Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Como o jejum pode nos tornar menos egoístas

Jejum na quaresma pode nos deixar menos egoístas

Quisquilia | Shutterstock

Philip Kosloski - publicado em 20/02/23

O jejum durante a Quaresma pode reorientar a nossa vida e nos deixar mais focados nos outros

O jejum é uma disciplina quaresmal que a maioria de nós não gosta de praticar ou não adota plenamente. Não gostamos do sacrifício de sentir fome.

No entanto, é grande a importância do jejum como disciplina espiritual capaz de nos ajudar a ser menos egoístas e mais abertos às outras pessoas.

O Papa Bento XVI destacou esse aspecto do jejum na sua mensagem de Quaresma em 2011:

“O jejum, que pode ter várias motivações, assume para o cristão um significado profundamente religioso: tornando a nossa mesa mais pobre, aprendemos a vencer o egoísmo para viver na lógica do dom e do amor; suportando alguma forma de privação – e não apenas o excesso – aprendemos a desviar o olhar do nosso ‘eu’, a descobrir Alguém próximo de nós e a reconhecer Deus no rosto de tantos irmãos e irmãs. Para os cristãos, o jejum, longe de ser deprimente, nos abre cada vez mais a Deus e às necessidades dos outros, permitindo assim que o amor a Deus se torne também amor ao próximo (cf. Mc 12, 31)”.

É tentador pensar no jejum como algo opressivo e desnecessário, mas ele pode ter um efeito espiritual surpreendente se o abraçarmos a sério.

A atitude-chave é deixar o jejum abrir os nossos olhos para os pobres entre nós e reconhecer o quanto Deus nos deu. Essa percepção deve inspirar-nos a servir os pobres em nossa comunidade local e a fazer o que pudermos para retribuir aos menos afortunados.

Sempre que jejuarmos durante a Quaresma, ou em outras épocas do ano, deixemos que a graça de Deus penetre em nosso coração e nos ajude a ser menos egoístas em nossa vida.

Tags:
EspiritualidadeJejumQuaresma
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia