Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 25 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como deixar de pensar em quem não está mais com a gente?

Mulher sentada olhando para o mar

Saga_bear | Shutterstock

Talita Rodrigues - publicado em 01/03/23

Nem sempre aquela pessoa que vai embora da sua vida sai também do seu coração

Eu tenho percebido que algumas pessoas se posicionam na vida considerando a finitude de outras. Eu vejo as pessoas se aproximando muito por interesses. Quando precisam de alguma  informação, algo imprecatado, convidar para um evento etc. São raras as pessoas que chamam as pessoas que amam simplesmente para bater um papo.

Pessoas que esquecem de alimentar relações e vínculos. Vejo pessoas que se arrependem de não terem feito nada por aqueles que amavam.

Por isso, cuide das suas afetividades. Faça hoje, para não se arrepender do que não fez amanhã. Um movimento que você faz é um bem gigante para quem recebe.

Mas como deixar de pensar em quem não está mais com a gente?

Como é difícil parar de pensar em alguém que não faz mais parte da sua vida. Como é difícil aceitar que já não existe mais olho no olho, o compartilhamento de dores e alegrias e que você já não tem aquele alguém que acessa as entranhas da sua alma. 

Nem sempre aquela pessoa que vai embora da sua vida sai também pontualmente do seu coração. Mesmo com a partida, essa pessoa está enraizada em sua alma. 

Você passa um tempão buscando justificativas para a partida do outro. Esquecendo que algumas partidas não se explicam. Algumas partidas, simplesmente acontecem. Sem um porquê. Sem uma justificativa plausível que cesse o incômodo da sua alma.

Quantas vezes você já virou refém de trazer para perto quem já está e/ou escolheu ficar longe?

Logo, você busca freneticamente por uma explicação, por algo que cesse o seu coração e o sentimento de rejeição que quase sempre fica em você.

Porque, quando alguém vai embora, é como se você perdesse um pouco de você mesmo. E isso não cabe somente a pessoas com dependência emocional, cabe também a todas as pessoas que escolhem amar – inclusive você. Quando alguém decide partir, chegou a hora de você se reinventar. Reinventar-se como pessoa e de reinventar uma nova vida sem o outro. 

Mais do que gostar de alguém, existe também o apego aos sonhos ainda não realizados, as expectativas não supridas e tudo aquilo que você construiu junto com o outro. 

Você não permanece com uma pessoa pelo físico, por ela ser interessante ou não. Todos nós já tivemos alguém que decidiu pelo afastamento. Isso faz parte da vida. 

Você sabe por que os encontros acontecem e eles permanecem? 

Uma pessoa não permanece com a outra por atributos físicos ou intelectuais. Você se interessa por isso, obviamente. Mas a permanência se dá por esse encontro, porque você sente de uma forma viceral que estar com aquela determinada pessoa lhe confere uma sensação de familiaridade em espaços que você consegue permanecer. Em espaços em que você se percebe e se sente que ali, que você vale a pena. Que, ali, você é importante. Nem sempre pessoas envolvidas em determinados relacionamentos suportam viver ou caber ali. 

Portanto, aproprie-se da sua vida e busque por maturidade emocional, para que você entenda que os atributos do outro que te mantinham ali – por mais perfeitos que parecessem – não foram suficientes para manter o outro no mesmo lugar.

Quando alguém decidiu seguir em frente sem você, é hora de você seguir sem ele.

Para ter acesso gratuito a conteúdos como este, clique aqui e passe a seguir a psicóloga Talita Rodrigues no Instagram

Tags:
AmorRelacionamentosolidaoSuperação
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia