Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 07 Julho |
Bem-aventurada Maria Romero Menezes
Aleteia logo
Oração do dia
Meditação do diadomingo 29 Maio

“Estou convosco todos os dias até ao fim do mundo” 

 

O regresso de Cristo a seu Pai é tanto uma fonte de dor, pois implica sua ausência, como fonte de alegria, porque implica sua presença. Da doutrina da sua Ressurreição e da sua Ascensão brotam estes paradoxos cristãos frequentemente mencionados na Escritura: somos afligidos, mas sempre alegres, “pobres, mas que enriquecem a muitos”. 

Tal é, de fato, nossa atual condição: perdemos Cristo e o encontramos; nós não o vemos e ainda assim o percebemos. “Abraçamos seus pés”, mas Ele nos diz: “não me detenham”. Como é isto? A questão é que perdemos a percepção sensível e consciente de sua pessoa; não podemos olhar para ele, ouvi-lo, falar com ele, segui-lo de um lugar para outro. No entanto, desfrutamos espiritualmente, imaterialmente, interiormente, mentalmente, realmente de sua visão e de sua posse: uma posse mais efetiva e presente do que aquela que os apóstolos gozavam nos dias de sua carne, precisamente porque é espiritual, precisamente porque é invisível. 

Sabemos que neste mundo quanto mais próximo um objeto está, menos podemos percebê-lo e compreendê-lo. Cristo está tão próximo de nós na Igreja Cristã, chegando a dizer, que não podemos fixar nosso olhar nele ou distingui-lo. Ele entra em nós e toma posse da herança que adquiriu. Ele não se apresenta a nós, mas nos leva consigo. Ele nos faz seus membros... Nós não o vemos. Conhecemos sua presença apenas pela fé, porque ele está acima de nós e em nós. Assim, ficamos aflitos, porque não percebemos sua presença... E nos alegramos porque sabemos que o possuímos: “A ele, embora não o tenhais visto, amais; nele, apesar de não terdes visto, mas crendo, vos rejubilais com alegria inefável e gloriosa, pois que alcançais o fim da vossa fé, a saber, a salvação das vossas almas”. 

 

São John Henry Newman 

Sermão “A Presença Espiritual de Cristo na Igreja”, PPS, t. 6, n° 10.

Nascido em Londres; convertido do anglicanismo, 

foi sacerdote, cardeal e fundador de uma comunidade religiosa (1801-1890).

 

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais