Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

São Francisco de Sales era cético em relação aos que se diziam místicos

Homem rezando: fé não é meras palavras

PeopleImages.com - Yuri A | Shutterstock

Philip Kosloski - publicado em 24/01/23

O santo prestava muita atenção à vida real de um místico para discernir se ele estava ou não sendo enganado por Satanás

São Francisco de Sales era cético em relação a qualquer pessoa que alegasse ter visões místicas ou uma vida espiritual de aparências chamativamente profundas, mas que, ao mesmo tempo, não fosse caridosa para com o próximo.

O Papa Francisco cita os escritos deste santo sobre esse mesmo tema na sua carta apostólica Totum amoris est.

Quando se encontra uma pessoa que, na oração, tem arrebatamentos por meio dos quais sai e se eleva acima de si mesma até Deus, mas não tem êxtase de vida, isto é, não leva uma vida elevada e unida a Deus (…) sobretudo por meio duma incessante caridade, acredita-me, Teótimo, todos os seus arrebatamentos são muito duvidosos e perigosos.

São Francisco de Sales dá um passo além e afirma que, se um místico não leva uma vida de caridade, as suas experiências espirituais podem proceder do próprio Satanás.

Estar acima de nós mesmos na oração, mas abaixo de nós mesmos na vida e na ação, sendo angélicos na meditação, mas brutos na conversação, é um verdadeiro sinal de que tais arrebatamentos e êxtases não passam de desvios e enganos do espírito maligno.

As palavras de São Francisco de Sales são um lembrete a todos nós de que, embora a vida espiritual seja importante, ela deve refletir-se nas nossas obras.

Nosso amor a Deus naturalmente nos leva a um amor mais profundo pelo próximo.

Tags:
CaridadeDemônioEspiritualidadeOraçãoSantos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia