Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Santa Sé enviará um satélite para o espaço

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Funeral mass of Pope Emeritus Benedict XVI

Antoine Mekary | ALETEIA

I. Media - publicado em 28/03/23

Seu Boletim Direto do Vaticano de 28 de março de 2023

1A Santa Sé enviará um satélite para o espaço

Por Camille Dalmas – Um foguete SpaceX Falcon 9 decolará da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, em 10 de junho, carregando um pequeno satélite da missão espacial do Vaticano, a Santa Sé anunciou. O projeto, chamado “Spei Satelles” – satélite de esperança, em latim – levará um “nanobook” de um discurso do Papa e transmitirá trechos através de um sinal de rádio como um “sinal de esperança”.

O projeto é o resultado da cooperação entre o departamento de comunicações do Vaticano, a Agência Espacial Italiana – que está financiando a maior parte do projeto – e várias universidades italianas. Foi apresentado em uma coletiva de imprensa em Roma e seu site foi oficialmente lançado.

Um discurso sob a forma de micrográficos

O satélite, chamado “SpeiSat” ou “CubeSat”, é um paralelepípedo retangular (10 cm x 10 cm x 30 cm) equipado com painéis solares. Ele foi projetado por uma equipe de jovens estudantes do Departamento Espacial da Universidade Politécnica de Turim com o objetivo de durar até 12 anos.

Ele levará um “nanobook” (2 mm x 2 mm x 0,2 mm) contendo uma mensagem do Papa Francisco, a Statio Orbis, na forma de microgravuras. Este discurso, proferido em meio a uma pandemia exatamente três anos atrás – em 27 de março de 2020 – na Praça de São Pedro encharcada de chuva, foi escolhido pelo símbolo da esperança que representa, explicou a Santa Sé.

Inglês, espanhol e italiano

Um sistema a bordo também permitirá que o satélite transmita trechos do discurso em inglês, espanhol e italiano. O sinal pode ser captado por estações de rádio amadoras ao redor do mundo – freqüência 437,5 MHz.

O programa também oferece a todos aqueles que desejam se tornar um membro virtual da “tripulação” da missão espacial. Tudo o que se pede é que você se comprometa com uma ação ou um trabalho que promova a fraternidade no mundo.

O orçamento global para o projeto ainda não foi revelado. O satélite será colocado em órbita a 525 km acima do nível do mar. O Papa Francisco abençoará o satélite durante a audiência geral no dia 29 de março.

2O cardeal alemão Karl-Josef Rauber morre aos 88 anos de idade

Por Cyprien Viet – Pouco conhecido do público em geral, o diplomata papal Karl-Josef Rauber havia sido nomeado pelo Papa Francisco durante o consistório de 14 de fevereiro de 2015, na qualidade de cardeal, uma vez que ele já havia atingido a idade de 80 anos. O ex-núncio apostólico na Suíça e Bélgica faleceu na noite de 26 de março em Rottenburg, informou o site alemão katholisch.de. O Colégio dos Cardeais tem agora 222 cardeais, dos quais 123 são eleitores no caso de um conclave, e 99 são não-eleitores.

Nascido em 11 de abril de 1934 em Nuremberg e ordenado sacerdote para a diocese de Mainz em 28 de fevereiro de 1959, Karl-Josef Rauber experimentou a emoção do Concílio Vaticano II durante seus anos de formação em Roma, de 1962 a 1966. Ele foi formado na Pontifícia Academia de Eclesiologia e obteve o doutorado em direito canônico na Universidade Gregoriana.

De 1966 a 1977, ele trabalhou na Secretaria de Estado, onde foi secretário do substituto, Dom Giovanni Bennelli, e acompanhou os arquivos relacionados aos territórios de língua alemã. Esta fase pós-Conselho foi particularmente tumultuada na Suíça e na Alemanha, onde foram realizados sínodos nacionais promovendo uma agenda reformista que contradizia a prudência de Paulo VI.

Uma surpreendente elevação ao cardinalato

Após servir como conselheiro das nunciaturas na Bélgica, Luxemburgo e Grécia, Dom Rauber foi ordenado bispo por João Paulo II em 1983 e tornou-se pró-núncio de Uganda, então presidente da Pontifícia Academia de Eclesiásticos – coloquialmente conhecida como a “escola de núncios” – de 1990 a 1993.

Tornou-se então núncio em vários países europeus: Suíça e Liechtenstein de 1993 a 1997 – no contexto das tensões em torno do bispo de Chur, Dom Wolfgang Haas, para quem foi finalmente criada uma diocese própria de Liechtenstein -, Hungria e Moldávia de 1997 a 2003, e finalmente Bélgica e Luxemburgo de 2003 a 2009. Ele deixou esta última responsabilidade antes da nomeação de Dom André-Joseph Léonard como sucessor do Cardeal Godfried Danneels como Arcebispo de Malines-Bruxelas, uma escolha pessoal de Bento XVI à qual ele se opôs publicamente.

O Arcebispo Rauber se retirou então para uma paróquia na diocese de Rottenburg-Stuttgart, onde continuou a prestar certos serviços. Sua saúde havia enfraquecido nos últimos meses, após ter contraído Covid-19.

Sua elevação ao cardinalato aos 80 anos de idade – sem o título de eleitor -, em 2015, havia criado uma surpresa. Alguns meses após a beatificação de Paulo VI celebrada pelo pontífice em outubro de 2014, este anúncio havia sido interpretado como uma forma de reabilitação da corrente progressista encarnada pelo Cardeal Bennelli após o Concílio Vaticano II, e da qual o Cardeal Rauber havia sido Secretário da Secretaria de Estado.

O Cardeal Giovanni Bennelli, Arcebispo de Florença e elevado à púrpura por Paulo VI em 1977, havia sido considerado um papabile nos dois conclaves de 1978. Ele morreu em 1982, vítima de ataque cardíaco aos 61 anos de idade. A tendência “liberal” dentro do Colégio Sagrado foi então encarnada por seu sucessor em Florença, o Cardeal Silvano Piovanelli, e pelo Cardeal Martini, Arcebispo de Milão.

Esta ligação do Cardeal Rauber com o Cardeal Bennelli pode assim juntar-se a outros cardeais que inscrevem o pontificado de Francisco em antigas filiações: assim, durante seu primeiro consistório em 2014, dois meses antes de canonizar João XXIII, ele havia elevado a cardeal seu antigo secretário, o Arcebispo Loris Francesco Capovilla, então com quase cem anos de idade. A recente promoção de Dom Fernando Vérgez Alzaga, em 2022, também pode ser lida como uma marca de vinculação do Papa Francisco a seu compatriota argentino, o Cardeal Eduardo Pironio, falecido em 1998 e por quem Dom Fernando Vérgez Alzaga foi nomeado Cardeal.

A fratura da Igreja Alemã no Colégio Sagrado

Após a morte do Cardeal Rauber, a Alemanha ainda tem sete cardeais, incluindo três eleitores. O Cardeal Gerhard Ludwig Müller (75), prefeito emérito do Dicastério para a Doutrina da Fé e considerado uma das vozes mais críticas do Papa Francisco, não tem mais um cargo de governo, mas espera-se que tenha peso no próximo conclave. Ele permanecerá como eleitor por direito até seu 80º aniversário, em 31 de dezembro de 2027.

Os outros dois cardeais eleitores representam tendências opostas à via sinodal alemã: um de seus principais atores, o Cardeal Reinhard Marx (69), continua arcebispo de Munique e Freising, após sua renúncia ter sido recusada pelo Papa Francisco, mas ele não foi reconduzido ao Conselho de Cardeais. O Cardeal Rainer Maria Woelki (66), que se opõe ao Caminho Sinodal, permanece Arcebispo de Colônia por enquanto, mas sua renúncia parece estar ainda sob consideração devido às tensões sobre casos de abuso em sua diocese.

Os cardeais alemães que não são eleitores são os cardeais Friedrich Wetter (95), Walter Brandmüller (94), Walter Kasper (90) e Paul Josef Cordes (88). Ainda intelectualmente ativos, os Cardeais Brandmüller e Kasper encarnam duas linhas teológicas muito diferentes, a primeira se opõe firmemente à linha do Papa Francisco e a segunda a apóia. Os dois cardeais estão, no entanto, unidos em suas críticas ao Caminho Sinodal Alemão.

3Tiziano Onesti se torna Presidente do Hospital Bambino Gesù

Por Hugues Lefèvre – O Cardeal Secretário de Estado da Santa Sé, Pietro Parolin, nomeou Tiziano Onesti como Presidente do Conselho de Administração do hospital pediátrico Bambino Gesù em 27 de março. Fundado em 1869 pela família Salviati e doado à Santa Sé em 1924, este hospital romano é considerado um dos melhores hospitais pediátricos do mundo.

Nascido em 1960 em Rocca di Papa, na região de Roma, Tiziano Onesti assumirá seu novo posto em 1 de abril por um período de três anos. Professor de economia empresarial na Universidade de Roma-Três, ocupou vários cargos na administração e gestão de empresas italianas como Trenitalia, Eni, Telecom e o grupo editorial L’Espresso.

“Uma oportunidade de servir a vida com amor e humildade”

Desde 2017, Tiziano Onesti fez parte do comitê financeiro do hospital, onde trabalham quase 700 médicos com múltiplas especialidades. Ele substitui Mariella Enoc, 79 anos, presidente da diretoria do hospital desde 2015.

“Trabalhar no Hospital Infantil Bambino Gesù é uma grande responsabilidade, mas também uma grande bênção: uma oportunidade de servir a vida com amor e humildade”, comentou o novo presidente em uma declaração enviada pelo hospital romano. Nela ele agradeceu ao Papa Francisco e garantiu que a missão do hospital continuará a ser “manter unidos ciência e caridade, excelência clínica e hospitalidade, oferecendo um serviço de alta qualidade e assistência humana e espiritual que possa ajudar nossos pequenos pacientes e suas famílias a superar dificuldades e viver com esperança e serenidade”.

A nomeação vem em um momento de “grande crescimento para o hospital”, de acordo com uma declaração emitida pela Sala de Imprensa da Santa Sé. Refere-se em particular ao processo de digitalização em andamento e ao desenvolvimento de um novo modelo organizacional.

“O hospital pediátrico Bambino Gesù continua sua missão de pesquisa e assistência a crianças e jovens em toda a Itália e no mundo”, diz a declaração.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
CardeaisDireto do VaticanoSaúde
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia