Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 27 Janeiro |
São João Maria, chamado Muzei ou Ancião
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

A virtude de ser um reclamão

Woman with arms folded looking irritated

file404 / Shutterstock

Michael Rennier - publicado em 18/01/23

Todos nós precisamos reclamar de vez em quando, mas há uma maneira correta fazê-lo

Sempre fui da opinião que ficar reclamando é algo extremamente negativo. As pessoas que habitualmente reclamam lutam para encontrar soluções positivas para contratempos, e suas palavras cínicas começam a moldar o modo como pensam. Os queixosos sempre pareceram menos felizes do que os otimistas, quase como se eles mesmos se convencessem de que são infelizes. Neste sentido, os reclamões são seus próprios piores inimigos.

Sempre que me vejo caindo em um padrão de reclamação – o que acontece mais do que eu gostaria de admitir – percebo que alguma coisa saiu errado. Algo está me incomodando e estou tendo problemas para colocar o dedo na ferida, então encurralei um pobre amigo e desabafei. Eu continuo, fixando-me em minha infelicidade, e não deixo que meu amigo receba uma palavra positiva. É super irritante, tenho certeza.

Talvez você tenha estado no final de uma sessão de reclamação como esta. Se assim for, você provavelmente sabe que o reclamão realmente não tem interesse em ouvir uma solução para a reclamação. No mínimo, quer sentir-se ouvido. Assim, compartilhar uma reclamação pode ser uma maneira fácil de criar laços, especialmente se ambos compartilham a mesma opinião. Reclamar, nesse sentido, pode aproximar duas pessoas quando ambas se sentem validadas e apoiadas.

O problema é que nós reclamamos demais.

Não é raro reclamar até 30 vezes por dia, mas simplesmente não vejo como isso seja saudável. Detestaria que todas as minhas interações ao longo de um dia fossem tão negativas. Eu gostaria de pensar que posso me conectar com meus amigos de outras formas mais interessantes e positivas.

Reclamar é tão bom quando começamos, no entanto, é difícil parar. Torna-se um festival de queixas. Mas se nos tornarmos negativos demais, aqueles amigos que no início eram compreensivos ficarão aborrecidos, pois o bate-papo sempre se transforma em uma sessão de desabafo.

Além disso, o que tenho notado é que, inicialmente, pode ser bom deixar minhas opiniões negativas voar livre e soltas, mas isso deixa todos se sentindo pior no final. Frequentemente, eu me reprovo mais tarde e prometo nunca mais me comportar dessa maneira.

Este é o lado negativo de reclamar.

Está na Bíblia.

Não posso deixar de notar, no entanto, enquanto rezo através dos Salmos durante minhas orações diárias, que o salmista faz muitas reclamações. Tanto que os estudiosos das Escrituras se referem a um certo tipo de salmo como um “Salmo de Lamento”. Em outras palavras, o Salmo é uma sessão de reclamação com Deus.

Como padre, as pessoas frequentemente vêm a mim e expressam culpa sobre como têm reclamado a Deus, ou mesmo culpando-O pelo mal em suas vidas. Eu lhes digo que Deus pode lidar com isso. De fato, como mostram os Salmos, feito da maneira correta, queixar-se faz parte de um relacionamento real, não envernizado. Uma vida espiritual forte – ou casamento, ou amizade – inclui a queixa ocasional. É assim que descomprimimos e seguimos em frente. Honestidade e transparência são vitais para qualquer relacionamento.

Todos nós precisamos reclamar de vez em quando, mas há uma maneira correta

Em primeiro lugar, a frequência é importante.

A apresentação de reclamações deve ser muito mais rara do que 30 vezes por dia. Para mim, essa alta taxa de negatividade indica um vício ou uma alegria perversa em se sentir como vítima. Note que os Salmos não são reclamações de ponta a ponta. De fato, há muitos Salmos de ação de graças, louvor e alegria. Para cada reclamação, lembre-se de duas (ou mais) coisas pelas quais você está grato.

Em segundo lugar, reclamar para a pessoa certa.

Não reclame a alguém que será afetado negativamente por seus problemas. E não fique reclamando sobre a mesma coisa repetidamente para várias pessoas. Diga-o uma vez a um confidente de confiança e acabe com isso.

Por exemplo, tenho um grupo de padres com os quais compartilho reclamações. Eles são compreensivos e discretos. Eu nunca compartilharia essas mesmas reclamações com mais ninguém. A Igreja não é perfeita, mas um padre queixoso e negativo pode fazer parecer terrível quando, na verdade, a Igreja é maravilhosa. Em muitos aspectos, a Igreja Católica salvou minha vida. Seria uma pena se o hábito de reclamar obscurecesse esse fato e eu o esquecesse. Quando tenho reclamações, as expresso às pessoas certas e depois deixo a reclamação para trás.

Não busque confidentes que não o desafiarão se sua reclamação não tiver fundamento. É bom reconhecer uma falha, mas ela se torna insalubre quando tudo o que você faz é falar sobre ela em vez de encontrar uma maneira de corrigi-la ou de corrigir sua própria atitude em relação a ela.

Em terceiro lugar, reclamar por uma razão específica.

Processe uma emoção. Avalie a situação. Encontre uma solução. Os momentos em que me sinto pior são quando sei que tenho vomitado negatividade tóxica sem razão absolutamente nenhuma.

Reclamar, como tudo o mais, pode ser um vício ou uma virtude. Está tudo na forma como lidamos com isso. Talvez o verdadeiro dom de reclamar seja o reconhecimento realista de que a vida não é perfeita, mas mesmo assim tudo ficará bem. Como diz o salmista: “Eu derramo minha queixa diante de Deus; eu conto meu problema diante dele”. Você sempre pode falar com alguém e sentir-se compreendido. Nenhum de nós está sempre sozinho.

Tags:
AmizadeCasamentoValoresVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia