Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 24 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Um padre católico, o primeiro a descobrir ovos de dinossauro

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Matemática do ovo

Paikong | Shutterstock

J-P Mauro - publicado em 25/05/23

Naturalista amador, o padre Jean-Jacques Pouech publicou suas descobertas em 1859

A descoberta de ovos de dinossauro, no início do século XX, atraiu as atenções do mundo e ajudou a popularizar as exposições de paleontologia. O crédito pela descoberta foi dado, na época, a Roy Chapman Andrews, mas, décadas antes, já tinha sido registrado um encontro humano com cascas de ovos de dinossauro.

Segundo Riley Black, da Smithsonian Magazine, o primeiro naturalista a descobrir e descrever essas cascas de ovos foi o padre católico romano Jean-Jacques Pouech. O sacerdote era diretor do seminário de Pamiers, no sul da França. Em seus tempos livres, ele explorava a geologia e a paleontologia das rochas do Cretáceo Superior preservadas no sopé das montanhas dos Pirineus.

O padre Pouech publicou pela primeira vez as suas descobertas num relatório de 1859. Um trecho deste relatório, reproduzido pela Smithsonian, destaca o grande tamanho das cascas, “pelo menos quatro vezes o volume dos ovos de avestruz”. O sacerdote também relata que, no começo, pensava que fossem placas tegumentares de répteis. No entanto, ao observar atentamente “a espessura constante entre duas superfícies perfeitamente paralelas”, a “estrutura fibrosa” e a “curvatura regular”, descobriu que eram, de fato, “enormes cascas de ovo”.

O padre francês levantou então a hipótese de que os ovos fossem de alguma ave gigantesca. É compreensível, já que, na época dessa descoberta, em meados do século XIX, o termo “dinossauro” era relativamente novo e ninguém havia examinado ovos fossilizados anteriormente. É muito provável que esses fatores sejam os responsáveis ​​pelo fato de que a fabulosa descoberta do padre Pouech passou despercebida. Quando aqueles fragmentos foram examinados pelo Museu Nacional de História Natural, em Paris, o pe. Pouech pôde eliminar também a possibilidade de que eles proviessem de conchas. Entre as hipóteses restantes, estava ainda a de que se tratasse de carapaças de tatu.

O assunto ficou praticamente esquecido ao longo de 130 anos, até que, em 1989, os paleontólogos franceses Buffetaut e Le Loeuff se depararam com a coleção do pe. Pouech. Foi então que se confirmou, finalmente, que aqueles enormes ovos tinham sido botados não por aves gigantescas, e sim por dinossauros.

Durante décadas, Roy Chapman Andrews recebeu os créditos pela descoberta dos ovos de dinossauro. Agora, finalmente, os créditos começam a ser dados ao padre Jean-Jacques Pouech, reconhecido como a primeira pessoa que encontrou ovos de dinossauro, conforme atestado pelo geólogo Philippe Matheron.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
CiênciaHistóriaIgrejaPadres
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia