Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 03 Março |
Aleteia logo
Curiosidades
separateurCreated with Sketch.

Hoje faz 755 anos que começou o conclave mais longo da história

Um conclave nos tempos atuais

Jeffrey Bruno | Aleteia

Um conclave nos tempos atuais

Francisco Vêneto - publicado em 29/11/23

Levou quase 3 anos até que finalmente foi eleito o Papa Gregório X

A maioria das pessoas, pelo menos nos países de tradição católica, sabe que um conclave é a reunião dos cardeais voltada a eleger o papa. O que nem todos sabem é que o nome “conclave” passou a ser usado justamente porque uma dessas eleições estava demorando tanto tempo que o governador local perdeu a paciência e resolver trancar os cardeais a chave até que escolhessem de uma bendita vez o novo pontífice. Dos termos latinos “cum” (com) e “clavis” (chave), nasceu então a palavra “conclave”.

E a impaciência não era de se estranhar: a Sé de Pedro, afinal, já fazia quase três anos que estava em vacância!

Era 29 de novembro de 1268 quando teve início aquele que viria a se tornar o conclave mais longo de todos os tempos: só terminaria em 1º de setembro de… 1271, quase três anos depois, quando finalmente saiu eleito o Papa Gregório X. Tinham-se passado inacreditáveis 34 meses.

A Enciclopédia Católica registra que os cardeais estavam reunidos não em Roma, e sim em Viterbo, e se dividiam em dois grupos: os franceses e os italianos. Nenhum dos grupos conseguia a maioria de dois terços – mas também nenhum queria ceder ao outro grupo.

Depois que o governador de Viterbo mandou trancá-los no palácio episcopal – e até mesmo cortar o fornecimento de comida para eles -, as decisões começaram a andar mais rápido. A Enciclopédia Católica prossegue:

“Chegou-se a um consenso, graças aos grandes esforços dos reis da Sicília e da França. O Sacro Colégio, então composto por 15 cardeais, escolheu seis para entrarem num acordo e emitirem o voto final. Os seis delegados se reuniram em 1º de setembro de 1271 e uniram os votos, elegendo Teobaldo Visconti, arquidiácono de Liège, que não era cardeal e nem sequer sacerdote”.

De fato, o novo papa nem estava na Itália quando foi eleito. Ele acompanhava o príncipe Eduardo, da Inglaterra, em peregrinação à Terra Santa. Já estava em Acre, cidade hoje situada em território israelense, próxima do Monte Carmelo, quando recebeu o chamado dos cardeais para retornar imediatamente.

Mas quem era Teobaldo Visconti? Italiano nascido em Piacenza, ele havia passado um tempo a serviço do cardeal Jacobo de Palestrina antes de ser nomeado arquidiácono de Liège. Em seguida, acompanhou o cardeal Ottoboni em uma missão à Inglaterra – e foi por isso que acabou acompanhando o príncipe na comitiva rumo a Jerusalém.

Convocado de volta à Itália, o papa eleito iniciou o seu retorno da Terra Santa em 19 de novembro de 1271 e só foi chegar a Viterbo em 12 de fevereiro do ano seguinte, quando aceitou a dignidade pontifícia e adotou o nome de Gregório X.

A título de complementaridade histórica: o conclave oposto a esse em termos de duração aconteceu em 1503: só levou algumas horas para os cardeais elegerem o Papa Júlio II.

Tags:
CardeaisHistória da IgrejaPapa
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia