Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Tiago, 23 anos: sem dinheiro, com apenas um rosário na mão, ele caminhou até Fátima

Jakub Karłowicz przeszedł ponad 5 tysięcy kilometrów, wędrując z Łomży do Fatimy

fot. arch. prywatne Jakuba Karłowicza / źródło: Pod Opieką Boga | Facebook

Agnieszka Bugała - publicado em 22/03/23

Ele não levou comida ou roupas extras para a viagem, nem dinheiro ou cartão de crédito. Ele ofereceu sua peregrinação a Maria. Em 221 dias de peregrinação, ele nunca passou fome... "Eu pretendo voltar para casa a pé" – ele declara

221 dias, 5600 quilômetros, 10 países, com um rosário na mão – um recorde absoluto para uma peregrinação a pé. Tiago Karlowicz, um residente de 23 anos de Łomża (Polônia), barbeiro de profissão, chegou ao Santuário de Fátima no dia 24 de fevereiro.

Ele ofereceu sua peregrinação e oração constante no caminho pela intenção da paz. Desde o início, sua jornada de confiança pôde ser seguida no Facebook, onde milhares de pessoas visitam a página, “Sob a proteção de Deus”, todos os dias.

Sob a proteção de Deus

Ele partiu em 17 de julho de 2022. Ele não levou comida ou roupas extras para a viagem, nem dinheiro ou cartão de crédito. Ele ofereceu sua peregrinação a Maria e confiou seu patrocínio a São João Bosco, cujo slogan: “um santo triste não é um santo” está próximo de seu coração.

Ele acredita que está caminhando “sob a proteção de Deus” e não se preocupa com o que vai comer ou onde vai recostar sua cabeça para dormir. Durante os 221 dias de sua peregrinação, ele nunca passou fome, nem encontrou situações que o fizessem voltar. Pelo contrário, todos os dias, em cada país e na menor aldeia que visitou, ele experimentou uma impressionante e abnegada gentileza, hospitalidade e ajuda.

Em um vídeo postado nas redes sociais, ele lembrou uma situação em que um BMW caro parou de repente na zona rural francesa, alguns homens saíram do carro e abriram o porta-malas – eles tinham um grande saco de comida lá dentro. Tocado, ele enfatizou que estes homens lhe deram comida para três dias.

A caminhada de Jacob em fotos – veja a galeria:

As pessoas são boas

Durante a peregrinação ele se beneficiou da hospitalidade de paróquias, mosteiros, mas também de pessoas que o convidaram a ficar em suas casas, o deixaram usar a máquina de lavar roupa, o alimentaram e até o levaram a lojas de roupas esportivas para que ele pudesse comprar coisas novas para substituir as danificadas pela caminhada.

As pessoas compartilharam com ele não apenas suas casas, pão e provisões para a viagem, mas também doaram dinheiro. Às vezes ele conseguia ganhar dinheiro oferecendo seus serviços de barbear ou cortar o cabelo. Ele leva consigo seu equipamento básico de barbearia.

O que ele considera mais importante em cada dia da peregrinação é a oportunidade de participar da missa e da adoração. O Terço, que ele diz ser “a arma mais eficaz do mundo”, o acompanha constantemente. Cada quilômetro que ele caminha significa mais Ave Marias rezando pela paz no mundo, pelas pessoas próximas a ele e por aqueles que ele encontrou durante sua peregrinação.

Em seus relatos, ele enfatiza que as pessoas são boas. Às vezes elas estão perdidas, às vezes Deus está “perdido” para elas, mas elas são boas e querem o bem, não o mal.

A rota da Polônia para Fátima

De Sejny ele chegou a Niepokalanow, depois a Jasna Gora. De Częstochowa, passando pela Eslováquia, Hungria e Bósnia, ele partiu para Medjugorie. Ele esteve no local das aparições de Maria no dia 12 de setembro. De lá ele cruzou a Croácia, Eslovênia e se dirigiu para Veneza.

Atravessou a Itália, passando por Turim, que reconhecidamente não estava a caminho de Fátima, mas ele não podia deixar de visitar São João Bosco, o santo padroeiro de sua peregrinação. De Turim ele partiu para o norte, correu o risco de cruzar os Alpes e chegou a La Salette.

De lá ele mirou a fronteira entre França e Espanha. Cobrindo mais quilômetros e experimentando a hospitalidade espanhola, ele finalmente alcançou a fronteira hispano-portuguesa. A cada dia ele caminhava entre 30 e 50 quilômetros.

E agora?

“Pretendo voltar para casa a pé, se isso estiver de acordo com a vontade de Deus”, relata ele. Ao longo do caminho, ela quer visitar mais santuários marianos e lugares associados com os santos da Igreja. Ele tem um plano para chegar em casa no meio do ano e participar de uma peregrinação de Suwałki a Vilnius. Mas ele não pretende se apressar.

“Esta não é uma peregrinação que se trata apenas de caminhar e vencer a distância”. Até agora não tenho tido muita pressa. Acima de tudo, trata-se de experimentar os cuidados de Deus e aquelas pessoas que Deus coloca no meu caminho. O Senhor Deus pode usar a todos, não importa que tipo de pecador eles sejam, seu passado, sua educação, seu trabalho. Ave Maria!” – escreve o jovem, que agradece a todos que o apoiam com suas orações.

Tags:
DevoçãoFátimaMariaperegrinacaoViagem
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia