Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma

Depressão: como convencer nosso cônjuge para que ele se cuide?

SAD COUPLE

Shutterstock

Edifa - publicado em 27/07/20

Ter um cônjuge que sofre de depressão é uma prova difícil, ainda mais difícil quando ele ou ela se recusa a receber tratamento. Aqui estão algumas dicas para acompanhá-lo no caminho da cura

A depressão de um cônjuge geralmente tem um impacto negativo na vida familiar. O sofrimento permanente do deprimido e o seu cansaço acabam criando um clima insuportável, acentuado consideravelmente quando há uma recusa em cuidar-se. O que fazer então?

Mostrar que entendemos o que ele está enfrentando

Vamos primeiro ver o que ele não tem que fazer. Há uma grande tentação de pedir que ele “reaja”, “faça um esforço” para sair de sua apatia. Mas nunca pediríamos a um homem coxo que corresse! Portanto, você não pode pedir ao cônjuge deprimido que reaja porque, precisamente, é a sua “vontade” que é afligida: faz dela até uma montanha para ser tratada!

A primeira atitude é mostrar ao cônjuge que entendemos o que ele está vivendo. O cônjuge deprimido está em permanente estado de sofrimento: a vida lhe parece monótona, sem propósito. Ele percebe apenas o negativo.

Além da perda de motivação, há um intenso cansaço que o paralisa na necessidade de não fazer nada. É provável que isso irrite o cônjuge, que pode pensar que o doente não está fazendo nada.

Assim como uma pessoa é capaz de uma dedicação incansável a um marido ou esposa que sofre de câncer porque sabe que não pode fazer nada, muitas vezes acontece que o mesmo apoio não é mostrado com uma doença percebida de forma mais ou menos confusa como algo atribuível ao doente (pelo menos na recusa de ser cuidado).

Deixe que expresse os sentimentos negativos

A pessoa deve então permitir que o cônjuge deprimido expresse os sentimentos negativos que o afetam. Ele pode ser o primeiro terapeuta na medida em que aceita esses sentimentos, tomando cuidado para não subestimá-los ou corrigi-los.

Além disso, é útil que o cônjuge deprimido possa formular os motivos de sua recusa de ser cuidado: alguns podem estar fundamentados se, no passado, algum tratamento não fosse conclusivo. Esse diálogo conjugal, ao fornecer algum alívio ao doente, pode dar-lhe o desejo de encontrar outro centro sanitário ou profissional mais eficaz.

No entanto, às vezes a terapia precisa ser acompanhada de medicamentos. Frequentemente, os deprimidos podem ser céticos quanto à eficácia dos antidepressivos; portanto, precisam saber que podem progredir, mesmo que tendam a se desesperar por causa das recaídas cíclicas das fases depressivas.

O encontro com outra pessoa que conheceu a depressão e que saiu dela vitoriosa pode mostrar que vale a pena procurar entre a variedade de antidepressivos aquele que pode aliviá-lo, contando com conselhos profissionais.

Por último, mas não menos importante, deve-se ter em mente que os momentos de meditação sobre o abandono ao Senhor têm um valor terapêutico verdadeiro.

Denis Sonet

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CasamentoDepressãoEstressePsicologiaSofrimento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
SAINT JOSEPH SLEEPS
Philip Kosloski
Durma em paz com esta breve oração a São José
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais