Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Amigos Pelo Bem (PMs) completa cinco anos

Polícia Militar Brasil

Shutterstock

Vanderlei de Lima - publicado em 19/12/23

Para nós, o bom policial militar, embora odiado e combatido por alguns setores da sociedade, realiza o que diz Cristo, nosso Senhor, no Evangelho: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos”

No dia 26 de dezembro de 2018, nascia, no whatsapp, o grupo “Amigos Pelo Bem (PMs)”. Seu objetivo: reunir policiais militares do Estado de São Paulo – oficiais e praças – e oferecer-lhes um modesto, mas eficaz apoio moral e espiritual, de inspiração católica, apto a auxiliá-los nos embates da vida diária.

Para nós, o bom policial militar, embora odiado e combatido por alguns setores da sociedade, realiza o que diz Cristo, nosso Senhor, no Evangelho: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos” (Jo 15,13). Com efeito, ele é um ser humano comum, mas que, em virtude da sua profissão, deixa a sua família para arriscar a própria vida em favor de pessoas desconhecidas na mira de delinquentes perigosos que – atuando contra Deus – desejam “roubar, matar e destruir” (Jo 10,10).

E o que recebe esse policial, além de um salário pouco condizente com o constante risco de vida que corre? – Recebe críticas ferrenhas de parte da imprensa, de autoridades e até de algumas pessoas “de igreja”. Ouvimos dizer que uma senhora, bastante empenhada na sua paróquia, dizia: “Os policiais trabalham pouco. Eles mais passeiam de viatura e, assim, gastam gasolina com o dinheiro dos nossos impostos”. A mesma pessoa, outra vez, comentava: “A Polícia não corre atrás de bandido. Corre dos bandidos. Não quer trabalhar. Se o ladrão vai para a esquerda, ela vai para a direita e deixa o criminoso fugir”. Dizeres genéricos a demonstrarem que passar muito tempo na igreja nem sempre torna a pessoa melhor ou mais reflexiva no seu modo de pensar e agir.

No sentido oposto a essa senhora proposta como modelo de crítica estúpida, estão, por exemplo, o Dr. Vitor Pugliesi Marques, médico neurologista, a Dra. Elizabetta Colombo, médica hematologista, a jovem Maria Luiza Schons Basei, enfermeira, o Dr. Felipe Bertazzo Tobar, advogado, entre tantos outros que, no dia a dia, apoiam a Polícia Militar e os trabalhos de ajuda aos PMs. Graças a essas pessoas beneméritas, incluindo alguns sacerdotes, foi possível doar, até o momento, à PM, em Amparo, Americana, Descalvado, São Paulo (Rota), Mogi das Cruzes etc., aparelhos de aferir pressão arterial, termômetros, oxímetros, galões térmicos (e até uma geladeira), além de sorvete ou Café da Manhã por ocasião do Natal e da Páscoa. Deus seja louvado e, na sua infinita bondade, recompense a cada benfeitor(a) que torna possível essas doações.

Todavia, o propósito do grupo Amigos Pelo Bem (PMs), é oferecer, ainda que de modo remoto, um “ombro amigo” nas horas difíceis da vida do policial. Embora, quase sempre se divulguem notícias de suicídio de PMs, nosso grupo, nestes cinco anos de ininterrupta atividade, por misericórdia de Deus, não perdeu ninguém. Apesar de casos muito complexos já enfrentados, estamos invictos!

Como e quando surgiu, no entanto, a ideia do grupo? – Surgiu, em agosto de 2017, quando o autor deste artigo ministrou, no 2º Batalhão de Choque, na capital paulista, um Curso sobre “Violência no Futebol” e ouviu, nos intervalos das aulas, algumas queixas de policiais. Elas envolviam o aspecto espiritual ou emocional. De imediato, por ação do Divino Espírito Santo, veio ao professor a inspiração de responder a esta necessidade por meio da oração (o espiritual) e da conversa (o emocional) fraterna. Nasceu o grupo.

Nestes cinco anos de caminhada, tivemos dificuldades várias, mas seguimos firmes com a graça de Deus. A maior dificuldade parece ser a falta de interesse em divulgar o trabalho ou dele fazer parte. Pode ser que na cabeça de alguns PMs fique a questão: “Por que mais um grupo para ajudar a travar o celular? Quando eu precisar, me viro sozinho, como sempre fiz”. No entanto, sabemos, por experiência, que não é assim. O ser humano é um ser social e sentir-se apoiado nas dificuldades já é um grande passo rumo à resolução dos problemas. Sem dizer que a oração muito ajuda nas batalhas diárias. Elas são, quase sempre, muito mais espirituais do que humanas (cf. 1Pd 5,8; Ef 6,10-20).

Louvemos, pois, a Deus pelos cinco anos do grupo e façamos sinceros votos para que o convite à sua participação chegue a cada PM do nosso Estado.

Contatos pelo whatsapp: (19) 995649949 – Ao chamar, identificar-se, por favor!

Tags:
Sociedade
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia