Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

A aposentadoria, um novo desafio para o casal

ELDERLY COUPLE

Shutterstock

Edifa - publicado em 25/08/20

Depois de uma vida cheia de vitalidade, onde às vezes foi difícil estar juntos, a aposentadoria é um passo importante na vida de um casal. Você tem que aprender a viver juntos novamente e dar um novo alento ao seu casamento. Mesmo que esta nova vida às vezes possa ser assustadora, há mil e uma maneiras de vivê-la, respeitando os gostos e o caráter da outra parte.

Os aposentados não são o que eram antigamente. Eles deixam a vida profissional antes que seus pais e cruzam o limiar da aposentadoria como um casal, cheios de entusiasmo e projetos comuns. Cuidadosamente preparada e recebida juntos, esta etapa conjugal pode ser uma oportunidade para uma nova vida e um novo ímpeto.

Aprender a comunicar novamente

A mais longa expectativa de vida e o deslumbrante progresso da medicina fizeram recuar a velhice, deixando os casais aposentados com muito anos de vida por diante… uma vez superado o choque da confrontação cara-a-cara. O reencontro, depois de tantos anos de caminho sozinho, nem sempre é uma reunião feliz. Enquanto a aposentadoria for apenas uma miragem distante, ela é embelezada como um belo sonho. Quando chega a hora, às vezes é desilusão: este momento esperado como a plenitude da vida juntos e a recompensa após tantos anos de esforço e sacrifício acaba sendo um desencanto.

” Antes tão ocupado, meu marido não tem vontade de fazer mais nada. Eu estava planejando mil projetos para os dois… “, se queixa Diane. O drama conjugal de muitos aposentados é a diferença de gostos que surge quando o casal se encontra cara a cara. Redescobrir o cônjuge traz sua parte de sofrimento, lesão e desapontamento quando deixamos que a brecha se acentue. Quando os cônjuges adormeceram em duas vidas paralelas, eles acordam como completos estranhos um para o outro.

A presença de crianças às vezes esconde as feridas de uma família que não sabe mais como comunicar. A camuflagem se vai, e aparece o problema. “Para se manter saudável, o casal precisa continuar falando”, diz Marie. E se a aposentadoria oferecesse uma oportunidade para refrescar um casamento que até agora tinha sido monopolizado pelo trabalho e pelos filhos?

Pequenas atenções diárias e muitas orações

Quando todos tiveram o cuidado de manter a pequena chama conjugal, a passagem é suave, trazendo consigo umas fragrâncias de primavera. “Sou como uma jovem noiva, se maravilha a Simone, ainda surpreendida pela manhã ao encontrar seu marido em casa. Quando estava trabalhando, ele estava sempre em movimento e tinha pouco tempo para se dedicar à vida familiar”. Ela sorri: “Nós sempre falamos com facilidade, os dois. Estivemos juntos no barco, apesar de muitas vezes ter sido difícil quando nos víamos tão pouco um ao outro.”

A aposentadoria permite que o casal se reencontre, fortalecido por um passado comum e pelas dificuldades que superaram juntos. Desde que deixou seu emprego, Pierre vê sua esposa com novos olhos: “Vivemos juntos um longo caminho e hoje quero rejuvenescer nosso amor. É uma busca permanente, pequenas atenções diárias, e muitas orações. Eu invoco o Espírito Santo para regenerar nosso casamento.”

Quando o amor se reconstrói

Esta ternura conjugal é para muitos casais uma revelação, como se a aceitação de “sair do circuito” fizesse os cônjuges evoluir para um presente mais verdadeiro e mais íntimo. Com a mão no braço do seu companheiro, Joëlle confessa: “Quarenta e três anos de convivência amadureceram profundamente nosso amor: hoje nos conhecemos de cor e salteado, cada um recebe o outro com seus problemas de saúde, rugas e cabelos brancos.”

A aposentadoria é considerada um momento privilegiado para o casal: o momento de aceitar o outro como é realmente; o momento de contar coisas um ao outro e de perdoar um ao outro. Não o perdão da ponta dos lábios, mas a verdadeira compaixão que traz alegria. A alegria de ver o amor retornar, e até mesmo se reconstruir. Quanto ao perdão, ele liberta, mas também edifica. Ao remover bloqueios, ele restaura a paz e, portanto, um clima favorável ao crescimento conjunto no amor. Amar é perdoar. E perdoar é construir.

Pascale Albier

Tags:
FamíliaIdososTrabalho
Top 10
Ver mais