Aleteia

Quaresma: Um tempo para fazer penitência, mas com limites

WOMAN PRAYING
Shutterstock
Compartilhar

Fazer penitência não significa necessariamente buscar o martírio e sair exibindo por aí “rostos de quaresma”. Felizmente, o chamado à conversão pode ser vivido em alegria e amor. Este é um estado de espírito e um propósito para manter e lembrar

As “pequenas resoluções” nos permitem experimentar, através de nossas dificuldades, que somos pobres diante de Deus e que tudo vem Dele. É uma boa oportunidade para introduzir na oração da noite por exemplo uma canção de misericórdia como o “Kyrie eleison”, o Ato de contrição ou o Confesso a Deus.

Até onde você deve se restringir?

A Quaresma também é uma oportunidade por excelência para restaurar a ordem em sua vida, especialmente quando algo está machucando a família: romper um relacionamento sem futuro, reduzir um excesso ou vício (cigarro, celular, videogame, horário de trabalho, se possível, etc). Por que não decidir também consumir menos ou surfar menos nas redes sociais?! É importante identificar “não as coisas que não podemos mais fazer durante a quaresma, mas o que podemos fazer mais por Deus”.

A que ponto devemos suprimir a Nutella, o brigadeiro ou outras sobremesas deliciosas se todos não param de reclamar? Podemos escolher juntos o alimento que vamos renunciar. A abstinência é menos heroica – cada um é livre para fazê-la segundo a sua medida – mas ela une a comunidade, que é convidada a fazer um esforço em conjunto.

É preciso também saber como diminuir a pressão. As restrições familiares nos levam a coisas inesperadas às vezes. Por exemplo, pode ser que quando estamos com o estômago vazio, ficamos com raiva e sem energia! Então provavelmente é melhor fazer um lanche para evitar brigas ou estresses desnecessários. A oração não flui? Então precisamos revisá-la e adaptá-la, ouvindo e envolvendo cada membro de nossa família.

Yolande Bésida

Boletim
Receba Aleteia todo dia