Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Fevereiro |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Como podemos fazer a vontade de Deus diariamente? 

DEEP IN THOUGHT

Shutterstock

Edifa - publicado em 19/11/19

Somos chamados a fazer a vontade de Deus aqui e agora. Mas como podemos saber, a qualquer momento, qual é a vontade do Senhor? Está em nosso poder saber e cumprir isso na vida cotidiana?

Sem Deus, não há nada que possamos fazer. É claro que, quando afirmamos poder realizar algo, isso sempre implica: com a graça de Deus. Se Deus parasse de nos apoiar por um momento, não haveria nada que pudéssemos fazer. Se Ele deixasse de nos amar por um momento, já nem sequer existiríamos.

Deus escolhe precisar de nós. Deus não precisa de nós, no sentido estrito da palavra – Ele existe sem nós e é suficiente para Si mesmo – mas nos criando, nos associando à Sua obra da Criação e, mais ainda, à Sua obra da Redenção, Ele escolhe “precisar” de nós. De certa forma, a sua vontade já não pode ser cumprida sem nós.

Ele não pode nos salvar apesar de nós, não pode nos forçar a aceitar seu amor ou nos obrigar a amá-lo. Ele faz de nós filhos, não escravos, e o amor de um filho implica uma decisão livre. Para que a sua vontade se cumpra “na terra como no céu”, Deus conta conosco.

Qual é a vontade de Deus?

Não nos cabe a nós saber tudo sobre seus projetos: basta que sejamos informados sobre a parte que depende de nós, para o resto, confiamos Nele. Mas que parte é esta? Jesus respondeu claramente: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito. Amarás teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:37). Ele insiste na véspera da sua morte: “Dou-vos um mandamento novo: amai-vos uns aos outros, como eu vos tenho amado” (Jo 13, 34). Isto é o que Deus quer.

A vontade de Deus é o amor: que O amemos e que amemos os nossos irmãos. No entanto, amar não é experimentar sentimentos, mas “dar a vida por aqueles que amamos”: entregar e dar a cada momento, até mesmo nos detalhes da vida cotidiana. Cada minuto me é oferecido como uma oportunidade de amar a Deus e aos meus irmãos, e de me deixar amar por eles. A vontade de Deus é que eu faça tudo por amor, com todo o meu coração, com total atenção ao que me é dado viver “aqui e agora”.

O que Jesus fez na Terra senão fazer a vontade de seu Pai? Ele não só cumpriu esta vontade na Sexta-feira Santa, mas em todos os momentos de sua vida como homem. Quando brincava com os filhos de Nazaré, quando comia ou trabalhava com José, quando ajudava Maria a carregar a jarra de água quando ela voltava da fonte ou quando preparava peixe grelhado para os seus amigos, em todas essas pequenas coisas muito encarnadas, Jesus fez a vontade do seu Pai. Nele, através dele, a vontade do pai é encarnado em nossas vidas diárias.

Em termos concretos, como podemos discernir a vontade de Deus?

Muitos indicadores nos são dados pelo Senhor. Estes incluem, entre outros: a Palavra de Deus e o ensinamento da Igreja, os conselhos dos nossos irmãos e especialmente daqueles que têm autoridade sobre nós, os acontecimentos e as necessidades.

Frequentemente, na vida cotidiana, a vontade de Deus é clara: se eu estou no escritório ou na sala de aula, a vontade de Deus é que eu trabalhe o melhor que puder; se eu estiver em um carro, dirigirei com cuidado e bondade, etc. Às vezes é mais difícil: temos de rezar e pedir conselhos para encontrar o nosso caminho.

Em todo o caso, tenhamos a certeza de que, quanto mais nos esforçamos por fazer a vontade de Deus até nos mínimos detalhes da vida quotidiana, mais Ele nos permite discernir o que Ele quer de nós.

Várias vezes por ano, celebramos a Virgem Maria. Mas a sua vida estava cheia de pequenos gestos aparentemente inofensivos, tarefas diárias incansáveis e repetidas. Mas em todas estas pequenas coisas, em cada momento, “aqui e agora”, ela disse “sim” sem reservas à vontade de Deus.

Christine Ponsard

Tags:
DeusMeditaçãoOraçãoVirtudes
Top 10
Ver mais