Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Bíblia hebraica mais antiga do mundo é vendida por 38 milhões de dólares

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Codex Sassoon

Shutterstock

Codex Sassoon

Daniel R. Esparza - publicado em 22/05/23

O Codex Sassoon pode ser o manuscrito medieval mais caro já vendido na história

O Codex Sassoon tem cerca de 1.100 anos. Um século mais antigo que o famoso Códice de Leningrado, o Sassoon é mais próximo do Códice de Aleppo, que data de cerca de 930. É um dos manuscritos bíblicos sobreviventes mais antigos do mundo.

O pergaminho manuscrito encadernado em couro, do qual faltam apenas oito folhas, é um dos documentos históricos mais valiosos já vendidos em leilão. Originalmente previsto para ser vendido por cerca de 50 milhões de dólares, o Codex Sassoon foi arrematado por 38 milhões em Nova Iorque na semana passada.

O comprador foi Alfred H. Moses, ex-embaixador dos Estados Unidos na Romênia. Conforme relatado pela Al Jazeera, Moses adquiriu o texto histórico em nome dos Amigos Americanos do Museu do Povo Judeu – ANU, de Tel Aviv. A peça fará parte do acervo desta instituição.

O manuscrito, aliás, já tinha sido exibido no mesmo museu em março, como parte de uma turnê mundial antes do leilão.

Sharon Liberman Mintz, especialista em Judaica da Sotheby’s, disse que o preço de 38 milhões de dólares, que já inclui a taxa da casa de leilões, “reflete o profundo poder, influência e significado da Bíblia hebraica, que é um pilar indispensável da humanidade”.

O códice foi preservado, segundo notas encontradas na própria peça, por Salama bin Abi al-Fakhr. Ele deveria guardar o livro em segurança até que a sinagoga fosse reconstruída. As obras de reconstrução, porém, jamais começaram. O códice ficou desaparecido ao longo dos 600 anos seguintes, até ser redescoberto em 1929 por um colecionador britânico, David Solomon Sassoon, que o comprou por apenas 350 libras esterlinas.

O documento permaneceu com os herdeiros de Sassoon até 1978, quando o British Rail Pension Fund o comprou por 320.000 dólares. Em 1989, colecionador suíço Jacqui Safra o adquiriu por 3,19 milhões de dólares.

Um artigo escrito por Sarah Kuta na Smithsonian Magazine observa que o Codex Sassoon há muito ocupa um “lugar reverenciado e lendário no panteão de documentos históricos sobreviventes e é inegavelmente um dos textos mais importantes e singulares da história humana”.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
ArteBíbliaCulturaHistória
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia