Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Breve história da morte de um pervertido

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Escuridão

Manfred Majer | CC BY SA 2.0

Pe. José Eduardo - publicado em 29/05/23

"E pôde ele, no último fôlego, escutar ainda aqueles estridentes risos do vencedor: aquele que sempre era tido como um mito, como a mais risível superstição, a mais desprezível das crenças"

Ele era normal. Não havia nada que pudesse sugerir o contrário: nada especialmente traumático, nenhum episódio extraordinário, nada! A vida lhe abria as portas para experiências marcantes, muita diversão, muito sexo, muita farra… Como o dinheiro lhe vinha fácil, era induzido a maiores aventuras, despreocupado, seguro de si.

Aos poucos, isso se lhe tornou não apenas o corriqueiro, mas a substância mesma de suas ações, o molde de sua consciência. Não podia ficar sem prazeres, sem dissipações. Aquilo lhe era necessário, tornara-se refém do que lhe aprazia.

Apagava-se em sua alma qualquer lembrança de Deus; era como se nada existisse para além do fatalmente material. Obscurecendo-se sempre mais e mais, tudo se lhe escoava pelas mãos: família, trabalho, saúde. Estava reduzido ao lixo sem saber direito como aquilo sucedera. Ele sofria pelo olhar condenatório dos outros, que viam nele apenas um pervertido que sai do outro lado da máquina que mói os irresponsáveis.

Por fim, feito um trapo inútil, à um fio de vida, repentinamente seus olhos se abriram. Ele podia, então, compreender tudo! Enquanto morria, aos pés da cama, num relance, viu a companhia que lhe causara tudo isso e a quem sempre, tanto ele quanto os outros, todos!, ignoravam.

E pôde ele, no último fôlego, escutar ainda aqueles estridentes risos do vencedor: era o escárnio do seu companheiro de caminhada, o deboche derradeiro do diabo, o bandido da sombras, o criminoso invisível, aquele que sempre era tido como um mito, como a mais risível superstição, a mais desprezível das crenças.

Pe. José Eduardo Oliveira, via Facebook

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
DemônioMortePecado
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia