Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Turista morre na Índia e seus órgãos salvam 5 vidas

Teresa Maria Fernandez

@aitanapf

Merche Crespo - publicado em 05/04/23

O gesto da família surpreendeu os indianos, já que o país é o "paraíso" mundial do tráfico de órgãos

Teresa Fernández, uma médica aposentada da Espanha, estava de férias na Índia em janeiro passado de 2023. Ela adorava viajar e aquela foi sua quarta viagem à Índia.

Mas desta vez, no dia seguinte à sua chegada a Mumbai, ela sofreu um derrame que a deixou em coma. A história do que aconteceu em seguida foi relatada pelo portal El Faro de Ceutaamong e outros veículos de notícias da Espanha e da Índia.

Em estado crítico

Os médicos do Hospital Jaslok, onde ela foi internada, contataram os filhos de Teresa para avisá-los sobre a condição crítica de sua mãe. Sua filha, também médica de profissão, viu os exames enviados a ela pelos médicos indianos e percebeu que a situação era, de fato, muito grave.

Assim, ela e seu irmão deixaram imediatamente a Espanha e foram para a Índia. Aitana lembra que “assim que viu a mãe na cama na UTI, soube que ela não ia acordar”. Tocamos músicas de Louis Armstrong, música clássica, (…) as vozes dos amigos mandando forças… E nada”.

Morte cerebral e doação de órgãos

Teresa morreu em 11 de janeiro, depois de passar seis dias em coma.

Naquele momento, os filhos informaram aos médicos que a mãe queria doar seus órgãos. Ela sempre havia expressado o desejo de ser doadora.

Aitana explicou: “Minha mãe sempre havia dito que queria doar seus órgãos. A verdade é que os médicos indianos ficaram muito surpresos quando eu lhes conteiisso, como se fosse estranho. Eu comentei com eles que na Espanha ser doador de órgãos é muito normal”.

A Espanha tem sido o país líder mundial em doação de órgãos há anos.

Medo do tráfico de órgãos

Infelizmente, no entanto, a Índia é o “paraíso” mundial do tráfico de órgãos. Lá, foram desmanteladas redes através das quais pessoas são traficadas do Nepal para serem levadas sob coação para a Índia. O objetivo é vender seus órgãos, que vão para transplantes, num esquema mafioso e milionário.

Apenas 2 doadores estrangeiros

Finalmente, à meia-noite de 11 para 12 de janeiro, Teresa foi levada para a sala de cirurgia, e na manhã seguinte, para a câmara de cremação.

Como noticiado pelo jornal The Hindustan Times e pela Organização Nacional de Transplante de Órgãos e Tecidos da Índia, seus pulmões, fígado e rins foram doados a três pacientes indianos, enquanto o coração foi para um libanês. Teresa prolongou a vida de cinco pessoas.

O órgão nacional indiano que regulamenta a doação de órgãos prestou homenagem a Teresa e sua família e referiu-se a ela como um exemplo a ser seguido.

Aitana afirma com orgulho que a família recebeu até mesmo um diploma, porque Teresa se tornou a primeira doadora de fora da Ásia e a segunda estrangeira a doar órgãos na Índia. Em 2019, uma cidadã nepalesa foi a primeira doadora internacional no país.

Teresa virou manchete na imprensa indiana após sua morte porque sua família realizou o desejo dela de ser doadora de órgãos em um lugar onde quase ninguém o faz, e aqueles que entendem o valor desta decisão querem levá-la como um exemplo.

Tags:
CaridadeMundo
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia