Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Como evitar que o desemprego leve à perdição da alma

UNEMPLOYED

Nong Mars - Shutterstock

Padre Reginaldo Manzotti - publicado em 25/04/23

O desespero que surge por causa da situação de desemprego é fruto da perda de uma das virtudes mais importantes da vida da pessoa: a esperança

Deus é infinitamente misericordioso. Ele está sempre pronto a nos escutar e, por isso, tenhamos certeza de que não é indiferente às situações de nossa vida, muito menos ao nosso sofrimento. Ele não manda as provações, porém, como Pai zeloso, utiliza esses desafios para transmitir lições valiosas, porque nos ama.

Com a proximidade da Festa de São José Trabalhador, gostaria de refletir com vocês nesta mensagem sobre a situação de desemprego que estamos vivendo, não vou falar social ou politicamente, mas sim espiritualmente. O desemprego pode levar ao desespero que, por sua vez, pode levar a perdição da alma.

O trabalho é a extensão da pessoa

O emprego é muito importante para cada um de nós, porque está diretamente ligado à ideia de trabalho, que dignifica o homem. Por meio dele construímos algo na vida e deixamos nosso legado. Pode ser uma obra concreta ou apenas um ideal, não importa.  Uma pessoa identifica-se com aquilo que faz, porque o trabalho é uma extensão de si mesma: de suas mãos, sua mente e seus sonhos.

Deus nos criou e nos presenteou com o dom da criatividade para que aperfeiçoássemos a Criação e a levássemos à plenitude. E o trabalho é lugar onde nós mais exercitamos nossa criatividade, por isso nos identificamos tanto com aquilo que fazemos e ficamos seriamente abalados quando, por algum motivo, somos privados de desempenhar nossa função.

A realidade do desemprego

Infelizmente vivemos numa época em que os índices de desemprego aumentam a cada dia, mas não podemos entregar os pontos e temos de encará-lo como um desafio a ser superado. Diante do desemprego, quando tudo parece dar errado e as portas insistem em permanecerem fechadas, lembremo-nos do que São Paulo escreve na carta aos Romanos: “Sejam alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração”. (Rm 12,12)

O desespero é fruto da perda de uma das virtudes importantes da vida da pessoa: a esperança. Uma pessoa madura na fé é uma pessoa que crê, ama e espera. Mesmo sofrendo com o desemprego e passando por uma crise financeira, continua lutando e acreditando que o amanhã será melhor.

Espiritualidade e oração

E como fazer isso? Trabalhe sua esperança na espiritualidade e na oração, como sugeriu São Paulo. Repita quantas vezes for preciso e sempre que o desespero bater forte: “Senhor, eu tenho medo. Senhor, eu me sinto aflito, mas eu confio em Tua ajuda”.

Santo Inácio de Loyola aconselha: “Confie em Deus como se tudo dependesse exclusivamente Dele e, ao mesmo tempo, trabalhe como se tudo dependesse exclusivamente de ti”.

Termino fazendo uma prece por todos os trabalhadores, e aqui coloco os que estão empregados, que tenham seus direitos respeitados. Peço também pelos empregadores, que tenham prosperidade e justiça social. E clamo ainda pelos desempregados que batam na porta certa, que tenham força para nunca cair no desespero e sempre confiar em Deus.

São José Trabalhador, rogai por nós!

Tags:
EsperançaSão JoséTrabalho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia