Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 20 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

O exemplo dos pais de Santa Teresinha para quem busca se reconciliar com o passado

UNE-Reliquaire-saints-Louis-et-Zelie-Martin-©Sanctuaire-de-Lisieux.jpg

Basilique Sainte Thérèse de Lisieux

Reliquaire conservé dans la crypte de la Basilique Sainte Thérèse de Lisieux

Hozana - publicado em 21/07/23

Adentre este caminho de cura!

Muitas vezes, nossas angústias, medos e sofrimentos são resultados de feridas ou situações mal resolvidas de nosso passado. Algumas vezes, nos culpamos pelo que fizemos, outras vezes nos culpamos por aquilo que não fomos capazes de remediar… Em outras situações, são as lembranças que nos aprisionam… É fundamental reconciliar-se com seu passado para que o seu presente não seja destruído. 

E quantas vezes essa reconciliação com o passado passa pelo perdão, pela releitura calma de sua história, pelo diálogo, pela capacidade de ouvir aos outros e a si mesmo…? Reconciliar significa ter a coragem de olhar para trás, aceitar o que não volta mais e seguir em frente. São Luís e Santa Zélia, os pais de Santa Teresinha, nos ensinam a aceitar em paz aquilo que se levanta contra nossa vontade e destrói nossos sonhos e projetos. 

Esse foi o caso na vida de Luís Martin. Aos 20 anos de idade, durante seu treinamento como relojoeiro, ele foi seduzido pela descoberta do hospício Grande-São-Bernardo. Ele achava que poderia aproveitar ao máximo sua vida ali: dedicar-se a Deus em um ambiente encantador, viver uma vida fraterna em comunidade e ajudar os viajantes perdidos nas montanhas ao redor. Mas ele não contava com o fato de que seria prejudicado por não ter aprendido latim. E assim, foi então obrigado a desistir desse belo projeto de vida religiosa.

Já Zélia Guérin queria se juntar à comunidade das Filhas de São Vicente de Paulo que serviam aos indigentes e aos doentes. Sua entrevista, porém, terminou em fracasso. As razões para isso não são claramente conhecidas: entre a relutância expressa de sua mãe, a menção muito provável da saúde frágil de Zélia, o discernimento esclarecido e perspicaz da superiora ou algum outro motivo… De qualquer forma, a porta para esse projeto foi fechada.

Oito anos depois, essas portas fechadas dariam acesso à ponte sobre a qual Luís e Zélia se encontrariam.

A vida de Luís e Zélia é um caminho de meditação para nós: quando uma porta se fecha, uma outra abrirá novos horizontes. Vamos nos esgotar sozinhos em um caminho de amargura e ressentimento ou vamos clamar a ajuda de Deus?

Muitas vezes preferimos nos esconder do passado, evitar discussões que causam dor e sofrimento, e viver como se nada de ruim tivesse acontecido. Preferimos enterrar no fundo de nossas mentes cada uma dessas situações. Encará-las de frente não está no nosso planejamento e isso é uma pena! É difícil progredir na vida quando não nos reconciliamos com nosso passado. As memórias dolorosas não cansam de vir à tona repetidas vezes, e essas feridas têm tendência a não cicatrizarem com facilidade.

A oração é um passo para essa cura, uma forma de confiar a Deus cada um desses sentimentos e pessoas para que possamos seguir livres e curados a nossa jornada nessa terra. Convido você a participar do retiro online de 15 dias de oração com São Luís e Santa Zélia para se reconciliar com seu passado (clique aqui para se inscrever). Você receberá uma meditação escrita e em áudio, baseada na vida de Luís e Santa Zélia, que fornecerá as chaves para curar feridas passadas. Boa meditação nesse caminho de cura!

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia