Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 23 Fevereiro |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

5 dicas do Papa Francisco para melhorar a Missa

Beatification-mass-of-late-Pope-John-Paul-I-Antoine-Mekary-ALETEIA

Antoine Mekary | ALETEIA

Isabella H. de Carvalho - publicado em 15/02/23

O Pontífice deu alguns conselhos para quem ajuda a preparar as liturgias nas dioceses. Eles também são úteis para todos aqueles que assistem à Missa!

Em 20 de janeiro de 2023, o Papa Francisco se encontrou com líderes litúrgicos diocesanos de todo o mundo para participar de um curso de formação em Roma. O evento aconteceu na Pontifícia Universidade de Santo Anselmo e teve como objetivo ajudar os participantes a aprofundar sua compreensão da liturgia.

O curso foi inspirado na Carta Apostólica Desiderio Desidera, do Papa Francisco. Nela, o Pontífice refletiu sobre a reforma da liturgia proposta durante o Concílio Vaticano II e o que essas celebrações significam para nossa vida espiritual.

De fato, o discurso do Papa foi dirigido aos responsáveis ​​pela organização da liturgia nas dioceses. No entanto, as dicas do Papa podem ser úteis para todos os que assistem à Missa.

Confira abaixo os conselhos do Papa.

1. A importância do silêncio

“Exorto-vos a cultivar o silêncio”, especialmente antes das celebrações, pois é quando as pessoas costumam se socializar, enfatizou o Papa Francisco. 

“O silêncio ajuda a assembleia e os concelebrantes a se concentrarem no que deve ser feito. […] É o silêncio que permite preparar-se para o mistério, permite a sua assimilação e faz ressoar o eco da Palavra escutada. A fraternidade é bela, cumprimentar os irmãos é importante, mas é o encontro com Jesus que dá sentido ao nosso encontro. Devemos redescobrir e valorizar o silêncio” disse o Papa. 

2. A maravilha do encontro com Deus

O Papa Francisco disse que é importante “acompanhar os fiéis” durante a liturgia para que eles possam “se maravilhar com o que acontece na celebração”. Em vez de focar na “alegria estética” ou no “prazer”, aqueles que ajudam a preparar a Missa devem deixar espaço para a “maravilha” que os fiéis podem experimentar durante a cerimônia. “Só o encontro com o Senhor nos surpreende”, explicou.

3. Prioridade: servir ao povo de Deus

O Pontífice destacou que o “objetivo primordial” de quem ajuda a preparar a Missa é “promover a participação frutífera do povo de Deus”.

“Devemos ter sempre diante dos olhos o bem das comunidades, a pastoral dos fiéis, para conduzir o povo a Cristo e Cristo ao povo. É o objetivo primordial, que deve estar em primeiro lugar também na hora de preparar e orientar as celebrações. Se negligenciarmos isso, teremos belos ritos, mas sem força, sem sabor, sem sentido, porque não tocam o coração e a existência do povo de Deus”, alertou o Papa.

A pessoa que ajuda a preparar a Missa nunca deve substituir o bispo ou padre, insistiu o Papa. “Quanto mais escondido estiver o mestre de cerimônias, melhor. Quanto menos ele for visto, melhor.” 

4. Aprender vivendo as liturgias

O Papa Francisco também enfatiza que a melhor maneira de aprender a preparar a celebração da Missa é simplesmente colocando a mão na massa.

“Como aprendemos a servir na Missa quando crianças? Observando nossos amigos mais velhos fazerem isso. É aquela formação da liturgia sobre a qual escrevi na Desiderio desideravi “, explica o Papa, citando a sua Carta Apostólica. “O decoro, a simplicidade e a ordem são alcançados quando todos, gradualmente ao longo dos anos, assistindo ao rito, celebrando-o e vivendo-o compreendem o que devem fazer. Claro, como em uma grande orquestra, cada um deve conhecer a sua parte, […] então a liturgia pode ser uma sinfonia de louvor”. 

De fato, o Papa Francisco exortou os líderes litúrgicos a se envolverem em escolas de prática litúrgica nas catedrais ou seminários, a fim de ensinar aos futuros sacerdotes “como celebrar bem”. O Chefe da Igreja Católica também incentivou-os a aprenderem com as próprias comunidades, observando o “estilo celebrativo” vivido em cada paróquia.

“Não adianta fazer um belo ‘desfile’ quando o bispo está presente e depois voltar a ser como era antes. A vossa tarefa não é organizar o rito para um dia, mas propor uma liturgia imitável, com aquelas adaptações que a comunidade pode acolher para crescer na vida litúrgica. […] De fato, ir às paróquias e não dizer nada diante de liturgias um pouco descuidadas, negligenciadas, mal preparadas, significa não ajudar as comunidades, não acompanhá-las”, explicou o Papa. 

5. Boas e curtas homilias

Finalmente, o Papa deixou alguns conselhos enfáticos para os padres que fazem homilias:

“Por favor, as homilias são um desastre”, lamentou o Papa, enquanto encorajava fortemente todos os sacerdotes a se esforçarem na pregação.

“Às vezes ouço alguém [dizer]: ‘Sim, fui à Missa naquela paróquia… sim, uma boa aula de filosofia, 40, 45 minutos…’

“Oito, 10 [minutos] não mais! E sempre um pensamento, um sentimento e uma imagem. Que as pessoas levem algo para casa”, disse o Pontífice. “A homilia não é uma conferência, é um sacramental. […] É preparada na oração, é preparada com espírito apostólico”.

Tags:
LiturgiaMissaPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia