Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 25 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Igreja na Alemanha perdeu meio milhão de católicos só em 2022

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Catedral de Colônia

Vitalii Vitleo | Shutterstock

Catedral de Colônia

Francisco Vêneto - publicado em 28/06/23

Também impressiona a velocidade com que aumenta o número de ex-católicos alemães: as baixas em 2022 chegaram a quase o dobro de 2020

De acordo com os chocantes dados divulgados neste 28 de junho pela conferência episcopal da Alemanha e repercutidos pela agência de notícias CNA Deutsch, 522.821 católicos do país optaram por abandonar a Igreja só no ano de 2022, constituindo o mais alto índice de evasão voluntária já contabilizado desde que se iniciaram estes registros históricos naquela nação.

Também impressiona a velocidade com que aumenta o número de ex-católicos alemães: as baixas em 2022 chegaram a quase o dobro de 2020, quando aproximadamente 270 mil pessoas haviam deixado a Igreja no território.

Somando as renúncias ao catolicismo com o número de católicos falecidos, a Igreja na Alemanha perdeu, só no ano passado, cerca de 708 mil fiéis. Este número é muito maior que o de novos católicos no país, já que, no mesmo período, foram batizadas 155.173 pessoas e se registraram as conversões de apenas 1.447.

No final de 2022, a Alemanha registrava, oficialmente, 21 milhões de católicos, que representam 24,8% dos seus 84,4 milhões de habitantes.

Manifestações de bispos

O episcopado alemão admite o tamanho do desastre. Para dom Stefan Oster, bispo de Passau, o número de baixas é “assustadoramente alto”, enquanto dom Bertram Meier, bispo de Augsburg, afirma que a Igreja precisa de “paciência e credibilidade” para recuperar a confiança dos fiéis.

Dom Georg Bätzing, bispo de Limburg e presidente do episcopado alemão, reconhece que os dados são “alarmantes” e considera necessário responder a eles com a implementação das resoluções do Caminho Sinodal Alemão.

No entanto, outros analistas, inclusive bispos e cardeais, apontam as controvérsias do próprio Caminho Sinodal Alemão como parte das causas da debandada. Veja mais a este respeito nos seguintes artigos:

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
CatólicosIgrejaSociedade
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia