2. RDC: A próxima visita do Papa aumenta as esperanças na região conturbada
  3. As questões preocupantes levantadas pelo caso Rupnik
  4. Belarus, um local para negociações russo-ucranianas?
  5. Na Índia, a batalha litúrgica continua

1Entre Xi Jinping e o Papa, os católicos da China ainda estão no limbo

Neste longo artigo de análise, Worldcrunch olha para a história do acordo Sino-Vaticano, renovado duas vezes desde 2018, para resolver a situação dos católicos chineses, após os esforços de três papas. O conteúdo do acordo permanece secreto, mas seu único título, “Nomeações Episcopais”, sugere que os quatro anos do acordo têm sido pouco claros, com apenas seis bispos nomeados e nenhum novo bispo nomeado desde setembro de 2021. A comunidade clandestina leal a Roma também sofreu, com seis bispos clandestinos oficialmente reconhecidos e o futuro de mais de 20 outros ainda incertos. O processo de duplo consentimento entre a Santa Sé e Pequim impediu o reaparecimento de bispos ilegítimos, mas o caminho para promover a reconciliação continua rochoso. Worldcrunch a vê como uma dança de tango, onde o Papa Francisco tem um parceiro de dança “constrangedor”, que “ignora até mesmo a presença da outra parte”. Três anos após o surto de Covid-19, as relações Sino-Vaticanas esfriaram, com o Partido Comunista recusando repetidamente conversas face a face por motivos de controle de epidemias. Embora o contato tenha sido mantido, as reuniões em Pequim e Roma, que se alternavam a cada poucos meses, foram suspensas. Mas no final de agosto, a Santa Sé recebeu subitamente um convite da China, quando o Partido Comunista Chinês estava se preparando para o 20º Congresso Nacional.

Além de renovar o acordo, a Santa Sé pediu ao Partido Comunista Chinês o reconhecimento oficial dos bispos clandestinos e uma redefinição de diocese, e expressou preocupação com a acusação do Cardeal Emérito Joseph Zen em Hong Kong. Entretanto, o acordo foi prorrogado intacto por mais dois anos. Trata-se, analisaram os especialistas, de deixar de lado as questões diplomáticas e concentrar-se em assuntos eclesiais. Como resultado, o Vaticano é criticado por seu silêncio sobre Hong Kong, Tibete, Xinjiang e Taiwan. Alguns opositores ao acordo acusaram o Papa Francisco de vender a Igreja chinesa e de trair os fiéis clandestinos. Para um padre local, porém, “o Papa Francisco é um homem de ação, o que requer mais coragem”. Alguém sempre tem que começar (negociando com os comunistas), e isso já é difícil o suficiente quando se está administrando uma pequena paróquia, muito menos algo tão importante quanto um acordo (nacional). O Vaticano está agora numa posição difícil – conclui o artigo – e se o acordo não for renovado, Pequim poderia retaliar perseguindo os católicos chineses, ou voltando a suas antigas formas de nomear bispos ilegais, dividindo ainda mais a Igreja.

Worldcrunch, inglês


2RDC: A próxima visita do Papa aumenta as esperanças na região conturbada

Após um novo surto de violência no leste da República Democrática do Congo, a população local espera que a visita do Papa Francisco em fevereiro possa trazer calma à região conturbada. Nos últimos meses, segundo Africa News, o grupo rebelde M23, apoiado pelo vizinho Ruanda, conquistou grandes áreas no leste do país e avançou para algumas dezenas de quilômetros de Goma, a capital da província de Kivu do Norte. De acordo com uma investigação preliminar da ONU, pelo menos 131 civis foram massacrados nas aldeias de Kishishe e Bambo nos dias 29 e 30 de novembro pelo grupo rebelde de 23 de março, que é principalmente da etnia Tutsi.

A região é rica em recursos minerais que têm alimentado muitos anos de luta. O padre Martin Yuremye, padre da paróquia de Kanyaruchinya, perto da cidade de Goma, onde muitas pessoas desalojadas pelos massacres se refugiaram, disse que a visita de Francisco trará esperança a todo o país. Em uma primeira viagem planejada e cancelada em junho passado, o papa deveria visitar a região de Goma. O destino foi posteriormente retirado da viagem. “Ao visitar Kinshasa, acho que ele está levando o país inteiro, que conhece todas as dificuldades que o povo do Oriente está sofrendo. Portanto, a mensagem que ele nos traz é uma mensagem de paz e é uma mensagem que nos conforta. Estamos orgulhosos por ele estar visitando nosso país”, disse o padre.

Africa News, inglês


3E também na imprensa internacional…

As questões preocupantes levantadas pelo caso Rupnik

As acusações contra o sacerdote-artista esloveno estão crescendo e levantam questões sobre como seu caso foi tratado pelo Vaticano, bem como pela Companhia de Jesus, a ordem religiosa à qual ele pertence.

La Croix, francês

Belarus, um lugar para as negociações russo-ucranianas?

Belarus pode se tornar o centro das negociações e contribuir para a paz na Ucrânia, diz o Núncio Apostólico na República de Belarus, Dom Ante Jozic.

TVR, inglês

A batalha litúrgica continua na Índia

O Cardeal George Alencherry, Arcebispo Maior e chefe da Igreja Syro-Malabar, e o Arcebispo Andrews Thazhath, Administrador Apostólico da Arquidiocese de Ernakulam-Angamaly, anunciam ação contra os cristãos que utilizaram a Catedral de Santa Maria em Ernakulam como local de protesto durante dois dias antes das celebrações de Natal, na guerra litúrgica em curso.

The Hindu, Inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Resenha de Imprensa
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia