Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 11 Abril |
Santo Estanislau de Cracóvia
home iconEstilo de vida
line break icon

Aprenda a decifrar os sentimentos por trás das palavras de seu cônjuge

COUPLE,

fizkes | Shutterstock

Edifa - publicado em 12/01/21

Você acha que sabe ouvir seu cônjuge e, no entanto, ele reclama que você não está prestando atenção nele? Se você não quer que ele ou ela encontre um confidente melhor em outro lugar, descubra rapidamente os princípios da verdadeira escuta

“Minha esposa sempre me pede para ouvi-la, e faço isso com prazer. Mas vejo que ela não está satisfeita com a qualidade da minha escuta. O que eu faço?”, perguntou-me um marido um dia. Em todo relacionamento, ouvir é muito importante. Quando temos problemas com nosso cônjuge, nossos filhos, um amigo, um colega de trabalho, etc., é aconselhável ouvi-los. É verdade que, em geral, eles nos agradecem, mesmo que não tenhamos aberto a boca. Mas ouvir só pode ser totalmente satisfatório quando se trata de ouvir ativamente. Uma distinção importante que mostra que ouvir não é nem manter a boca fechada, nem se contentar com uma reformulação do tipo “comercial” automática.

Decifrar o sentimento por trás da palavra

Ouvir é, em primeiro lugar, receber as palavras do outro, principalmente os seus sentimentos, e dar-lhe o direito de perceber as coisas de forma diferente de nós. Nunca nos esqueçamos que um sentimento negativo bem recebido muitas vezes deixa a pessoa que o expressa. A esposa cansada de um dia difícil, se ela puder descarregar seu cansaço com um marido compreensivo, ela recuperará sua paz e suas forças.

Ouvir também é decifrar o significado exato das palavras usadas. Quando um homem diz “Estou com fome”, fica claro que ele quer dizer “Estou com fome”. Quando uma mulher diz “talvez”, isso pode significar “não” ou “sim”, de acordo com o especialista em linguagem corporal Allan Pease. Ouvir é antes de tudo decifrar o sentimento que acompanha as palavras do outro: o marido pode saber muito bem o que a mulher o censura (“Que ele não fala”), mas não ouvir até que ponto ela sofre com isso.

Ouvir é colocar-se no lugar do outro sem deixar de ser você mesmo

Ouvir é, antes de tudo, viver essa virtude – uma das mais belas formas de amor – que o psicólogo Carl Rogers chama de empatia (literalmente, “sentir, sofrer em”). É essa capacidade que o ouvinte tem de descentrar, deixar de lado seu modo de ver para entrar nos sentimentos e assim mostrar que entende o que vive seu cônjuge. Ouvir é colocar-se no lugar do outro sem deixar de ser você mesmo. Ter empatia é compreender o que o nosso cônjuge vivencia, reciprocamente: o lugar que nem sempre ocupa na sociedade, o medo do desemprego, o trabalho que o afasta do convívio familiar …

Os cristãos demonstram uma empatia formidável: o próprio Cristo não veio ao mundo como visitante, mas viveu a condição humana em sua totalidade, passou fome, teve sede, mas sem deixar de ser Deus. Ele se colocou no nosso lugar: não é a Encarnação mais veemente do que a empatia? Para estar no mesmo nível do homem, Ele deixou sua divindade em segundo plano, assim como o ouvinte deixa suas idéias no guarda-roupa para entrar nos problemas do outro. Não para manipular, mas por amor!


HOLY FAMILY

Leia também:
4 lições sobre o casamento que a Sagrada Família nos ensina


COUPLE

Leia também:
Casamento: quero amar meu cônjuge, mas não consigo

Denis Sonet

Tags:
AmorCasamentoRelacionamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais