Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 07 Fevereiro |
Bem-aventurado Guilherme Saultemouche
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Bento XVI, “santo já”? Quem pode decidir?

Papa Bento XVI é aclamado por fiéis como "santo já" e pode vir a tornar-se Doutor da Igreja

Giulio Napolitano / Shutterstock

Gelsomino Del Guercio - publicado em 05/01/23

O Papa Francisco encurtou o processo de canonização de João XXIII em 2014 - e o próprio Ratzinger tinha encurtado o de João Paulo II

Não perca a Missa internacional por aqueles que precisam de cura. Levaremos suas intenções até o altar - de graça. Clique neste botão para enviar a sua intenção👇

Intenção de missa e oração pelos doentes

“Santo subito”, pediam cartazes em italiano na Praça de São Pedro durante o funeral de Bento XVI: ou “santo já”, em bom português.

Mas há chances de um processo rápido de canonização para o Papa Emérito falecido neste último 31 de dezembro, tal como foi rápido no caso de São João Paulo II, falecido em 2005 e já canonizado em 2014?

“Não será puxado o freio”

Alberto Melloni, historiador das religiões, defende que o início de um possível processo de canonização de Joseph Ratzinger dependerá, entre outros fatores, também da vontade do Papa atual, Francisco. E “ele não vai puxar o freio”, afirma o especialista.

Estratégia de Francisco

Melloni acrescenta:

“Francisco está numa posição em que tem que decidir se cria um precedente. Se ele renunciar, será difícil para o seu sucessor não agir como os dois antecessores. E se ele canonizar o seu antecessor, será impossível que o seu sucessor não o canonize”.

Por isso, o Papa Francisco poderia optar por deixar que outras pessoas requisitem a canonização de Bento, sem, contudo, impedir o prosseguimento da causa.

Precedentes de Papas santos

Mas o caminho rumo aos altares, mesmo para um Papa, é muito mais complicado do que se pensa.

Melloni recorda que os dois Papas da reforma gregoriana, Leão IX e Gregório VII, foram canonizados após períodos de tempo muito diferentes: o primeiro precisou de “apenas” 27 anos, mas o segundo levou cinco séculos. Até Pio V teve de esperar um século e meio depois da morte para ser canonizado, enquanto Pio XII permanece como venerável até hoje.

O Papa Francisco abreviou o processo de canonização de João XXIII em 2014 e o próprio Ratzinger tinha abreviado o de João Paulo II, cuja causa de beatificação foi aberta poucas semanas após a morte, sem a espera prevista pelo código canônico.

O processo de canonização

Um processo de canonização é acompanhado pela Congregação para as Causas dos Santos, cuja sede fica num edifício a poucos metros da Praça de São Pedro. Como num tribunal, é nessa instância que se instruem as causas que podem levar à proclamação da santidade de uma pessoa depois da sua morte.

Os trâmites, porém, não começam em Roma: tudo tem início com a proposta de abertura do processo, que precisa ser aceito pelo bispo da Igreja local onde o candidato passou a vida e trabalhou. A partir dessa aprovação é que começa o processo propriamente dito.

Antes de ser canonizado, o candidato aos altares precisa ser reconhecido como servo de Deus, venerável e beato: portanto, o reconhecimento como santo é o último degrau de uma longa escada – que, via de regra, ainda passa pelo reconhecimento de dois milagres obtidos por meio da sua intercessão junto a Deus, os quais precisam ser comprovados por peritos independentes que os atestem como fatos inexplicáveis pela ciência.

O que Francisco escreveu sobre Bento XVI

Até agora, o Papa Francisco não falou oficialmente em “reputação de santidade” no caso de Bento XVI, mas afirmou que, pessoalmente, o considera um santo.

Além disso, ele afirma o seguinte no prefácio do livro póstumo de Ratzinger: “O pensamento e magistério de Bento XVI é e será sempre fecundo no tempo”, porque “a busca do diálogo com a cultura do próprio tempo sempre foi um desejo ardente de Joseph Ratzinger. Ele, primeiro como teólogo e depois como pastor, nunca se confinou a uma cultura puramente intelectualista, desencarnada da história dos homens e do mundo”.

Francisco acrescenta: “Bento XVI fazia teologia de joelhos. A sua argumentação da fé se realizava com a devoção de um homem que se abandonou inteiramente a Deus e que, sob a guia do Espírito Santo, procurava uma compreensão cada vez maior do mistério daquele Jesus que o fascinara desde tenra idade”.

Tags:
Bento XVIPapaSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia