Aleteia

Como preparar e viver a festa da Assunção em família

VIRGIN MARY
Compartilhar

Em 15 de agosto a Igreja Católica comemora o fim da vida terrena da Virgem Maria e sua ascensão ao Céu. Aqui estão algumas dicas para celebrar de forma feliz esta importante festa familiar

Em nossa casa vamos preparar a Assunção para que essa atividade festiva mostre às crianças que este dia não é como os outros. As crianças (e não apenas elas!) precisam desses sinais externos que manifestam a alegria da Igreja. Cabe a cada família inventar sua festa, que pode se tornar uma tradição familiar vivida a cada ano.

Libere sua criatividade

O espaço de oração deve honrar uma imagem ou uma estátua de Maria. O seu cantinho pode ser adornado especialmente para a Assunção: flores, velas, desenhos infantis, orações compostas e ilustradas pelas crianças ou adolescentes. A oração familiar também deve assumir um brilho especial.

Se não houver procissão na paróquia, podemos organizar uma procissão familiar (convidando – porque não? – vizinhos e amigos). As crianças terão muito prazer em preparar no jardim ou mesmo dentro de casa uma espécie de altar para a estátua da Virgem, com ramos, flores (naturais ou feitas por papel crepom), velas. Elas também podem decorar e enfeitar com flores todo o trajeto da procissão.

Uma outra opção para as crianças é criar um vitral ou um desenho ilustrando a Assunção de Maria ou um grande mural ou pintura mostrando os mistérios do Rosário. Toda a família pode participar na montagem desse mural.

Você precisa de uma folha longa de papel branco (uma toalha de papel também serve). Protegendo o local com plástico ou jornal, e colocando à disposição dos “artistas” materiais básicos como canetas, lápis, tinta com água, todos podem ir trabalhando de acordo com sua inspiração, do mais novo ao avô, além dos amigos que podemos convidar.

A Assunção também pode ser uma oportunidade para uma peregrinação familiar: não faltam santuários marianos, para não mencionar lugares mais conhecidos como Santuário Nacional de Aparecida (São Paulo), Lourdes (França) ou Fátima (Portugal).

Diga “sim” como a Virgem Maria

Preparar a Assunção é também e antes de tudo, preparar-se pessoalmente para esta celebração e ajudar as crianças a fazê-lo. É essencial que elas entendam, ou pelo menos sintam, que Maria está sempre nos conduzindo ao seu Filho. Maria não nos mantém para si, Maria não deseja que nosso olhar pare nela: ela quer nos conduzir a Deus.

São Maximiliano Kolbe disse que Maria é como um atalho para ir a Deus. A melhor maneira de honrar Maria é adorar seu filho. E o caminho mais curto para Cristo é retornar às mãos de sua mãe. O que significa, concretamente: viver com e como Maria. Ore e adore como ela e com ela. Maria nos convida a responder totalmente ao amor de Deus, a deixar-se levar por Ele a todo momento.

A vida diária de Maria era feita de coisas muito pequenas e simples. Ela percebeu a perfeição do amor de Deus através de tarefas domésticas sem brilho aparente. Sua resposta ao amor de Deus foram os mil pequenos “sim” no decorrer dos seus dias. Vamos convidar as crianças a mencionar algumas delas: o primeiro “sim” do dia quando Maria se levanta; o “sim” da arrumação da casa; o “sim” da paciência que o cuidado do Menino Jesus exige (como todos os bebês do mundo); o “sim” da oração familiar diária, dentre outros. 

Porque Maria doou-se inteiramente, era totalmente disponível, perfeitamente dócil nas mãos do Espírito Santo através destes “sim” da vida cotidiana, ela também sabia como dizer “sim” nos momentos importantes: o “sim” da Anunciação, o “sim” da Paixão.

Lembremos isto às crianças que sonham com ações heroicas e imaginam-se como cavaleiros destemidos ou médicos corajosos. Existem situações bem reais que permitem sentir isso na pele, mesmo como criança, nas quais o Senhor os pede apenas um pequeno “sim”, sem farpas, como por exemplo o ato de arrumar a mesa ou emprestar sua bicicleta.

Ajude a paróquia a preparar a festa

Preparar a Assunção é também oferecer a ajuda de toda a família ao padre da paróquia (paróquia habitual ou de férias). É uma boa oportunidade para conhecer o sacerdote do lugar. Não se trata, evidentemente, de se impor, mas de se colocar à disposição da paróquia.

Os serviços que podemos oferecer são muitos, dependendo de nossas habilidades e necessidades locais. Por exemplo: limpar a igreja, limpar ou restaurar a estátua da Virgem Maria, comprar flores e fazer buquês, servir os outros, participar do coral ou improvisar um para a ocasião, colaborar com a organização e a animação da procissão, e assim por diante.

Além disso, não podemos esquecer que o padre pode desejar compartilhar as festividades de nossa família naquele dia: ouse convidá-lo para a nossa mesa. Mesmo se ele recusar o convite (ele pode ser convidado para outro lugar ou simplesmente querer um pouco de paz no meio de um dia agitado), ele certamente ficará muito contente pelo fato de que pensamos nele e por saber que estaremos felizes se ele puder vir outro dia.

Em 15 de agosto, vamos participar com alegria da missa e da procissão, se houver. As crianças guardam pequenas lembrancinhas, ano após ano dessas procissões. Às vezes elas imitam, desfilando pelo jardim ou pela casa, com velas imaginárias, cantando entusiasticamente “Ave Maria”.

Enfim, preparar a Assunção é nos tornar mais disponíveis para a ação do Espírito Santo, através da oração e dos sacramentos. Na véspera do dia 15 de agosto, muitas paróquias oferecem a possibilidade de receber o Sacramento da Reconciliação: não deixe de fazê-lo, mesmo que tenha que perder um meio dia de praia ou na fazenda. E vamos orar uns pelos outros, para que todos tenham uma bela festa da Assunção, que faça crescer em nós o amor pela Virgem Maria.

Christine Ponsard

Boletim
Receba Aleteia todo dia