Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 03 Março |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Nossa Senhora de Guadalupe e seu olhar maternal

Our Lady of Guadalupe, detail of face

Public Domain

Michael Rennier - publicado em 11/12/23

O olhar de Nossa Senhora revela o quanto ela deseja estar perto de nós e nos ver. Nesse olhar, se comunica um coração de mãe

Quando nossos filhos eram bebês, minha esposa cuidava de cada um deles até tarde da noite. Ocasionalmente, eu acordava e passava cambaleando a caminho da cozinha para tomar uma água. Na sala escura da família, eu a via com nosso bebê. Às vezes, ela usava uma mão para segurar o bebê que estava amamentando e a outra para segurar um livro, ou talvez o bebê tivesse adormecido, e ela tricotava um pouco em silêncio antes de tentar tirar o bebê do colo e colocá-lo no berço. Mais frequentemente, ela não estaria fazendo nada além de olhar.

Com os dedos penteando levemente os cabelos desgrenhados da criança, os ouvidos atentos aos pequenos batimentos cardíacos, ela ficava sentada, muito feliz, olhando para o bebê. Ela não estava procurando nada específico e não esperava nenhuma resposta. A visão de seu filho era suficiente. Cada um dos nossos seis filhos era um mistério a ser ponderado no silêncio do seu coração materno. Quase me sentia um intruso na cena. Eu passava tranquilamente para não perturbar aquela paz que era tão forte!

O Advento nos pede para olhar

Este ato de olhar, ou contemplar, é central para a espiritualidade do Advento. Junto com Maria, José, os pastores, os magos, os anjos e até os animais, chegamos ao lado da manjedoura e adoramos o Menino Jesus. Somos convidados a olhar com eles, a investigar um grande mistério e a considerar o que significa para Deus ter-se unido à criação. É por isso que todas as leituras das Escrituras para o Advento insistem tanto que paremos tudo o que estivermos fazendo, prestemos atenção e olhemos. Se não o fizermos, poderemos perder um grande milagre.

Não posso deixar de achar que a busca é longa e árdua. Chegar ao lado de Cristo não é fácil. Uma jornada de fé como esta acontece na escuridão da noite. Tenho que admitir, por mais que eu ame as épocas do Advento e do Natal, em alguns anos pode demorar um pouco para eu realmente gostar delas. Nem sempre sou bom em focar no que é importante. Eu me distraio vergonhosamente rapidamente. Eu procuro nos lugares errados.

Como uma mãe olhando para seu filho

Quando me sinto solitário e melancólico, a alegria do Natal soa falsa. Olho em volta e tudo que vejo são atividades das quais não quero participar, como compras na Black Friday e filmes terríveis de Natal.

Naqueles momentos em que olhar se tornou cansativo, não posso deixar de voltar à imagem da minha esposa – uma mãe olhando para o filho. Talvez o Advento não seja apenas uma questão de conseguirmos olhar na direção correta e finalmente descobrirmos tudo. Talvez eu não seja tão bonito quanto a mãe. Talvez eu seja a criança. Maria é nossa Mãe e, assim como olhou para o filho no berço, também olha para cada um de nós.

Nossa Senhora aparece

É bastante apropriado que a festa de Nossa Senhora de Guadalupe se realize durante o Advento. Em dezembro de 1531, Nossa Senhora apareceu diversas vezes perto da Cidade do México a um camponês chamado Juan Diego. Na primeira vez que ela apareceu, seu brilho fez as plantas e até a terra brilharem como pedras preciosas. Juan não conseguia tirar os olhos dela. A partir deste primeiro encontro, ela o enviou ao bispo local para obter permissão para construir um santuário.

Juan foi ao bispo, e a construção lhe foi negada. Ele falhou. Na próxima vez que passou pela colina onde Nossa Senhora lhe apareceu, ele passou correndo e desviou o olhar. Ele não queria vê-la. Mais importante ainda, ele não queria que ela o visse. Talvez ele estivesse envergonhado porque falhou.

Ela o viu de qualquer maneira. Enquanto ele tentava passar furtivamente, ela chamou Juan. Ela estava o observando o tempo todo. Ela não se importou que ele não tivesse conseguido. Ele ainda era seu filho amado. Então ela lhe deu um sinal para convencer o bispo, direcionando-o para as rosas que floresciam no deserto onde não deveriam estar. Juan juntou as rosas na camisa e correu até o bispo. Ele as deixou cair no chão, aos pés do bispo, e só então o verdadeiro milagre foi revelado. Era a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe impressa em sua camisa.

O olhar de Maria

Essa imagem, não pintada por mão humana, convenceu o bispo. O santuário foi construído e a imagem pendurada sobre o altar onde perdura há quase 500 anos sem se deteriorar. Nos últimos anos, os céticos têm insistido em examinar a imagem com todos os tipos de instrumentos científicos. Um experimento tirou uma foto ampliada do olho de Maria. O que se refletiu nos alunos foi surpreendente. Ali, em seus olhos, mais realista do que qualquer artista humano poderia pintar, está uma imagem de Juan Diego.

Nossa Senhora ainda está olhando para ele. Ele é a menina dos olhos dela, seu filho amado, mesmo 500 anos depois. Parece que ela nunca vai parar de olhar para ele.

O olhar contemplativo de Nossa Senhora guarda muito. Indica um vínculo forte e um relacionamento íntimo. Nossa Mãe não precisa dizer nada. O silêncio não é estranho. Ela simplesmente quer estar perto de nós e nos ver. Nesse olhar se comunica um coração de mãe.

Sempre nos observando

Noite adentro, na escuridão do Advento, os olhos de Maria permanecem sobre nós. É tarde, talvez seus olhos estejam um pouco cansados, maravilhados e questionadores sobre o que seu filho pode se tornar, preocupada com nossos erros, mas sempre o olhar dela é o de um guerreiro, um olhar tão amplo quanto o céu, um coração de amor, a doçura da graça. É um olhar que reconhece o quanto somos capazes e que o nosso nascimento no mundo é um milagre sem comparação.

Nossa Mãe está observando. Onde quer que estejamos, somos conhecidos e amados.

Tags:
mãeMariaNossa Senhora
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia