Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Sabia que a iguaria mais saborosa de Portugal se deve à criatividade monástica?

Pastéis de Belém

page frederique | Shutterstock

Daniel R. Esparza - Reportagem local - publicado em 05/07/23

Conheça a origem dos deliciosos pastéis de Belém

Monges são, realmente, astutos. Eles fabricam cerveja, destilam licores, constroem impressionantes abadias, revolucionam a arte e a ciência, inventam perfumes e também produzem deliciosos doces, como os icônicos pastéis de Belém.

De fato, a história da invenção desta iguaria de nata confunde-se com a rica história do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, que fica no bairro de Belém – daí o nome do pastel.

O ano era 1837, época em que Portugal (como a maior parte da Europa) vivia um período de turbulência política e religiosa, incluindo o fechamento de muitos mosteiros e conventos. Os monges residentes no Mosteiro dos Jerónimos enfrentaram desafios significativos, com os seus meios de subsistência a escassearem, deixando-os numa situação precária. Foi aí que eles recorreram à culinária.

Baseando-se em técnicas e receitas monásticas tradicionais transmitidas por gerações de monges, eles criaram uma nova iguaria – o pastel de nata (ou pastel de Belém). A deliciosa invenção, feita à base de massa folhada e recheios cremosos, foi um sucesso instantâneo entre os moradores e visitantes.

A receita secreta do pastel de nata permaneceu guardada nas paredes do mosteiro durante muitos anos. No entanto, os monges logo perceberam que a receita tinha potencial para atingir um público mais amplo. Pensando nisso, fundaram a famosa confeitaria Pastéis de Belém, que existe até hoje.

pasteis-de-belem
Confeitaria Pastéis de Belém, a guardiã da receita dos monges.

A confeitaria passou a ser a guardiã da receita dos monges, garantindo a sua preservação e perpetuação. O sucesso do estabelecimento, aliado à crescente popularidade do pastel de nata, fizeram deste doce um tesouro de Portugal, um símbolo da gastronomia portuguesa e um saboroso testemunho do engenho e resiliência dos monges do Mosteiro dos Jerónimos.

Então, da próxima vez que você saborear um pastel de nata, lembre-se dos monges cuja deliciosa invenção conta uma história de resistência, inovação e busca pela preservação da tradição.

Tags:
CulturamongesPortugal
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia