Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma

O seu relacionamento caiu na rotina? Veja como mudar isso

ZŁE NAWYKI MAŁŻEŃSKIE

Shutterstock

Edifa - publicado em 13/02/20

A rotina acompanha todos os casais e geralmente acontece sem aviso prévio. Se ela proporciona algum conforto diariamente, às vezes pode se tornar inimiga do casal. Monotonia, silêncios, vidas paralelas são inimigas do amor. Reaja!

Hoje, o que parece um “déjà vu” assusta você, inclusive na vida conjugal. Para muitos, a rotina é o beco sem saída que leva à separação. Os hábitos tomam conta e um dia surge uma impressão triste: tudo tem sido o mesmo há anos.

“Um dos cônjuges está começando a ficar entediado”, diz Sophie Passot, conselheira de casamento e família, casada e mãe de quatro filhos. Mais e mais, à noite, todo mundo sai para o seu canto, ele na frente do computador, ela na frente do celular. O silêncio se instala. “É um sinal de desgaste no vínculo conjugal. A diferença aumenta ao ponto de começar a viver em paralelo, sem desejar mais a “intimidade emocional”. Está na hora de voltar. Começamos a lamentar o que pode ter acontecido. Mas como esses casais que tinham antes tanto entusiamo caem no tédio da rotina?

O psicólogo Gary Chapman chama isso de outono: “No início desta temporada“, escreve em seu livro As Estaçoes do Casamento (tradução livre), “a união parece boa, mas por dentro a situação muda e quando os ventos frios sopram, a deterioração se torna evidente”. A rotina pode aparecer rapidamente, mesmo que atinja mais comumente casais na faixa dos 40 anos. Ela se instala maliciosamente, sem aviso prévio. Para desviar-se dessa rotina, você deve primeiro saber como reconhecer os sinais de angústia da outra pessoa e os seus próprios.

Rastrear sinais de desgaste

Quando os momentos a dois se tornam mais longos, quando o diálogo se torna empobrecido, os dois cônjuges correm o risco de se tornar dois companheiros de quarto. Em seus corações, cada um acusa o outro dessa distância e espera, com mais ou menos paciência, que algo mude. Podemos, contudo, perceber algumas luzes que nos alertam. A negligência, por exemplo. Ao final de um certo período da vida comum, voltamos ao nosso estado natural, nos monitoramos menos, controlamos menos nossas reações. O beijo da manhã ou da noite se torna mais mecânico. Perdemos as pequenas delícias da vida cotidiana: esperar pelo outro para iniciar a refeição, prestar-lhe um serviço, fazer perguntas sobre o seu dia. Mas só porque a paixão era forte no início não significa que você esteja dispensado de alimentar esse fogo, como se o amor fosse algo dado. A relação conjugal é nutrida.

Esses descuidos estão enraizados no egoísmo. No início do relacionamento, os dois amantes estavam prontos para fazer qualquer coisa para agradar um ao outro. O que aconteceu? “O pecado original, como em Adão e Eva, cria desconfiança, o medo de ter que se despir e, portanto, de ser julgado“, analisa Gary Chapman em Casais e Cúmplices. Então eles se protegem e ficam longe um do outro. Eles não são mais sensíveis às suas semelhanças, mas às suas diferenças. Eles não estão mais ouvindo o que os une, mas o que os separa. O egoísmo substituiu o amor.”

Antes que todos os indicadores fiquem vermelhos, é necessária vigilância. Existem muitas soluções e tudo pode se tornar novamente nos como nos primeiros dias, ou até melhor! Hoje existem muitas ferramentas, conselhos para ajudar a saborear esse caminho a dois que, conforme a expectativa de vida, pode continuar por mais de 70 anos!

Abasteça o fogo do amor

Antes de recorrer aos grandes remédios, é possível adicionar tempero e criatividade à sua vida de casal. “É hora de nos conectarmos com esse espírito infantil, essa alegria que tínhamos quando estávamos noivos“, aconselha Sophie Passot. Não hesite em começar a mudança: mude o corte de cabelo, o estilo da roupa, compre uma lingerie nova. Tudo isso pode renovar a sedução. A dimensão sensível é muito importante no casamento. Manter um ao outro atraente é uma necessidade. Benedita e José, seis filhos e 22 anos de casamento, são unânimes: “Também é importante renovar, de tempos em tempos, a estrutura do amor. Às vezes, vamos juntos para um fim de semana sem nossos filhos. Isso introduz um pouco de mágica ao relacionamento”. Sophie Passot observa: “Os casais também precisam inventar sua liturgia para os tempos comuns e para os tempos mais extraordinários. “

Também é bom sonhar juntos, planejar o futuro “um dia, compraremos uma casa grande, um dia, iremos ao redor do mundo…”. Sophie Passot diz: “Ter projetos, mesmo que não sejam necessariamente realistas, mantém a cumplicidade. É possível por exemplo preparar uma viagem, uma festa que planejamos com antecedência e que dá raízes ao casal. Falamos sobre isso antes, durante e depois”.

“Um casamento feliz é uma longa conversa que que parece breve”

Fantasias não são suficientes. Reacender a chama, é sobretudo uma questão de aprofundar o relacionamento. “Não foi para vivermos juntos, conversarmos juntos, que nos casamos? pergunta Jean, casado há 25 anos. No entanto, não fazemos mais nada por esses objetivos. “Qual é o sentido de partir ao fim do mundo se, no seu retorno, a rotina recomeça como antes, sem ter havido um encontro profundo? Em vez disso, o casal precisa de terapia profunda. É preciso começar prestando atenção ao outro. Se os cônjuges não olham um para o outro, nada acontece. Encontrar-se requer verdadeira conversão e abnegação. “O primeiro próximo que nos foi confiado por Deus, observa Sophie Passot, é aquele que nos casamos. “

“Um casamento feliz é uma conversa longa e que parece ter passado muito rápido”, escreveu o romancista francês André Maurois. Os cônjuges nunca se falam o suficiente. Mas sobre o que falar? Tudo e qualquer coisa, tenderíamos responder. No entanto, isso não é suficiente, porque muitas vezes falta o compartilhamento de emoções. Podemos falar sobre como vivemos durante o dia, sem nos limitarmos aos fatos, mas mencionando as repercussões que eles tiveram sobre nós. Quando se trata de uma emoção importante, alguns gostam de fazê-lo por escrito, em palavras curtas, mensagens de texto: todos têm seu próprio caminho.

Mesmo antes que a rotina se instale, a revisão da vida comum é necessária e não podemos economizar palavras. É hora de dar um passo atrás, fazer um balanço dos fundamentos de seu relacionamento. É possível medir a distância percorrida desde o casamento, para evocar as alegrias e tristezas que os marcaram. É bom se fazer várias perguntas: “O que aconteceu com os objetivos que estabelecemos para nós mesmos?” Onde estamos? Como cada um de nós pode investir para sair da rotina? Quais são as respectivas brechas no relacionamento: celular, trabalho, videogame, livros… Onde, no meio de tudo isso, podemos reservar mais tempo um para o outro?”.

Gratidão e oração não devem ser esquecidas

Para Salomon Nasielski, terapeuta de análise de transações, “a gratidão é o fertilizante do casal”. É uma maneira maravilhosa de intensificar o vínculo e, portanto, revivê-lo. Diga obrigado e expresse exatamente o porquê! Já nos anos passados juntos, mas também por tudo o que o outro faz, que parece um dever mas que é um dom. Além disso, não podemos negligenciar o perdão. Quando um dos cônjuges pede desculpas ao outro, as defesas caem por terra e os cônjuges podem falar um com o outro novamente. “Não é negando nossas falhas que alcançaremos intimidade, mas admitindo-as imediatamente e pedindo perdão”, observa Gary Chapman, que considera que quanto mais os cônjuges estão próximos de Deus, mais profunda é a intimidade no relacionamento à dois.

Adéline e Pierre testemunham: “A ajuda mais forte e proveitosa é a espiritual”. O Espírito Santo, o Espírito de renovação, que suaviza o que é rígido, irriga o que é seco e aquece o que é frio, é o interlocutor ideal para o casal preso na rotina. Cabe ao casal orar com confiança para que este Espírito traga as soluções certas. O Vinde Espírito Santo pode, assim, tornar-se uma oração conjugal.

Florence Brière-Loth

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
AmorCasamentoFamíliaRelacionamento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
SAINT JOSEPH SLEEPS
Philip Kosloski
Durma em paz com esta breve oração a São José
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais