Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 26 Janeiro |
Santa Paula Romana
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Nova Iorque começa a distribuir pílulas abortivas gratuitamente

mulher com dor representa riscos de pílulas abortivas indiscriminadas

fizkes | Shutterstock

J-P Mauro - publicado em 25/01/23

Cidade planeja abrir mais três clínicas que distribuiriam pílulas suficientes para 10 mil abortos por ano

A cidade de Nova Iorque se tornou na semana passada a primeira dos Estados Unidos a oferecer pílulas abortivas gratuitamente à população, numa clínica do bairro do Bronx.

Além de a cidade já manter onze hospitais que realizam abortos cirúrgicos, o prefeito Eric Adams quer expandir o acesso ao que chama de “serviços de saúde reprodutiva” mediante a oferta das pílulas abortivas. Para isso, outras três clínicas habilitadas para essa distribuição serão abertas nos bairros de Harlem, Queens e Brooklyn. Elas poderão distribuir pílulas suficientes para provocar 10 mil abortos por ano.

No início de janeiro, a Food and Drug Administration (FDA), agência do governo norte-americano equivalente à Anvisa no Brasil, anunciou um afrouxamento das restrições aos assim chamados “medicamentos indutores de aborto” para uso doméstico. Ou seja, tornou-se mais fácil fazer aborto em casa recorrendo a medicamentos específicos. Para facilitar ainda mais a cultura do aborto, a prefeitura nova-iorquina resolveu distribuir esses medicamentos de modo gratuito – leia-se pago pelo contribuinte.

O portal católico OSV News observa que a FDA admitiu que as pílulas abortivas e seus genéricos aprovados geraram sérias preocupações de segurança quando foram submetidos a um programa de avaliação e mitigação de riscos. Mesmo assim, a FDA informou que, em sua análise, “os benefícios do medicamento superam seus riscos”. Os mesmos medicamentos são usados para induzir o parto em gestantes que sofreram aborto espontâneo precoce.

Estima-se que esses medicamentos, que podem provocar o aborto no primeiro trimestre da gestação, representaram 53% de todos os abortos realizados em clínicas dos EUA em 2020.

Os números devem aumentar bastante, agora que não é mais necessária nenhuma visita médica presencial para iniciar o processo. A facilitação começou em 2021, quando, devido à pandemia e às suas restrições à mobilidade, a FDA permitiu consultas médicas virtuais e entregas de remédios pelo correio.

Tags:
AbortoIdeologiaPolíticaSaúde
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia