Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Via Sacra extrema: “Estou em lágrimas. Não teria sido capaz se não fosse por Deus”

Via Sacra extrema na Polônia

Karol Makurat/REPORTER

#image_title

Magdalena Galek - publicado em 13/04/23

"Quando cheguei ao meu destino, chorei. Eu sei que eu não seria capaz de fazer isso se não fosse por Deus, pelo meu pai, e que toda reflexão subsequente era sobre perseverança e sobre ir mais longe" - diz Hania, de 11 anos

Frio e chuva forte. Este é o clima que eles estão vivendo no caminho para a Eucaristia, depois da qual estão prestes a embarcar na “Via-Sacra extrema”. A ideia de desistir nunca passa pela cabeça de ninguém. Talvez fosse uma coisa boa, porque literalmente momentos antes do início da longa caminhada, os trovões assustam e tudo o que resta depois é o ar úmido e pesado.

Crianças na Via Sacra extrema

O primeiro teste de resistência passou. Mas isto é apenas o começo: há muito mais, e muito mais dificuldades pela frente. Tom e Marcin não vão – como antes – apenas com alguns poucos amigos da comunidade. Desta vez, um está levando sua filha de 11 anos com ele, e o outro está levando seu filho de 10 anos. Eles escolhem uma rota “semi-extrema”.

A trilha de São José tem 46 km e leva de Sulejówek a Otwock (nos arredores de Varsóvia, Polônia). Eles decidem caminhar pela trilha mais acessível. Para alcançar a linha de chegada, que fica no Santuário da Fidelidade, eles têm que caminhar exatamente 26 quilômetros. Levam consigo alguns mantimentos e kit de primeiros socorros, e partem para o desconhecido.

Dzieci na Ekstremalnej Drodze Krzyżowej

Saltar sobre poças e contar sapos

O pai de Adam acredita que durante peregrinação de Via Sacra extrema – assim como durante, por exemplo, a oração familiar – vale a pena deixar a criança ser uma criança. “É claro, tudo dentro dos limites das normas e da razão, mas se sabe que é difícil exigir que uma criança fique completamente quieta e concentrada”, diz ele.

Martin, vendo a distração de seu filho, tentou gentilmente redirecionar sua atenção para o que era mais importante em todo o evento. “Depois de cada estação, eu o encorajei a falar e juntos respondemos às perguntas colocadas nas reflexões. Acho que bastaria isso para dará frutos – se não espiritualmente, então pelo menos em nosso relacionamento”. “De fato, nem tudo foi como havíamos planejado. Entretanto, apesar de todas as distrações e da necessidade de deixar a rota prematuramente, acredito que ambos nos beneficiamos muito desta viagem juntos”, acrescenta ele.

Dzieci na Ekstremalnej Drodze Krzyżowej

Superação e alegria

Tom tem sentimentos semelhantes. “Minha boca está rindo sozinha desde a manhã” – ele nos diz no dia seguinte. “E não é porque eu tenha alcançado meu objetivo”. Eu já havia participado de EDKs (como são chamadas as Via Sacra extremas na Polônia) padrão de 40 km antes, portanto, a distância deste ano não representou nenhum desafio para mim. A maior alegria foi poder viver esta aventura com minha filha. O fato de nos conhecermos ainda melhor, de quando ela mais precisava – eu pude ser um apoio para ela, e finalmente: que apesar das dificuldades, atingimos um objetivo comum”.

Ele acrescenta: “Estou muito orgulhoso de Hania. Eu provavelmente já lhe disse isso cinquenta vezes! Tanto mais que os últimos quilômetros foram uma experiência limite para ela. Ela estava travando uma verdadeira batalha interna – uma batalha para cada passo seguinte. Para mim foi também o momento mais difícil, mas por uma razão diferente. Foi difícil ver minha filha sofrer e não poder fazer nada para ajudá-la. Naquele momento, tudo o que eu podia fazer era apoiá-la” – ele confessa.

“Quando cheguei ao meu destino, estourei em lágrimas. Sei que não teria conseguido se não fosse por Deus, pelo meu pai e pelo fato de cada reflexão ser sobre perseverança e sobre seguir em frente” – diz Hania. Quando eles tiveram que caminhar oito quilômetros através da floresta escura, ela não podia decidir se ultrapassaria seu pai e seguir em frente ou caminhar corajosamente às costas dele. Ambas as opções pareciam igualmente assustadoras para ela. Ambas quando ela estava com mais medo e depois – quando sentiu mais dor e cansaço, encontrou seu ritmo ao seguir conversando com seu pai.

Dzieci na Ekstremalnej Drodze Krzyżowej

E o próprio Jesus caminhou com eles

“São Estanislau Kostka escreveu em seu diário: ‘Embora eu deva vagar por toda a minha vida – não cederei’. Um homem santo não é aquele que vive uma vida impecável. É aquele que oferece suas quedas a Jesus, que não tem medo de admitir seus erros, de se levantar e continuar – com maior humildade, maior autoconsciência, maior perseverança.”

Esse é apenas um trecho das reflexões que acompanharam estes quatro corajosos peregrinos da Via Sacra extrema deste ano. As reflexões foram principalmente sobre firmeza, abnegação e uma forte vontade, e cada uma delas teve a impressão irresistível de que o próprio Jesus estava caminhando com eles. Parecia-lhes, além disso, que Ele não só estava caminhando, mas também ajudando-os a dar os próximos passos.

“Desafiador, arriscado, fora da zona de conforto, exigente… Será que tudo isso, que vivemos tão fortemente na Via Sacra, não se encaixa perfeitamente na mensagem de Francisco exortando os jovens a se levantarem do sofá? Há uma realidade que não entendemos quando a vemos apenas em uma tela.”

Pode haver uma melhor indicação da direção que nós e nossos filhos devemos tomar quando vivemos em uma era de jogos, smartphones e consumismo? A Via Sacra quebra os padrões habituais e nos incentiva a deixar o conforto de nossos lares e ir contra a maré. E pelo menos por esta razão valeria a pena permitir que as crianças também aceitem este desafio.

Tags:
CriançasDevoçãoTestemunho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia