Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Casamento: o vínculo que mantém nossa sociedade unida

married couple holding hands

aprilante | Shutterstock | Altered by Aleteia

Michael Rennier - publicado em 12/09/23

Não existe relacionamento tão próximo quanto o de marido e mulher. O vínculo entre eles é tão forte que cria as condições para qualquer outro relacionamento humano

Esta tarde tirei algumas horas de folga do trabalho para ir colher maçãs com minha esposa e meus filhos. Nós oito entramos em nossa van surrada e seguimos para o pomar. A menina de cinco anos começou a tirar selfies na cadeirinha do carro. Outra filha montava um coro de lamentações por causa da música. Nossa adolescente no banco da frente lutava, sorrindo, para fornecer à mãe instruções de direção coerentes.

Na fazenda, as crianças corriam entre as macieiras carregadas de frutas. Eles estavam loucos de alegria, torcendo maçãs vermelhas dos galhos e empilhando-as em sacos. Minha esposa descansou brevemente a cabeça em meu ombro. A luz se inclinou dourada através das folhas. Fiquei contente, simplesmente feliz por estar ali.

Não parece muito, esse instante de algumas horas aleatórias de um casamento, mas para mim é tudo. É fruto de décadas de compromisso, de uma relação que amadureceu com o passar dos anos e se tornou a força central de tudo o que sou.

A importância do casamento

Na verdade, momentos como estes, que ocorrem em qualquer família, que nascem de um casamento fiel são, na verdade, muito mais valiosos do que pensamos. Cada casal sabe que seu próprio casamento é importante para eles e sua família. Talvez o que eles não percebam é que o casamento deles também é importante para todos os outros. O casamento é a base da própria sociedade. Sem o vínculo matrimonial, todo o resto desmorona.

São João Crisóstomo sentiu que o tema era tão importante que pregava regularmente sobre o assunto. Ele costumava dizer que:

 “O amor de marido e mulher é a força que une a sociedade”

Essa afirmação é surpreendente. Para mim, isso se torna particularmente comovente quando considero meu próprio casamento e a forma como minha esposa compartilha seu amor por mim. São as pequenas coisas. Ela percebe quando tenho uma reunião tardia e prepara o jantar para mim quando chego em casa. Ela deixa o último pedaço de torta de maçã para mim. Ela percebe um botão solto na minha camisa e o recoloca antes mesmo que eu perceba que precisa ser consertado. A lista continua.

Um vínculo expansivo

A questão é que o vínculo entre marido e mulher é concreto e tangível. Está nos detalhes, na forma como duas vidas são compartilhadas. Se tiverem filhos, o amor deles se expande e o vínculo fica mais forte. Novamente, está nos detalhes – colher maçãs, observar as crianças praticando esportes, ensinar o adolescente a dirigir, ajudar uns aos outros em momentos difíceis.

Esses pequenos momentos íntimos não ficam dentro do casamento. Eles assumem peso cósmico. A experiência vivida do amor expressa em milhares de atos de virtude. É assim que se cria uma sociedade saudável. Não são os políticos, nem os gestores de dinheiro, nem as políticas públicas – é o casamento e a família. São as pequenas coisas.

O casamento cria a sociedade

O casamento cria a sociedade, e não o contrário. Não existe relacionamento tão próximo quanto o de marido e mulher. O vínculo entre eles é tão forte que cria as condições para qualquer outro relacionamento humano. Isso não significa que todos devam ser casados; todos nós temos nossas próprias vocações, mas isso significa que a existência do casamento é necessária para todo o nosso sucesso. A sociedade não é uma construção artificial que define as relações dentro dela através da aplicação de um sistema teórico. Pelo contrário, a sociedade surge dos bens naturais já presentes nas pessoas que compõem essa comunidade – especificamente as virtudes e os laços formados no casamento e na família.

Uma sociedade bem ordenada, como o casamento, não se baseia em regras arbitrárias impostas pelo medo ou pelos desejos de qualquer governante que esteja no poder. Baseia-se em relacionamentos amorosos, na boa vontade de boa vizinhança e no bem comum de toda a comunidade. A sociedade é feita de pessoas reais. É pessoal. Tal como o casamento, as pessoas da comunidade não são perfeitas, mas, tal como um marido ou uma esposa, usamos as nossas imperfeições como oportunidades para crescer e comprometer-nos com a fidelidade.

Um vínculo que mantém tudo unido

Crisóstomo escreve: “Como é difícil ter harmonia quando marido e mulher não estão unidos pelo poder do amor!” Talvez esta visão seja a chave para compreender por que ele ensina que o casamento é fundamental para a sociedade. No cerne da interação humana, deve haver amor. Um marido e uma esposa compartilham um certo tipo de amor, pais e filhos, outro tipo de amor, e vizinhos, ainda um tipo diferente de amor. Tudo isso é necessário.

O casamento é valioso especificamente porque forma um vínculo dentro do qual o amor é testado e se fortalece. Por causa do meu casamento, sou uma pessoa melhor fora de casa. Eu trabalho melhor no meu serviço, dirijo com mais segurança, sou mais voluntário, cuido das crianças no parque e tenho um interesse mais ativo nos assuntos locais e na legislação.

Tudo se resume às pequenas coisas. Esses pequenos atos de amor são a cola que mantém tudo unido. A simples bondade disso é profundamente comovente, possui uma força criativa que me impulsiona a continuar me esforçando para me tornar o tipo de homem que espero ser um dia. Não serei precipitado o suficiente para afirmar que sou um santo que tornou o mundo um lugar drasticamente melhor, mas, por causa do meu casamento, talvez um dia o faça.

Tags:
CasamentoFamíliaSociedade
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia