Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como agir quando seu filho pequeno não quer ir à igreja

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
matka rozmawia ze swoją córką o jej emocjach

fizkes | Shutterstock

Theresa Civantos Barber - publicado em 12/05/23

Um pequeno guia de como despertar nas crianças o valor, a importância e o significado da Santa Missa

A frase “Eu odeio ir à igreja” soa familiar para você? Meus filhos pequenos dizem esse tipo de coisa de vez em quando.

Meu filho mais velho acabou de fazer nove anos. Acho que minha resposta a esses tipos de comentário seria diferente se eu estivesse falando com uma criança mais velha ou adolescente.

Mas quando meus filhos dizem coisas assim, como minha filha de seis anos fez no domingo passado, eu costumo agir da seguinte forma:

1Digo que a ida à igreja não é negociável

Alguns pais deixam a criança escolher se quer ou não ir à missa. Para mim, isso faz tanto sentido quanto deixar uma criança pequena escolher se quer ou não usar cinto de segurança, escovar os dentes ou comer legumes.

Nós vamos à igreja no domingo. É exatamente o que fazemos em nossa família, e temos a intenção de transformar esse hábito semanal em uma parte inegociável de nossa cultura familiar.

Mas isso não significa que temos que ser severos ou duros com nossos filhos sobre isso. Muito pelo contrário! 

2Reconheço os sentimentos deles

Uma parte realmente importante de ajudar uma criança a se sentir compreendida e vista é fazê-la verbalizar o que ela está sentindo. Então eu costumo dizer algo assim:

“Eu te entendo. Você não quer ir à igreja. A igreja parece chata para você agora. É normal se sentir assim quando você é criança. Eu costumava pensar que a igreja era chata quando eu tinha a sua idade também.” 

Quero ter certeza de que meu filho saiba que eu entendo e me preocupo com o que ele está sentindo. Mas é claro que não paro por aí.

3Explico por que vamos à igreja

Então eu explico: “Eu achava que a igreja era chata quando eu tinha sua idade, mas agora, ir à missa é minha coisa favorita. Então eu sei que você também vai adorar quando crescer”.

Quando surgiu essa conversa com minha filha de seis anos na semana passada, eu disse a ela: “Deus nos deu todos os dias, todas as horas e todos os minutos de nossas vidas. Milhares de horas para se divertir, brincar e aproveitar a vida. Ele apenas nos pede para lhe dar uma hora por semana para ir à missa no domingo. Você não acha que deveríamos fazer isso?”

Ela pensou por um minuto e então disse: “Sim, acho que sim.” 

Algumas horas mais tarde naquele dia, fiquei surpresa ao vê-la ajoelhada ao lado de uma imagem de Maria em nosso jardim. “Estou brincando que vou à igreja, mãe!”, disse ela.  

4Compartilho nosso testemunho

O Catecismo nos ensina que os pais são chamados a ser os primeiros evangelizadores de seus filhos. Podemos começar compartilhando como nossos filhos o nosso amor por Cristo.

Quando meus filhos não querem ir à igreja, digo a eles: “Eu realmente amo ir à igreja. Adoro ir ver Deus, que nos criou, e estar lá com todos os santos e anjos, e adorar a Deus com nossos amigos”. 

Outra maneira de unir o lar e a igreja é montar uma pequena mesa de oração em casa. Aqui, costumamos acender velas e ler a Bíblia no nosso pequeno oratório.

Quero que eles entendam que não vamos à missa só porque temos que ir, mas porque queremos.

5Escolho outro momento para educar

A hora em que estamos correndo para a missa não é o melhor momento para ensinar os filhos por que valorizamos a missa. Então, eu tento muito educá-los sobre isso em outros momentos do dia.

Um dos meus filhos estava em um estágio desafiador e se recusava a se ajoelhar durante a missa. Então, em um momento diferente, no final do dia, puxei-o para o meu colo e perguntei: “Por que nos ajoelhamos na missa? Quem está presente lá?” 

Discutimos como ajoelhar-se é um sinal de honra e reverência, e eu disse: “Você acha que o Deus que fez o céu e a terra, você e todos que você ama é alguém diante de quem você deveria se ajoelhar?” 

Ele acenou com a cabeça lentamente enquanto eu podia vê-lo começar a entender o motivo pelo qual nos ajoelhamos, em vez de apenas seguir os movimentos. Ele nunca se recusou a se ajoelhar na missa depois daquela conversa.

Enfim, esse é o meu jeito de agir quando meus pequenos não querem ir à missa no domingo. Ao lembrá-los de que ir à missa não está em debate, reconheço como eles se sentem, explico por que vamos à igreja, compartilho por que adoro ir à missa e faço questão de educá-los no final do dia sobre o que acontece na missa.

Eu espero que isso ajude. Eu adoraria saber o que funciona para sua família também!

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia