Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Bispo preso há 5 meses vai a julgamento na Nicarágua

Bispo da Nicarágua

STR / AFP

Ricardo Sanches - publicado em 11/01/23

A Justiça decidiu que o religioso crítico ao governo de Daniel Ortega continuará em prisão domiciliar até ser julgado

Dom Rolando Álvarez, bispo de Matagalpa, Nicarágua, foi ouvido pela Justiça do país nesta terça-feira, 10 de janeiro de 2023. Preso desde agosto de 2022, o bispo é acusado de promover “conspiração para atentar contra a integridade nacional” e “divulgação de notícias falsas sobre o Estado”.

A Justiça afirmou que, na audiência, “a troca de informações probatórias foi admitida e o caso (contra D. Rolando Álvarez) foi enviado a julgamento”. Entretanto, a data não foi definida.

A juíza também confirmou a decisão de manter o bispo em prisão domiciliar na capital do país até ele ser julgado.

Em 13 de dezembro passado, o Tribunal recebeu e aceitou a denúncia do Ministério Público contra Álvarez, nomeou um defensor público para o caso e ordenou que ele permanecesse em prisão domiciliar.

Quem é D. Rolando Álvarez

Dom Rolando Álvarez, de 56 anos, sempre foi um forte crítico à ditadura de Daniel Ortega, na Nicarágua. Em maio de 2018, fez parte de uma equipe da Conferência Episcopal que tentava fazer a mediação entre Ortega e a oposição. O diálogo rapidamente foi interrompido, levando a fortes protestos que foram recebidos com violenta repressão por parte da segurança nacional. As tensões aumentaram desde então.

Em maio de 2022, ele anunciou um jejum para protestar contra a perseguição à Igreja pelas autoridades nicaraguenses. Depois de se manifestar contra o fechamento de várias estações de rádio católicas por Ortega, Álvarez foi colocado em prisão domiciliar (irregular e forçada).

“Mesmo nesta situação mantemos nossa alegria, força e nossa paz interior. Continuamos mostrando ao mundo que, graças ao Espírito Santo, somos homens e mulheres com capacidade de diálogo”, afirmou Dom Álvarez em um vídeo de 11 de agosto, quando já estava em prisão domiciliar.

Tags:
ditaduraIgrejaPerseguição
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia