Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
Aleteia logo
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

São José Lê Dang Thi

Mártir vietnamita († 1860)      

José Le Dang Thi nasceu em 1825 em Ke Van, vila de Van Quy, província de Quang Tri, Vietnam, em uma família de militares. Seu pai era capitão quando ele nasceu. 

Ao crescer José seguiu a profissão de seu pai, alistou-se e serviu no exército do rei. Algum tempo depois, foi transferido para a guarda em Ha Tinh e, em seguida, para Nghe Na, onde se casou e viveu estabelecido com sua esposa e filhos.

Em 15 de dezembro de 1859, o rei Tu Duc emitiu um decreto para prender todos os oficiais religiosos. “Qualquer funcionário que tenha uma religião, mesmo que renuncie sinceramente à sua religião, deve ser deposto. Aqueles que não denunciarem, ou abrigarem em suas casas religiosos, também serão punidos ”. O rei também forçou todos os oficiais militares fazerem um sinal de desprezo diante da cruz antes de irem para a batalha contra os invasores ocidentais. “Aqueles que não renunciarem à religião receberão baixa do exército, terão a palavra ‘taoísta’ gravada em suas bochechas e serão exilados”.

Seguindo o conselho do governador, José Lê Dang Thi pediu baixa do exército sob o pretexto de estar doente. No entanto, por causa de um denunciante, foi preso junto com vários outros cristãos e levado de volta a Quang Tri. José, felizmente, se identificou como um capitão cristão.

No final de fevereiro, José recebeu uma sentença falsa, mas esperaram até o final de outubro para executá-la. De lá, foi ele foi enviado para a prisão em Hue. Em uma carta à esposa, ele escreveu: “Acho que não nos veremos mais. Aconteça o que acontecer, ainda nos amamos e nos amaremos para sempre. Sempre penso em você e nas crianças, todos os dias.”

Durante seu cativeiro, embora fosse jovem e robusto, antes de receber torturas cruéis, ele adoeceu. Compartilhando com outros presos, ele disse preocupado: “Não sei se Deus vai me deixar viver até o dia do martírio. Temo que a doença me faça morrer mais cedo. Ai de mim! Talvez por causa do meu pecado, Deus tenha se recusado a me dar esta graça.” Um sacerdote foi visitá-lo e ouviu sua confissão. No dia seguinte, um pregador também entrou, furtivamente, e deu-lhe a Sagrada Comunhão. 

Em 24 de outubro de 1860, José foi levado para ser executado. Pela última vez o oficial pediu que ele abjurasse sua fé e prometesse pedir perdão ao rei, mas José recusou veementemente. Sua sentença foi registrada da seguinte forma: “Lê Dang Thi, o capitão, segue uma falsa religião. Se ele se recusar a renunciar à sua religião, não poderá ser perdoado. Será condenado à decapitação no final do outono. ”

No tribunal de An Hoa (Hue), respeitosamente José ajoelhou-se em um tapete para rezar. Um padre estava no meio da multidão, gesticulando e dando-lhe uma última absolvição. Então, ele gritou bem alto: “Van Phuc! Mil bênçãos! Estou prestes a ser martirizado. ” O carrasco enrolou uma corda no pescoço do capitão, depois a puxou dos dois lados com força até que a testemunha de Cristo faleceu. 

Os fiéis de Phu Cam realizaram um funeral em massa em seu país. 

Foi beatificado em 02 de maio de 1909, por Pio X e canonizado em 19 de junho de 1988, por São João Paulo II.

Atualmente, os restos mortais do mártir estão guardados na Igreja Redentorista de Hue, Vietnam.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais