Aleteia

Esses pequenos gestos de amor são mais importantes do que os “Eu te amo”

COUPLE,
Jacob Lund | Shutterstock
Compartilhar

“Eu te amo!”. Para algumas pessoas, essa frase é muito preciosa. Porém, o amor nem sempre é evidenciado por essas três palavras…

Nos sacramentos, a Igreja exige uma palavra e um gesto. Se o padre derrama água na frente da criança sem dizer “eu te batizo”, o batismo é inválido. Num casal, também, as ações devem ser combinadas com palavras.

Virtudes simples

Viver o dia a dia os pequenos gestos de amor mantém o fogo vivo. Além disso, esses atos voluntários de amor que podem lhe custar no momento o afastam do amor narcisista onde você ama o outro por você mesmo.

Muitas vezes, graças a eles, a sensação desperta e reaparece, purificada, menos egoísta, dilatada. O casal descobre então os cumes do dom do amor: “Amo o outro por ele ou ela, sem retorno”.

Atenção: os atos que são solicitados não são necessariamente sumptuosos presentes, nem grandes demonstrações de generosidade. Ou seja, são “pequenos gestos”, ricos em amor e significado. Algumas idéias?

Olhar para sua amada, dizer-lhe que ela é extraordinária, reconhecer o seu dia de trabalho, contar-lhe o seu próprio dia, fazer pequenos serviços sem serem solicitados, animar o outro no trabalho…

O caminho para o sucesso do seu casal é através da prática das virtudes simples do dever de estado. Às vezes só é preciso um sorriso!

Denis Sonet

Boletim
Receba Aleteia todo dia