Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 05 Agosto |
Santos Vardan e companheiros
home iconEstilo de vida
line break icon

A melhor forma de se colocar a serviço do Reino de Deus

man, sleeves

© thodonal88 I Shutterstock

Edifa - publicado em 23/03/21

Mesmo que a oração seja essencial, ela não nos exime de agir: devemos arregaçar as mangas também a serviço do Reino

Deus não tem nada a ver com os medrosos, aqueles que sonham a vida em vez de levá-la nas mãos ou que nunca param de se arrepender do passado, profissionais do “sofá” e professores de chinelos. Deus poderia fazer qualquer coisa sem nós, mas ele escolhe precisar de nós. Ele quer nos associar à sua obra de Criador: é aqui que reside a grandeza do nosso trabalho humano, que não é exclusivamente nem antes de tudo um simples meio de ganhar dinheiro (também pode ser voluntário e isso não prejudica o seu valor).

A ação não se opõe à contemplação, ela decorre dela

Pessoas “criadas à imagem de Deus” são “chamadas a prolongar, uma com e para a outra, a obra da Criação, dominando a Terra. […] O trabalho honra os dons do Criador e os talentos recebidos”( Catecismo da Igreja Católica, § 2427). Os santos nos deram o exemplo: nenhum deles ficou de braços cruzados. Se a oração é a fonte de sua ação, ela não a substitui. Eles se colocam energicamente a serviço do Reino.

Olhemos para a Virgem Maria depois da Anunciação: sem demora ela pega o caminho para ir ajudar sua prima Isabel. Os santos não são “planadores”: o coração deles está no céu, e ainda mais com os pés no chão. Os maiores contemplativos costumam ter um senso excepcional do concreto e são ainda mais eficazes quando buscam apenas a vontade de Deus. Eles vão direto ao ponto.

É um erro opor-se a Marta e Maria (Lc 10,38-42): escolher “a melhor parte”, que nos é oferecida a todos, não significa deixar a “Marta” trabalhar, mas apenas trabalhar. A ação não se opõe à contemplação, ela decorre dela.

Construa ou sofra: a escolha é de cada um!

Diante dos desafios do mundo de hoje, podemos passar o tempo lamentando, chorando pelo que já não existe, imaginando o que poderia ser, enquanto permanecemos inertes. Refazer o mundo à volta de uma mesa, discutindo sem parar o que deve fazer o nosso bispo ou o diretor do colégio dos nossos filhos, o pároco ou o prefeito da nossa cidade, separar os bons e os maus com muito rigor, tudo isso é estéril, quando não prejudicial. O Reino não precisa de fiscais de obra acabados, mas de homens e mulheres que se arriscam a agir.

Porque agir é correr o risco: de errar, de se expor ao julgamento dos outros, de ser criticado e censurado. Para ser o sal da terra, no entanto, é preciso aceitar misturar-se com a terra. Manter as mãos limpas é fácil quando você mantém as mãos nos bolsos; é muito diferente quando decidimos enfrentar a realidade, comprometer-nos visivelmente ao serviço dos irmãos, tomar iniciativas. Ousamos pensar fora da caixa para implementar novas soluções, abrir portas, enfrentar o infortúnio, a mediocridade, a feiúra, a miséria e todas as formas de violência, ao mesmo tempo que nos recusamos a ver isso como uma fatalidade inevitável?

Nossos filhos precisam nos ver arriscando nossas vidas em vez de sofrer. Precisam de nós que os encorajemos a envolver-se “para permear as realidades sociais, políticas e econômicas, segundo as exigências do cristianismo e da vida cristã” (Catecismo da Igreja Católica, § 899).

A ação não é agitação

Nossas obras não avançam a chegada do Reino, é Deus quem o faz avançar, conosco. Somos como ferramentas em suas mãos, tanto mais eficazes quanto aceitamos ser dóceis. Deus não nos pede que façamos o máximo possível, ele não espera que acumulemos façanhas: Ele apenas nos pede para fazermos o pouco que ele nos confia, para cumprir a tarefa que é nossa no tempo que dle nos dá. Isso supõe permanecer “ligados” a ele pela oração: se nos deixarmos levar pelo calor da ação sem parar para orar, talvez possamos alcançar grandes conquistas, mas qual será a nossa real fecundidade? A mesma coisa acontece se não soubermos respeitar o domingo .


CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY

Leia também:
O que significa evangelizar?




Leia também:
Papa aos jovens: trocar o sofá por sapatos e mudar o mundo (vídeo)

Christine Ponsard

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
5
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Princesa Diana no Accord Hospice
Reportagem local
Um padre católico acompanhou a princesa Diana na madrugada de sua...
Ver mais